Universitária mineira desenvolve projeto inovador e representa o País em programa mundial
Universitária mineira desenvolve projeto inovador e representa o País em programa mundial
Universitária mineira desenvolve projeto inovador e representa o País em programa mundial
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Com a criação de uma garrafa que torna qualquer água potável, estudante da Universidade Federal de Ouro Preto é a finalista nacional do Red Bull Basement.

Programa universitário mundial, o Red Bull Basement busca capacitar alunos inovadores para dar o pontapé inicial em suas ideias, usando a tecnologia para gerar mudanças positivas. E entre as 443 equipes inscritas no Brasil, o projeto que mais chamou a atenção nesta quarta edição foi o “Aqualux”, da Bárbara Paiva, estudante da Universidade Federal de Ouro Preto. Com o objetivo de democratizar a água potável para pessoas que não têm acesso a saneamento básico, ela desenvolveu uma garrafa para esterilização de água por radiação, com filtro carregado a luz solar, que torna qualquer água potável. E o melhor: cabe na palma da mão e pode ser levado a qualquer lugar.

“A ideia do projeto surgiu no meu mestrado, onde estudo a esterilização de parasitas via radiação, e pensei em aplicar isso para ajudar as pessoas de forma simples e viável. Essa oportunidade de ser a campeã nacional tem sido incrível ao meu projeto, porque além de me ajudar no desenvolvimento, ainda ajuda a acelerar o processo e aumentar a visibilidade. Dessa forma, é possível alcançar pessoas interessadas a embarcar nessa comigo, para que possamos mudar, rapidamente, os dados mundiais [de falta de distribuição de água potável a todos]”, conta a estudante, que receberá diversos recursos para desenvolver o seu projeto, como cursos, mentorias, softwares e acesso a um coworking.

Anúncio

Para conquistar a sua vaga de finalista, Bárbara teve uma longa trajetória na competição, desde uma avaliação da comunidade local entre os meses de setembro e outubro, que foi levada em conta para a decisão final do painel de jurados, até a seleção dos 10 projetos finalistas – onde seu projeto foi escolhido. Nesta última etapa, sua ideia foi julgada por Tallis Gomes, fundador da Easy Taxi e da plataforma de educação Gestão 4.0, Isabela Matte, empresária e eleita na seleção ‘30 under 30’, da Forbes e Runiet Skoberg, Sr Solutions Manager da NTT. No mês de dezembro, os vencedores dos mais de 30 países participantes embarcarão rumo à Istambul, na Turquia, para a final mundial do programa, e a mineira representará o Brasil.

“O Aqualux é um produto extremamente interessante dadas as suas características técnicas e do ponto de vista dos benefícios que oferece. Só no Brasil, o número de pessoas que não possui acesso à água potável é de 35 milhões de indivíduos, demonstrando um grande potencial de impacto. Agora, precisamos focar no desenvolvimento de alguns pontos: tornar o empreendimento escalável, mapear os diferenciais competitivos mais atrativos para os investidores e ampliar o mercado de potenciais consumidores. O produto agrega valor para a sociedade, e por isso precisamos estruturá-lo enquanto negócio.” comenta Gomes, um dos principais nomes do empreendedorismo nacional.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades