Vinho, Gente, Coisas e Adjacências
Vinho, Gente, Coisas e Adjacências
Vinho, Gente, Coisas e Adjacências
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Quantas Uvas Fazem os Vinhos Finos Brasileiros.

Inimá Souza*

Comparativamente a países produtores como Portugal e Itália, entre outros, estamos engatinhando no cultivo de uvas finas para fins comerciais; um número acima de uma centena, com predomínio absoluto daquelas cepas tradicionais, tão conhecidas dos apreciadores, a exemplo de Chardonnay, Sauvignon Blanc, Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc.

Anúncio

Com uma história ainda recente na vitivinicultura, o Brasil não fugiu ao roteiro adotado por diversos países do Novo Mundo: cultivar essas cepas, reconhecidas pela qualidade e capacidade de adaptação aos mais variados terroirs.

A Merlot é soberana no Vale dos Vinhedos – a única região demarcada com DO (Denominação de Origem) do Brasil -, consagrando, assim, sua perfeita adaptabilidade ao terroir, e os esforços dos vinhateiros. De fato, ela sucedeu à Cabernet Franc, que dominava os vinhedos e foi, em determinada época, atacada por vírus e, pois, descartada dos plantios.

Ao lado da Merlot, Chardonnay e Cabernet Sauvignon formam um trio vitorioso na Serra Gaúcha, produzindo vinhos de qualidade internacional.

Há cerca de vinte anos, Cabernet Franc, – a partir de maior critério na seleção de mudas, e mais conhecimento no seu manejo, segundo vinhateiros do Vale, vem retomando o seu lugar ali com vinhos de grande expressão.

Não apenas com essas estrelas se elabora os bons vinhos brasileiros. A diversidade de terroirs, aliado a outros fatores (pesquisas, recursos, conhecimentos), vem ampliando continuamente, e com os melhores resultados, a introdução das mais variadas uvas ao mapa da viticultura nacional.

Barbera, essa consagrada uva do Piemonte, pródiga em acidez e de poucos taninos, tem se revelado, na Serra Gaúcha, com vinhos expressivos. Touriga Nacional, grande tinta portuguesa, Marselam, Teroldego, Bonarda, Arinarnoa, Ancellota, ainda pouco conhecidas por aqui, são outros exemplos.

Na Campanha, região de maior crescimento de vinhedos no Brasil, o cenário exibe plantio de Alfrocheiro, Tinta Roriz, Touriga Nacional, Malbec, Tempranillo, Carmenère, Tannat, pinot Noir, Gewurztraminer, além das clássicas Chardonnay, Sauvignon Blanc, Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc.

No Vale do São Francisco, de terroir surpreendente, o plantio é capitaneado pela Syrah, uva que adora sol e calor, e, portanto, perfeitamente adaptada. Outros plantios incluem as brancas Moscato Canelli, Chenin Blanc e Sauvignon Blanc, e tintas Alicante Bouschet, Tannat, Touriga Nacional, e, naturalmente, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc.

O Sul de Minas, hoje, importante região da vitivinicultura brasileira, e já com expressão internacional, elabora seus vinhos com as tradicionais Sauvignon Blanc, Syrah, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc, e mais algumas. A adaptação ao terroir reflete-se em premiações nacionais e no exterior.

A óbvia constatação: a diversidade de terroirs vem possibilitando o cultivo, com sucesso, de cepas que, até pouco tempo, eram desconhecidas do consumidor brasileiro, embora comuns em regiões mais tradicionais, tanto como varietais ou em cortes.

O mapa da vitivinicultura brasileira – que relaciona regiões vinícolas como Serra Gaúcha, Campanha, Campos de Cima da Serra, Serra do Sudeste, Planalto Catarinense, Paraná, Leste paulista, Sul de Minas, Goiás, Vale do São Francisco -, amplia-se continuamente de olho nos apreciadores que, sempre, estão em busca de sensações novas.

ADEGA NO RESTAURANTE – ampliando seus cuidados no trato com o vinho, o Restaurante do Porto, na Sagrada Família, instalou belíssima adega climatizada – bem ao alcance do cliente -, com capacidade para mais de mil garrafas. A adega é parte da moderna reforma feita no amplo salão do tradicional restaurante, comandado pelo Leonardo.

BAR AU VIN – Um sucesso o Bar au vin da Importadora Casa do Porto. A começar pela nova localização da Casa (na Cidade Jardim), o espaço amplo e charmoso, tem na sua retaguarda o portfólio da Importadora. Ademais, a gastronomia é cuidada com esmero, e o atendimento é impecável. As filas se sucedem, no dia-a-dia.

GUIA – Aguardado para os próximos dias o lançamento do Guia de Descontos nos Vinhos em restaurantes de Belo Horizonte, que reúne dezenas de restaurantes da Capital, cujas cartas de vinhos e os descontos prometem levar às mesas os apreciadores da boa comida e de bons vinhos. Segundo a Wine Center D.O.C, os restaurantes e o Guia terão ampla divulgação.

Tim, tim.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades