Mais um

1 de setembro de 2011 0

Ou este “Cacto”, mais pessoal, quase retrato: “Minha voz é fina como um caco de vidro. Tenho um modo de dispor do ponto final que maltrata os outros. Desafinada e intratável, quando declaram amor por mim, amarro mãos e pés, arrumo dor de cabeça ou pernas e caio estatelada na cama. Às vezes me recupero.…

Quarenta poemas

1 de setembro de 2011 0

A ótima poeta mineira Alicia Duarte Penna está,finalmente, de livro novo. “Quarenta Poemas eDez” é o nome da obra da moça, que tem umadas vozes poéticas mais originais de sua geração.Vale pena conferir alguns trechos, como nesse “aeternidade é um pasto”: “Vistas ao longe, /vacasparecem estátuas./Estão vivas? Estão mortas?Não se sabe e nem importa./O tempo…

Sempre um Papo

1 de setembro de 2011 0

Vale o jargão: parece que foi ontem que Afonso Borges começou um batepapo informou num bar da rua Professor Moraes, o Bate Papo no Tom. Depois, virou Sempre Um Papo, ficou itinerante e se tornou uma das maiores ferramentas de lançamento de livros do país. Agora, o projeto chega aos 25 anos maduro, com edições…