Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

EVANDRO ZANINI 

O que cervejarias de sucesso, como Küd, Verace, Falke, Läut, Uaimii, Fürst, entre várias outras, consagradas no mercado nacional, têm em comum, desde a sua funda-ção? A resposta está em nome muito respeitado por todos os brewmasters e beersommeliers, em qualquer canto do Brasil: Evandro Jacir Zanini.

Parte das boas cervejas especiais fabricadas aqui existem graças a esse catarinense de 44 anos, filhode agri-cultores, nascido em Iomerê, cidade com cerca de 2.500 habitantes.  Morando atualmente em Belo Horizonte, Za-nini é técnico em alimentos, mestre cervejeiro e sommelier de cervejas. É dele a responsabilidade pela implantação de dezenas de plantas cervejeiras em vários estados. 

“Formei-me em Santa Catarina em 1994 e, des-de então, tenho atuado única e exclusivamente em cer-vejarias, implantando projetos pelo Brasil afora. Comecei como responsável por uma delas, a Caçadorense, no meu estado natal. Uma empresa histórica, pois foi nela que se produziu a nossa primeira cerveja cigana, em equipamen-tos alugados, a lendária Xingu”, explica Zanini. 

Hoje, além de sócio da Zanini TC, empresa res-ponsável por startup de projetos, atua como responsável de algumas cervejarias mineiras. Seu principal trabalho é implantar novas técnicas e potencializar procedimentos existentes, visando melhorar processos, aumentar produ-tividade e estabelecer padrões de qualidade de produtos, mesmo em pequena escala industrial.

Para Evandro Zanini, cada projeto, não importan-do o tamanho, é um desafiodiferente, uma oportunidade de crescimento profissional.“Eu não apenas provoco o nascimento de uma cervejaria. Vou além e desperto nos proprietários e seus colaboradores uma nova visão da cer-veja especial, incentivando-os a voos sempre maiores, em criatividade, qualidade e volume de produção”, diz. 

CERVEJARIA VERACE

Além das já citadas no início do texto, o portfólio da Zanini TC, entre cervejarias já em funcionamento e as prestes a entrar no mercado, inclui: Bierbaum (Treze Tílias, SC), Lund (Ribeirão Preto, SP), Rofer (Itupeva, SP), Wensky Bier (Araucária, PR), Way Beer (Pinhais, PR), Hholzweg (Lontras, SC), Insana (Palmas, PR), Esse Bier (Nova Lima, MG), (Klein Beer (Campo Largo, PR), Kraemerfass (Delfi Moreira, MG), Eden Beer ( Maringá, PR), Berzalai  (Montes Claros, MG), Blumbier (Osvaldo Cruz, SP), Nanocervejaria da Faculdade Uniguaçú  (União da Vitória, PR).

E, ainda, as cervejarias Casa do Fritz (Penedo, RJ), Providência (Cascavel, PR), Formosa (Francisco Bel-trão, PR), Zeit (Joinville, SC), BuffaloBeer (Maravilha, SC), Lassberg (Itapiranga, SC), Bionda (Sinop, MT), Ferdinander (Eng. Paulo Frontin, RJ), Dido’s Beer (Anchieta, SC), Bru-dersbaum (Descalvado, SP), Prosa (Campo Grande, MT), VonDogh (Tangará da Serra, MS), Naipe (Campo Belo, MG). Em implantação, estão startups cervejeiras em Vitória/ES, Fortaleza/CE, Joinville/SC, Santa Teresa/ES, São Lourenço do Oeste/ES, Campos do Jordão/SP, Campina/SP.

Sobre as diferenças no seu trabalho para grandes e pequenas cervejarias, Zanini cita que tudo é questão apenas de capacidade mensal de produção. “As preocu-pações são as mesmas ou até maiores nas de pequeno porte. Procuro priorizar a qualidade do produto, promover a identidade das marcas. Se o projeto é grande ou peque-no não importa muito em termos industriais, pois o objetivo é sempre a satisfação do consumidor”, explica.

CERVEJARIA KÜD

Bruno Parreiras, da Cervejaria Küd, de Nova Lima, Minas, confirmaisso, como dono de uma das marcas mais respeitadas no mercado: “a nossa planta industrial é de autoria do Zanini, um profissionalrefe-rência no ramo em que atuamos. As orientações dele e os detalhes técnicos com que nossas instalações foram montadas certamente estão na base da qualidade com que operamos há mais de oito anos”, disse.

Na Cervejaria Verace, implantada há pouco mais de dois anos na mesma cidade, a visão também é essa, de acordo com Eduardo Petri, um dos proprietários. Se-gundo ele, Zanini foi contratado no início, prestando uma ampla gama de serviços, desde o projeto e sua aprova-ção no MAPA, passando pela indicação e supervisão da montagem dos equipamentos, treinamento de equipes e, até mesmo, criação de algumas receitas.”

Com toda a sua experiência, Evandro Zanini ana-lisa o mercado cervejeiro atual e o futuro das cervejas especiais. “Estamos em fase de adequações e ajustes, ainda. O consumidor procura novidades e isso é fato comprovado. O Brasil tem uma extensão territorial enor-me e temos muitas culturas e costumes, ingredientes, com uma gastronomia muito rica, o que abre a possibi-lidade do surgimento de estilos brasileiros, sem inspira-ção estrangeira”.  

“A maioria dos criadores de receitas aqui no Bra-sil ainda se baseia no que se faz no exterior e isso retar-da a nossa evolução, a criação de estilos tipicamente nacionais. Mas os nossos cervejeiros já estão buscando o melhor em matérias primas e insumos. Sobre o futuro das nano cervejarias, ciganos e micros, a questão mais preocupante são os impostos aplicados ao setor artesa-nal. Eles são as maiores ameaças ao desenvolvimento do setor nacional”, afirma

Segundo Zanini, muita gente que já está no mercado, ou entrando agora, não faz seu planejamen-to estratégico observando devidamente as mudanças constantes no mercado cervejeiro. E, até mesmo, des-consideram surpresas que surgem em um ou dois anos após o início das operações. “Tem que prestar atenção nos detalhes. São os detalhes que fazem toda a diferen-ça. O mercado está evoluindo, o paladar do consumidor está sempre se transformando e ficandoexigente. E isso pode pegar de muito empreendedor de surpresa.”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *