Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

 Presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, comemorou votação da Câmara

O presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domin-gos, comemorou a regulamentação da terceirização, aprovada na quarta-feira, 22 de março, pela Câmara dos Deputados. Afif é defensor do modelo e acredita que a contratação de empresas terceirizadas é uma das saídas para a crise. “A terceirização é um fator de geração de emprego. É uma oportunidade para o surgimento de muitas atividades para novos empreendedores que hoje são trabalhadores. O operário vira empresário”.

De acordo com pesquisa realizada pelo Sebrae, 41% dos donos de pequenos negócios acreditam que poderão aumentar o faturamento com o fornecimento de serviços terceirizados. “A terceirização irá permitir que as empresas participem de cadeias produtivas como prestadoras de serviços especializados ou tenham contratos de trabalho que sejam adequados às modernas relações que a CLT não contempla e traz insegurança jurídica”, pontua Afif.

A pesquisa do Sebrae também apontou que apesar da terceirização ser uma possibilidade para au-mentar o faturamento das empresas, menos da metade dos empreendedores pensam em terceirizar a sua própria mão de obra. O levantamento constatou que duas em cada três micro e pequenas empresas com empregados não têm interesse em terceirizar parte das suas atividades-fim. “Esse resultado reforça mais ainda a minha tese: a regulamentação da terceirização não deve ser confundida com a precarização da força de trabalho. Precarização é a falta de trabalho”, conclui o presidente do Sebrae.

Entre os pequenos negócios que veem oportunidades em oferecer serviços para as médias e gran-des empresas estão os de reparação de veículos e de equipamentos, de promoção de eventos, os de serviços de transporte e hospedagem e os ligados à construção civil. As atividades ligadas à educação também são vistas como promissoras para oferecer serviços terceirizados.

Verdemar cresceu em 2016 cerca de 2% acima da inflação e prevê a abertura de mais 4 lojas em 2017

Ao comprar, em 1993, a primeira loja Verdemar, localizada no bairro São Pedro, Alexandre Poni e Hallison Moreira não imaginavam que hoje teriam tanto a comemorar. Com 24 anos de mercado, celebrados no mês de março e 3.200 funcionários, distribuídos em 9 unidades (lojas e indústria), nos bairros São Pedro, Sion, Buritis, Jardim Canadá, Cidade Jardim, Lourdes e Savassi, o Verdemar consagrou-se como referência na capital mineira em gastronomia e produtos diferenciados, sem perder, porém, competitividade nos produtos de compra básica.

Em 2016, ano de instabilidade econômica e queda generalizada no consumo, o Verdemar cresceu cerca de 2% acima da inflação. A projeção para este ano é a abertura de, pelo menos, mais 4 lojas, sendo uma delas no Pátio Savassi e outra, na região da Pampulha. Com a expansão, aproximadamente mais 1.000 empregos serão gerados.

Para Poni, o segredo desta trajetória de sucesso é escutar o consumidor. “Nossas lojas foram se desen-volvendo com base no que os clientes buscavam. Nos adaptamos às demandas do mercado e, até hoje, ao fim de cada compra, perguntamos ao cliente se algo que ele buscava não foi encontrado. Assim, temos um bom indicador do caminho a seguir”.

As operações agregadas ao supermercado fazem sucesso entre os clientes. Na Padaria Verdemar, mais de 900 itens são produzidos diariamente, tendo como base produtos nacionais e importados de alta qualidade e equipamentos de última geração. A Pizzaria apresenta 65 sabores, com opções de pizza light e sem lactose, além dos calzones. Nas lojas da Raja Gabáglia, Diamond Mall e Jardim Canadá, os clientes dispõem de Parrilla, no estilo típico uruguaio ou argentino. Além dessas, cafeteria, creperia, tapiocaria, grill, adega, espaço bem-estar e comercialização de saladas prontas, buffet japonês, yakisoba, frango assado e produtos de produção própria, como su-cos, caldos e o premiado Pão de Queijo Verdemar.

A rede é também detentora da reconhecida marca premium de carnes Bulllight, adquirida em 2006, que ofe-rece produtos diferenciados aos consumidores, seguindo os mais altos padrões industriais e inscrições junto aos órgãos reguladores. Entre as opções, há novilhos precoces, carnes suína e de frango, cortes in natura e temperados.

Outro grande diferencial são os profissionais especializados à disposição para auxiliar nas compras, como wine sommelier, beer sommelier, fromager e nutricionista (mediante agendamento). Nesse sentido, a gestão de pes-soas é outro investimento da rede que garante a longevidade do negócio. “Nos preocupamos com o desenvolvimento dos colaboradores. Temos muitos funcionários que fizeram carreira aqui no Verdemar, passando por vários setores da empresa. Além disso, temos programas de in-clusão social voltados para pessoas com deficiência e em sofrimento mental”, pondera Moreira.

SUSTENTABILIDADE

Apoiador das causas relacionadas à preservação do meio ambiente, o Verdemar foi o primeiro supermercado a erradicar o uso de sacolas plásticas para os clientes em compra, contribuindo com a redução e, também, o descarte inadequado do material na capital.  “Temos duas linhas exclusivas de sacolas retornáveis, desenhadas pelo Ronaldo Fraga, à disposição para compra”, destaca Poni.

Outro serviço oferecido aos clientes é a caixa ecológica, que permite ao comprador descartar as embalagens dos produtos logo após a compra. “A caixa ecológica já funciona muito bem em diversos países mais avançados na educação ambiental. O cliente carrega me-nos peso e enche menos o lixo de casa. E nós damos a destinação correta para os materiais recicláveis”, conclui Moreira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *