Supermercados mineiros acumulam crescimento de 3,88% de janeiro a junho
Supermercados mineiros acumulam crescimento de 3,88% de janeiro a junho
Supermercados mineiros acumulam crescimento de 3,88% de janeiro a junho
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

No primeiro semestre de 2021, os supermercados mineiros acumulam crescimento de 3,88% nas vendas. É o que revela o Termômetro de Vendas, pesquisa mensal da Associação Mineira de Supermercados (AMIS), referente a junho, com empresas de todos os portes em todas as regiões do estado.

Na comparação com o mesmo mês do ano passado (junho/21 sobre junho/20), também houve crescimento, com variação de 2,60%. Já em relação a maio, o setor apresentou retração nas vendas, com desempenho negativo de 1,50%.

Os dados estão deflacionados pelo IPCA/IBGE.

Anúncio

Crescimento no semestre – O resultado do setor no semestre está alinhado com as projeções feitas pela AMIS no início do ano, que é de um crescimento de 4,20% para todo o exercício. Esse desempenho sobre o mesmo período de 2020 mostra que, mesmo com os altos custos tanto de produtos quanto de operação de lojas, o setor vem sobressaindo bem à pandemia. Aponta também o aumento da confiança dos empresários e consumidores em um cenário de recuperação da economia, especialmente, com o avanço da vacinação.

Junho X maio – Por outro lado, a retração em junho mostra que fatores diversos impactaram o setor, como a taxa de desemprego (14,7%); a redução do auxílio emergencial; decretos municipais restringindo o funcionamento dos supermercados, com o fechamento em determinados dias ou a redução de horário. O calendário também influenciou: junho, com 30 dias, teve quatro finais de semana, enquanto maio (31 dias) teve cinco.

A boa notícia da gradual abertura de outros segmentos da economia também afeta as vendas nos supermercados; porque divide a renda, já pequena, de um consumidor com necessidades e desejos de compras de outros itens de consumo.

Regiões (quadro 2): Na avaliação por região, no acumulado do semestre, o maior resultado positivo ocorreu na Central, com 6,94%. Já a maior retração foi verificada no Centro-Oeste, com -2,15%. Em junho sobre maio, o melhor desempenho (+1,06%) ocorreu também no Centro-Oeste, o que já mostra uma recuperação da região. A maior retração no mês ocorreu no Sul (- 4,89%), exatamente uma das regiões mais impactadas por decretos municipais que restringiram o funcionamento do setor por motivo da pandemia.

Novas lojas e mais empregos

No primeiro semestre deste ano, os supermercados abriram 29 lojas em Minas Gerais. Os novos empreendimentos contemplaram todas as regiões do estado e todos os formatos de lojas. Essas novas unidades representaram a geração de 3.150 novos postos de trabalho.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades
  1. VARIAÇÃO ACUMULADA 2021 – JANEIRO A JUNHO
Mês Vs. mês anterior VS. mesmo mês ano anterior Acumulado do ano
Janeiro -18,98% 12,84% 12,84%
Fevereiro -7,67% 2,08% 7,41%
Março 9,93% 0,25% 4,82%
Abril -1,62% 6,18% 5,16%
Maio 0,56% 0,32% 4,14%
Junho -1,50% 2,60% 3,88%

 

  1. VARIAÇÃO REGIONAL
Mês Vs. mês anterior VS. mesmo mês ano anterior Acumulado do ano
Central -1,98% 3,58% 6,94%
Centro-Oeste 1,06% 2,45% -2,15%
Norte/Noroeste -1,77% -3,52% -1,84%
Rio Doce/Muc./Jeq. -3,87% -0,46% 2,30%
Sul -4,89% -4,18% 0,82%
Triâng./Alto Paran. -0,82% 5,10% 4,93%
Zona da Mata 0,18% 3,58% 3,90%