Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Em ranking, Eduardo Cunha é o mais rejeitado, com 89%, seguido por Renan Calheiros, com 82% e Michel Temer em terceiro lugar com 78%. Por outro lado, os nomes mais bem avaliados são personalidades jurídicas, como Sérgio Moro e Joaquim Barbosa, com 65% e 48% respectivamente

A pesquisa Pulso Brasil de fevereiro, realizada pela Ipsos, mostra que os brasileiros estão desconten-tes com os políticos. No ranking “Barômetro Político”, sobre a atuação de 20 nomes listados entre personalidades do meio político e jurídico, apenas o juiz Sérgio Moro conseguiu aprovação da maioria dos entrevistados ficando com índice de aprovação de 65%. O segundo mais bem avaliado é Joaquim Barbosa, com 48% de favorabilidade.

Com 89% de desaprovação, o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, ocupa a primeira colocação entre os mais reprovados, seguido pelo senador Renan Calheiros, que soma 82%. Em terceiro lugar, está o atual presidente, Michel Temer, com 78% de desaprovação. O estudo aponta que a desaprovação a Temer tem aumentado – subiu três pontos percentuais em relação ao mês anterior e a aprovação apresentou queda dois pontos percentuais em relação a janeiro, ficando em 17%.

Anúncio

Temer lidera em desaprovação quando comparado os índices dos últimos presidentes, embora todos tenham altos índices de reprovação. Dilma Rousseff tem 74% de desaprovação, enquanto Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso estão empatados com 66% dos entrevistados reprovando-os. Em relação ao índice de aprovação, Lula está em primeiro lugar, com 31%, seguido por Dilma, com 23%, FHC, com 21% e, por último, Michel Temer, com 17%.

“Tanto FHC quanto Lula deixaram um legado relevante para a população, como o Plano Real no caso do primeiro e o fenômeno da ascensão social e do aumento do poder de consumo no caso do segundo, mas Lula tem estado mais em evidência por conta da Lava Jato e sugerido que será candidato em 2018. Isso mobiliza aqueles que se identificam com seu discurso e sua imagem, que ainda é positiva na memória de parte dos brasileiros por conta das realizações de seu governo. Apesar disso, é importante ressaltar que tanto Lula quanto os demais ex-presidentes apresentam altos ín-dices de desaprovação”, diz Danilo Cersosimo, diretor da Ipsos Public Affairs e responsável pelo Pulso Brasil.

Outros nomes tradicionais da política brasileira que já se candidataram à presidência também não estão bem avaliados. O tucano Aécio Neves é desaprovado por 74%, assim como seus companheiros de partido José Serra e Geraldo Alckmin, com 66% 64% respectivamente; já Marina Silva, da Rede, possui 57% de rejeição. Entre eles, Marina é a mais aprovada (28%), seguida por Serra (20%), Alckmin (17%) e Aécio (11%).

Outros nomes também foram analisados quanto ao índice de desaprovação e aprovação, como Rodrigo Maia (54% e 5%, respectivamente); Romero Jucá (52% e 3%, respectivamente); Ciro Gomes (52% e 14%, respectivamente); Marcelo Crivella (49% e 14%, respectivamente); João Dória (46% e 14%, respectivamente); Alexandre de Moraes (44% e 10% respectivamente); Rodrigo Janot (43% e 24%, respectivamente) e Carmem Lúcia (31% e 33%, respectivamente).

“Os nomes ligados à política tradicional apresentam altos índices de desaprovação porque representam a ineficiência e a improbidade na gestão pública e isso só se exacerbou com as investigações da Lava Jato. Por outro lado, Sergio Moro e Joaquim Barbosa são vis-tos como o oposto disso e, portanto, tem maior apro-vação perante a opinião pública ”, reforça Cersosimo.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *