Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

Por: Paulo Queiroga

pqueiroga@terra.com.br
 
Segundo o BC, os gastos com viagens internacionais somaram US$ 1,4 bilhão em maio, queda de 37% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Apesar de uma cifra bilionária, os gastos lá fora desabaram 37% em relação ao ano anterior.  Foi o menor valor registrado para os meses de maio desde 2010. A alta do dólar é um dos principais motivos para a queda das despesas. A moeda americana mais valorizada encarece passagens, hotéis, serviços e produtos comprados lá fora.
 Do primeiro dia do ano até meados de maio, o dólar já subiu quase 16%.  O mesmo dólar que, quando cotado acima de R$ 3, ajuda a indústria exportadora, por outro lado, derruba o poder de compra dos brasileiros que viajam para o exterior. Na mão oposta, mesmo estando o dólar alto e fazendo com que o Brasil fique mais barato para os turistas estrangeiros, esse atrativo não foi suficiente para aumentar o número de visitantes por aqui. As despesas dos estrangeiros no Brasil somaram US$ 417 milhões em maio, o menor valor do ano.
EUA – Destino favorito dos brasileiros
Mesmo com a alta do dólar, os Estados Unidos são o destino internacional favorito dos brasileiros. É o que mostram dados da Organização Mundial do Turismo (OMT) e do Ministério do Turismo. Em 2014, houve emissão de 1,075 milhão de autorizações. Em 2013, mais de 2 milhões de turistas brasileiros desembarcaram no país norte-americano. Depois dos Estados Unidos, os países mais visitados por brasileiros nos últimos anos foram Argentina e França. 
Segundo dados da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, desde 2005, o número de vistos emitidos para brasileiros vem crescendo e ultrapassando marcas. Em 2012, foram 1,039 milhão.
Miami e Nova York são as preferidas 
O site Hoteis.com, que oferece serviço de reserva de hospedagem em vários países, desenvolveu um relatório, o Hotel Price Index (HPI), que aponta Orlando, Nova York e Miami como as cidades que mais receberam brasileiros em 2014. Localizadas no estado da Flórida, as cidades de Orlando e Miami são destinos turísticos tradicionais por conta de centros de compras e parques temáticos – como Walt Disney World, Universal Studios, Sea World, Wet’n’Wild, entre outros. A grande presença da comunidade latino-americana – incluindo milhares de brasileiros – na Flórida transformam Miami e Orlando em cidades onde os brasileiros têm facilidade de atendimento e comunicação. 
Nova York tem uma histórica diversidade étnica, o que faz da cidade uma das capitais mais ecléticas do mundo. Outras cidades americanas muito procuradas por brasileiros são Las Vegas, conhecida pelos cassinos, e Los Angeles e San Francisco, ambas no estado litorâneo da Califórnia. 
Day use
Opção de hospedagem chamada day use, que permite aos turistas usufruírem da estrutura do hotel ou pousada sem que, para isso, tenham que passar a noite no local, tem ganhado adeptos no País. As vantagens incluem, por exemplo, a possibilidade de aproveitar a piscina e a estrutura de lazer a um preço mais baixo do que o pago pelo hóspede tradicional. O desconto pode variar de 15% a 40%.
Hotéis próximos a aeroportos se especializaram nesse filão: eles passaram a permitir que o viajante use o quarto durante o dia para reuniões, entre um voo e outro. O perfil de clientes desse serviço vai do turista de negócios em busca de uma sala de reuniões até famílias interessadas em lazer. Em geral, esse tipo de tarifa vale para estadias das 12h às 18h, mas pode variar de hotel para hotel.
 Para a rede hoteleira, o serviço day use beneficia tanto hóspedes como os hotéis. Para os estabelecimentos com boa infraestrutura é uma oportunidade para aumentar o faturamento, além de alcançar clientes que jamais procurariam o hotel caso não houvesse essa opção de tarifa. Entretanto, nos períodos de alta demanda é mais difícil para o hotel manter o serviço. Os preços variam de acordo com o hotel, mas, em média, o preço do late check-out é de 50% da diária comum.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *