Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

De acordo com o Relatório sobre a Macrogestão e Contas do Governo do Estado de Minas Gerais, a Dívida Ativo de Minas Gerais alcançou, em 31.12.2013, o montante de R$ 36,752 bilhões – representando uma variação de 12,25% em relação ao exercício anterior.

O valor a receber dos dez maiores devedores do Estado – R$ 5,832 bilhões, representa 15,86% da dívida ativa tributária, sendo a EBCT-Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos a maior devedora do grupo, com valores atualizados totalizando R$ 2,143 bilhões.

Cabe destacar que a SamarcoMineração S.A. – que registrou em 2013 o maior lucro líquido entre todas as empresas do Estado – no valor de R$ 2,731 bilhões – é a quarta maior devedora do Tesouro Estadual, com uma dívida totalizando 342,192 milhões, segundo apurou o Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais.

DÍVIDA PÚBLICA CONTRATUAL DE MINAS GERAIS REGISTROU CRESCIMENTO REAL DE 23,93% DURANTE OS GOVERNOS AÉCIO NEVES/ANASTASIA

De acordo com o Relatório sobre a Macrogestão e Contas do Governo do Estado de Minas Gerais – Exercício de 2013 – divulgado pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, em valores constantes a preço de 2013, a dívida contratual de Minas durante os governos Aécio Neves e Antonio Anastasia) registrou uma expansão real de 23,93% – elevando- se de R$ 67.379,69 bilhões em 31.12.2002 para R$ 83.493,64 bilhões em 31.12.2013.

NÃO HOUVE EXPANSÃO DA DÍVIDA PÚBLICA CONTRATUAL DE MINAS GERAIS DURANTE O GOVERNO ITAMAR FRANCO

Revela ainda o Relatório sobre a Macrogestão e Contas do Governo do Estado de Minas Gerais – Exercício 2013 – divulgado pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais que, ao contrário do que muitos imaginavam, não ocorreu aumento real da Dívida Pública Contratual de Minas Gerais durante o período do governo de Minas Gerais. Em 31.12.1998 ela perfazia o total de R$ 67.273,91 bilhões e fechou no último dia de mandato de Itamar Franco, em 31.12.2002, registrando o valor de R$ 67.370,69 bilhões. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *