Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Economista da BRAiN avalia o levantamento “The Global Financial Centres Index”, que também elegeu São Paulo como o sexto centro financeiro mais promissor nos próximos anos

 

As duas principais cidades brasileiras para o desenvolvimento de negócios, São Paulo e Rio de Janeiro, ganharam quatro posições cada uma no ranking “The Global Financial Centres Index”, divulgado pela consultoria britânica Z/Yen Group. A capital paulista agora é o 44º centro financeiro mais atrativo do mundo e o Rio de Janeiro, o 48º. Os municípios superam outros da América Latina, como Buenos Aires (52º), Cidade do México (55º) e Cidade do Panamá (67º).

Além disso, São Paulo também foi eleito como o sexto centro financeiro mais promissor do mundo para os próximos anos, atrás apenas de Cingapura, Xangai, Hong Kong, Seul e Toronto, reafirmando seu potencial internacional. A análise do Z/Yen leva em conta características desejadas em um centro de negócios, como o “Ambiente para negócios” – que considera o marco regulatório e legal, além das leis contra corrupção -, “Qualidade da Mão de Obra”, “Impostos”, “Reputação”, “Infraestrutura” e “Acesso a Mercados”.

Para o economista André Sacconato, diretor de Pesquisa da BRAiN – Brasil Investimentos & Negócios -, associação que tem como objetivo criar condições para transformar o Brasil em um polo internacional de investimentos e negócios, a melhora das cidades no ranking reflete uma percepção mais positiva dos investidores em relação ao Brasil. O relatório da BRAiN “Atratividade do Brasil como Polo Internacional de Investimentos & Negócios” já mostrava os avanços, classificando o País como “Bom” nos itens “Estabilidade Política” e “Qualidade regulatória”, à frente dos outros países do BRICS.

Anúncio

No entanto, ele destaca que há áreas em que é preciso avançar. “O ranking mostra que temos algo a comemorar, mas também apresenta um mapa do que o investidor espera de um centro de negócios mundial. É justamente nesse contexto que temos de atuar.” No item “Ambiente de Negócios”, por exemplo, a entidade vem realizando estudos junto ao Banco Mundial para avaliar as condições de proteção ao investidor no País. Ao mesmo tempo, a BRAiN vem trabalhando junto à Prefeitura de São Paulo para melhorar as condições de abertura de empresas (169 dias, atualmente) e obtenção de licença para construção na cidade (469 dias).

Na área de “Qualidade da Mão de Obra”, a BRAiN vem apoiando a Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE) no desenvolvimento de novas políticas de obtenção de vistos para estrangeiros em áreas consideradas estratégicas e em que haja falta de mão de obra no País, tornando a legislação nacional compatível com as mais avançadas do mundo, além da elaborar pesquisas mostrando quais são os principais gargalos nas demanda por profissionais qualificados.

Sobre a BRAiN

A Brasil Investimentos & Negócios (BRAiN) é uma associação multissetorial que tem como associados ANBIMA, BM&FBOVESPA, FEBRABAN, FecomercioSP, Cetip, Bradesco, Santander, Banco do Brasil, Votorantim, Citibank, HSBC, Itaú-Unibanco, BTG Pactual, África e PwC. A entidade tem como objetivo desenvolver um ambiente favorável e sustentável de negócios no Brasil, para transformar o País em polo internacional de atração de investimentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *