Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Empresa se estruturou para atender a alta demanda para distribuição de imunizantes, inclusive para a Covid-19, por meio do transporte com origem nos aeroportos e armazenagem refrigerada para posterior entrega da carga aos postos de saúde e laboratórios

O início da vacinação contra a Covid-19 na Europa e as perspectivas para o Brasil em 2021 acendem um sinal de alerta em relação à importância da logística para a importação e distribuição das vacinas no país. Segundo o Ministério da Saúde, um total de 300 milhões de doses de imunizantes já estão sendo negociadas e o processo de vacinação está previsto para ocorrer no início de março de 2021 ou pode ser antecipado para as próximas semanas. Nesse cenário, empresas se movimentam para garantir, inicialmente, a infraestrutura logística necessária para o abastecimento aos postos de saúde do país e, num segundo momento, aos grandes laboratórios e redes de drogarias.

Para atender as instituições governamentais com eficiência logística no Sudeste, a Tora —uma das maiores empresas de soluções logísticas integradas do país— já atua no processo de transporte e armazenagem de vacinas e tem o objetivo de dobrar a capacidade de armazenamento refrigerado no recinto alfandegado CLIA (Centro Logístico Industrial Aduaneiro), localizado em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, que possui infraestrutura de 75 mil metros quadrados de armazenagem, estrutura para cargas refrigeradas e contêineres, além de ramal ferroviário. Com a expansão, será possível armazenar cerca de 7 milhões de doses de vacinas.

Anúncio

Especialistas no setor de vacinas indicam, entre os principais fatores para uma gestão logística eficiente, a rapidez na distribuição, com o objetivo de não gerar aglomerações nos postos de saúde, além de uma refrigeração adequada para que os imunizantes não percam o efeito. Outro fator decisivo é o planejamento. O diretor comercial da Tora, Márcio Medina, destaca que a empresa já tem experiência na operação logística de vacinas no Brasil, que inclui o recebimento da carga importada em aeroporto, transporte com DTA (Declaração de Trânsito Aduaneiro) para o Clia e armazenamento em câmara fria com acompanhamento de profissionais para a manutenção da qualidade dos produtos. “Desde 2019, somos os responsáveis pela logística da vacina contra a Meningite C para a Fundação Ezequiel Dias (Funed)”, afirma.

A Tora também foi contratada para a operação logística de cerca de 2 milhões de testes de Covid-19 durante a pandemia e operacionalizou a logística de kits de EPIs e outros itens para o combate à doença. “Além de termos toda a estrutura logística para atender as instituições governamentais, estamos mobilizados enquanto cidadãos para apoiar a população brasileira a superar esse momento”, ressalta Medina.

 Criada em 1972, a Tora é uma das maiores empresas de soluções logísticas integradas do país e atua nos segmentos de transporte rodoviário no Brasil e Mercosul, terminais multimodais e recintos alfandegados. Também mantém uma divisão para comercialização de veículos seminovos.

A empresa, com 1.500 colaboradores diretos e cerca de 1.000 profissionais agregados, tem matriz em Contagem (MG). São 61 filiais em 12 estados brasileiros e quatro no exterior (duas na Argentina, uma no Chile e uma no Uruguai). Atualmente, atende os clientes com frota própria de aproximadamente 450 cavalos mecânicos e 2 mil carretas monitorados por modernos recursos tecnológicos.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades