Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

Por: Wilson Renato Pereira

 

Definidos o local, o estilo, a marca, o prato harmonizado e até a companhia. Mas, não é só isso, falta mais um importante detalhe: a escolha do copo, taça ou caneca. Isso mesmo, pois eles são itens indispensáveis no ritual de quem valoriza cada detalhe da degustação e não abre mão de apreciar a cerveja em toda sua plenitude.

A existência de dezenas (alguns identificam centenas) de tipos de recipientes é coerente com a diversidade dos 23 estilos e os 80 sub-estilos de cerveja definidos pelo BJCP (Beer Judge Certification Program) ou os mais de 180 listados pela Brewers Association (BA), fora os que não estão formalmente classificados. A importância não apenas estética mas também funcional, já que a forma é indispensável para que o aroma, o sabor, a cor, a espuma e outras características da bebida permaneçam durante o seu consumo.

Assim como ocorre em países de grande tradição cervejeira, com o aumento da procura por cervejas especiais no Brasil muitos restaurantes e bares daqui também chegaram à sofisticação de oferecer aos seus clientes taças e copos impressos com a marca da cerveja escolhida. “É um plus que pretende atrair e cativar a clientela de hoje, cada vez mais exigente, bem informada e inserida na cultura cervejeira”, diz Celso Souza, da tradicional Mello Mercearia, que mantém nos seus dois estabelecimentos em Belo Horizonte (Serra e Buritis) uma diversificada carta cervejeira e o recipiente mais adequado a cada item.

 

 

 

86

87

88

 

Diversos – Ninguém vai deixar de lado uma boa cerveja por não estar no copo mais adequado. Mas existem recipientes desenhados especificamente para valorizar as características dos diferentes estilos dessa bebida. Se for possível adequar um ao outro tanto melhor, a degustação ficará mais prazerosa, sem dúvida.

 

Dicas Importantes

• Os copos, taças e canecas devem ser lavados a mão, pois máquinas de lavar louça deixam resíduos que podem alterar o sabor e a espuma da cerveja.

• É preferível deixá-los secar ao ar, pois os panos soltam fiapos e partículas inconvenientes que passam para a bebida.

• Os recipientes devem ser deixados levemente molhados para ajudar na formação da espuma.

• Copos, canecas e taças gelados antes do uso são inadequados, pois a condensação de água que provocam dilui a cerveja e afeta seu sabor.

• A temperatura de uma cerveja influencia a degustação, já que ela pode alterar a sensibilidade das nossas papilas gustativas.O famoso cervejólogo Michael Jackson, citado por Maurício Beltramelli em seu blog Brejas, propõe cinco níveis de temperatura adequados à cerveja (adaptados ao paladar brasileiro):

 

Muito gelada (de 0 a 4°C): Pale Lagers, cervejas sem álcool e qualquer cerveja que sirva apenas para refrescar ou tenha baixa qualidade.

Bem gelada (de 5 a 7°C): Cervejas de trigo claras, Lambics de fruta e Gueuzes.

Gelada (de 8 a 12°C): Lagers Escuras, Pale Ale, Amber Ale, cervejas de trigo escuras, Porter, Helles, Vienna, Tripel e Bock tradicional.

Temperatura de adega (de 13 a 15°C): Ale Quadrupel, Strong Ales Escuras, Stouts e a maioria das cervejas especiais belgas, incluindo as Trapistas, Bocks mais fortes como a Eisbock e a Doppelbock.

 

Agradecimentos:

Agradecemos a gentileza da Mello Pizzaria e do Reduto da Cerveja por ceder os recipientes que ilustram esta coluna. Agradecimento também ao fotógrafo Bernardo Dias Pereira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *