Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

O jovem, muito jovem, primeiro ministro Matteo Renzi, em seis meses, conseguiu modificar radicalmente a legislação trabalhista e, celeremente, além de tentar uma profunda reforma política, com árdua luta congressual, busca reformar o Sistema Judiciário. Conta ele com o suporte do Conselho Nacional Forense, através do operoso e ético Professor Guido Alpa, seu presidente, bem como da unanimidade dos advogados, além do eficaz ministro da Justiça Andrea Orlando Guardasigili, como articulador valioso.

Parece incrível ao escriba que, a partir dos advogados, renasça o espírito italiano, com tradição libertária e cidadã, baseado na proposta de que, servindo-se dos profissionais do direito, a nova lei profissional confia-lhes a “função de garantir aos cidadãos a efetividade da tutela dos direitos, tarefa gravosa, mas que não devemos desenvolver egregia- THE GUARDIAN mente com competência para merecer a confiança que lhes foi passada (ao Conselho Nacional Forense), em nós pelo legislador e pelos cidadãos”.

Deste trecho do discurso inaugural do Ano Judiciário (16/07/2014), proferido por Alpa, se pode pensar, admitir e esperar resultados que vão se refletir em uma melhor, eficiente e séria distribuição de justiça, cabendo aos operadores do direito desempenhar relevante papel em propiciá-la, no controle da legalidade das operações econômicas, na prevenção e solução de conflitos e na adequada assistência judiciária.

Anúncio

Já de antemão, os jovens advogados foram recrutados para promover a tutela dos direitos dos imigrantes, constituindo uma comovente task force, para o Projeto Lampedusa. E estão atuando com raro denodo, num desempenho que há de merecer reconhecimento internacional adequado.

Se a prioridade é a profissão, a advocacia, autoregulando-se, aprovou a edição do novo ordenamento profissional (Lei nº. 247/2012), que passou a vigorar em fevereiro de 2013, bem como o Novo Código Deontológico. E, trabalhando com afinco, o Conselho Nacional Forense não poupa esforços para orientar, regular, normatizar as condutas dos profissionais. Tudo com clareza. Tudo publicado na sua newsletter, com regularidade.

Tendo o Congresso Nacional das Ordens encerrado seus trabalhos em meados deste mês de outubro, consagrou o advogado como artífice para impor ao legislador a criação de um fisco imparcial, fiscalizações corretas e justos processos tributários. Parabéns ao presidente Guido Alpa pelo êxito de seu profícuo lavor cidadão. 

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *