Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

Seguramente, é a maior diversidade de India Pale Ales, Stouts, Pilsners, Weissbiers, Dubbels e tantos outros estilos de boas cervejas artesanais servidas ao ar livre em toda Minas Gerais. E que podem ser acompanhadas por hambúrgueres, pizzas, massas, petiscos à base de frutos do mar, hot dogs, tortas de chocolate e, ainda, farta dose de de rock’n’roll, blues, country music apresentados por bandas locais da melhor qualidade. “É tudibom”, como diria minha vizinha de muro, a nutricionista Emilia Gramiscelli, do alto do seu autêntico sotaque mineiro e sapiência gastronômica, comprovada como requintada produtora artesanal de doces, tortas e bombons.

Estamos falando do “Projeto Experimente”, iniciativa que visa à valorização dos cervejeiros artesanais mineiros e se realiza todo segundo sábado de cada mês, a partir de 11 horas da manhã, na praça dos Quatro Elementos, bairro Jardim Canadá, Nova Lima. O evento é parte importante do mapa gastronômico do estado, reunindo mais de oito mil pessoas mensalmente (e crescendo a cada edição), instalado quase ao lado da rodovia que liga Belo Horizonte ao Rio de Janeiro, altura do Posto Chefão.

Criada em novembro de 2014, a “Experimente” já é considerada a maior feira de cervejas artesanais do estado considerado a “Bélgica brasileira”, pela qualidade das bebidas aqui produzidas. Envolve, em cada edição, mais de 30 fábricas artesanais de diversos portes e origem, dezenas de espaços gastronômicos e expositores de produtos regionais como queijos, cafés, cachaças, quitandas, doces, artesanatos, design e, até, uma feira de adoção de animais, em ambiente excelente estrutura física e de segurança.

Engana-se quem pensa que o criador da “Experimente” é um cervejeiro ou chef de cozinha. Ele é Bruno Lins, formado em Composição Musical pela UFMG, mas que tem na bagagem mais de dez anos como distribuidor de bebidas e promotor de eventos na área. “Além de boas cervejas e boa comida, uma das receitas do nosso sucesso é a boa música. No palco da Feira apresentam-se, mensalmente, várias bandas e DJs convidados, num espaço permanente para difusão da música produzida em Minas e no Brasil”, explica Lins, um expert no assunto.

Para quem está começando na área de cervejas artesanais, atualmente a Feira é uma excelente vitrine para seus produtos, que são apresentados ao público certo: pessoas que sabem valorizar a qualidade e estarão sempre em busca de uma boa bebida ou comida em qualquer lugar. Mas a “Experimente” também possibilita às cervejarias já consagradas ampliar o seu mercado, como é o caso da Cervejaria Küd, presente desde a primeira edição, cuja fábrica está localizada na mesma praça onde se realiza o evento.

A ‘Experimente’ tornou-se uma referência na área e foi inspirada no biergarten que promovemos para comemorar os aniversários da nossa cervejaria. É o mesmo modelo: boas cervejas, comida e música, só que num formato mais amplo. Ficamos muito satisfeitos com o sucesso da Feira e com o objetivo que vem cumprindo de valorizar os fabricantes artesanais”, afirma Bruno Parreiras, um dos proprietários da Küd.

ESCOLA EXPERIMENTE

Além da Feira, existe a Escola Experimente, um espaço de referência educacional em cerveja e gastronomia, oferecendo diversos cursos para atender tanto a iniciantes, quanto ao público mais experiente que deseja aprofundar conhecimentos técnicos. A escola existe há pouco tempo no bairro Santo Antônio, em Belo Horizonte, com cursos regulares de produção de cerveja caseira, harmonização e introdução às principais escolas e estilos de cerveja.

Agora, estamos avançando para atividades mais técnicas e aprofundadas, como elaboração de rótulos, desenvolvimento de trilhas de sabor, abordando o processo de criação de um prato e gestão sensorial de cerveja, tendo como docentes profissionais com experiência teórica e prática”, diz o coordenador Rafael Reis, estudioso de cerveja há mais de dez anos e produtor caseiro desde 2011. Ele é pós-graduado em Tecnologia Cervejeira, sommelier de cerveja, gestor sensorial e, ainda, fundador da Cerveja Dos Reis, empresa que atua na área de consultoria e educação cervejeira.

BOX

A CERVEJA DA VEZ

Califórnia Common “Dos Caras”

Califórnia Common é um estilo híbrido produzido com leveduras Lager em temperatura de fermentação Ale. O resultado é uma cerveja refrescante, rica em aromas, também conhecida por Steam Beer (cerveja no vapor). Foi o primeiro estilo tipicamente americano, desenvolvido por imigrantes alemães que brassavam grãos de cevada em grandes recipientes abertos de cobre.

A Califórnia Common produzida pela Cervejaria dos Caras, de Belo Horizonte, é de cor âmbar, translúcida, mostrando boa formação de espuma, de média permanência. No início, já dá para perceber o domínio do aroma do malte sobre o lúpulo.  É no sabor que irá aparecer o amargor e a cerveja mostrará a sua fermentação diferenciada num corpo leve e com alguma picância. A percepção do malte é dominante, com leve tostado e dulçor, mas no aftertaste predomina o lúpulo Northern Brewer. O final é seco e a cerveja é de ótima drinkability.

O ABV (teor alcoólico) é 5,5% e o IBU (índice de amargor) 40. Harmoniza com linguiça de porco, carnes grelhadas e assadas e deve ser servida em temperaturas variando entre 5 e 7 graus centígrados. As qualidades de uma Califórnia Common podem ser melhor percebidas num copo tipo Pint.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *