Vinhos, Gente, Coisas e Adjacências
Vinhos, Gente, Coisas e Adjacências
Vinhos, Gente, Coisas e Adjacências
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Inimá Souza*

Verão, Estação de Vinho Branco

Neste torrão pátrio, verão deveria ser sinônimo de vinho branco; ou melhor, sendo o Brasil, majoritariamente, dotado de clima tropical, vinho branco seria, naturalmente, uma preferência ampla, geral e irrestrita. Não é.

Ao contrário, a opção pelo vinho tinto continua girando, aqui, em torno dos 80%, na média, e nas demais partes do mundo o percentual é ainda maior. Antes, falava-se que essa preferência devia-se, especialmente, à sua relação benéfica com a saúde. E hoje?

Refrescante, leve ou encorpado, rico, aromático, denso ou complexo, o vinho branco – com os seus variados estilos, que vão de bem secos aos bem docinhos -, é um mundo de aromas e sabores, e, pois, capaz de brindar o mais exigente paladar, seja como aperitivo, ou acompanhando lautos banquetes.

Os brancos secos acompanham frutos do mar e pescados, em variadas preparações, carnes brancas, pratos picantes, queijos frescos, saladas e aves.

Brancos meio-doces, além de excelentes aperitivos, são parceiros de salada de frutas, vários queijos e determinados frios.

Brancos doces devem acompanhar sobremesas (torta de maçã, doces de frutas, tortas doces, bolos doces, pudim), e, por oposição, os queijos gorgonzola, roquefort e stilton.

A refrescância do vinho branco adéqua-se perfeitamente às nossas temperaturas, sobretudo, nos dias de canícula, tão comuns agora no Verão.

Produzido em todas as regiões vinícolas, mundo afora, várias são citadas como referência pela qualidade dos seus vinhos, a exemplo de Chablis – cuja produção é quase exclusivamente de brancos -, Borgonha, Loire, Mosel, Alsácia, Marlborough, San Antonio, Cafayate.

No Brasil, as referências são para os brancos de Santa Catarina – seu Sauvignon Blanc é considerado a grande estrela -, e da Serra Gaúcha, com ênfase para Chardonnay e Sauvignon Blanc, não em volume de plantio, cujo destaque fica com a Riesling Itálico.

Portugal, a pouco mais de uma década, vem fazendo uma revolução com os vinhos brancos, o que já comentei aqui. Se antes sua história não ia muito além dos encantadores, Vinhos Verdes, hoje, seu mapa de brancos abre-se pela quase totalidade de suas regiões vinícolas.

Ah! O soberano espumante. Leve, refrescante, gastronômico, festivo, e, com tudo isto, sua fama deve-se ao emblemático champagne, consagrado universalmente. O Brasil produz excelentes espumantes, e já com amplo e consolidado reconhecimento internacional.

Os estilos do vinho branco são múltiplos, e todos têm o estilo do Verão. Sem nenhuma dúvida.

Vinhos com desconto

A Wine Center D.O.C reuniu a mídia para apresentar o Guia de Descontos nos Vinhos em Restaurantes de Belo Horizonte, que alinha dezenas de restaurantes cujas cartas de vinho, e a gastronomia, os colocam entre os mais destacados da Capital mineira.

O evento aconteceu no último dia 15, no Mercado da Boca/Santa Tereza, e contou ainda com a presença de alguns convidados ligados ao segmento enogastronômico da Capital.

Segundo a direção da Wine Center D.O.C, nos próximos dias, um evento com aqueles restaurantes marcará o lançamento do Guia para comercialização. Descontos surpreendentes nos vinhos é aposta do Guia, para estimular o saudável hábito de vinho à mesa, nos restaurantes, a preços bem palatáveis.

Despertando para o vinho

O crescente número de frequentadores dos cursos de vinho, no Mercado da Boca/Santa Tereza, revela surpreendente e inusitado interesse pelo vinho nos vários segmentos sociais. A participação nos cursos tem mostrado mais que a simples curiosidade sobre a bebida, senão conhecê-la para melhor bebê-la. Esse é o caminho.

Tim, tim.

*(inima.souza@gmail.com)

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades