Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

Considerado como na contramão dos demais estados da Região Sudeste, Minas Gerais registrou aumentos no seu índice de mortes violentas entre 2001 e 2011, saltando de 49 para 73 por cem mil habitantes – o que corresponde a um aumento de 48% no referido período.

A informação é do DATASUS que ainda revela que houve aumento em Minas tanto entre mortes no trânsito quanto assassinatos. Em 2011, 33% das mortes violentas foram acidentes de transportes e 30% por homicídios no estado.

Para Luiz Flávio Sapori, coordenador do Centro de Estudos e Pesquisa em Segurança Pública da PUC Minas, o aumento do tráfico de drogas e a ineficiência das forças de segurança são responsáveis pelo crescimento da violência no estado.

Segundo ele “na última década, houve uma consolidação do tráfico de drogas no estado, principalmente do crack, diferentemente dos estados do Rio e São Paulo, que já viveram esta realidade há 20 anos.O tráfico é um dos fatores. O outro diz respeito ao aparato de segurança, defasado e ineficiente”. Não se trata de um problema só da polícia, mas envolve a morosidade da justiça e a superlotação dos presídios, afirmou.

Em relação aos homicídios em Minas Gerais, em dez anos houve crescimento de 80,7%; Enquanto em 2001 foram registrados 2.344 casos, em 2011 foram 4.235. Os dados são do Mapa da Violência 2013 – Homicídios e Juventude no Brasil, do Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos, que traz comparações no período de 2001 a 2011.

No estudo, Minas destoa da Região Sudeste, como o único estado a ter aumento no número de crimes. No Rio de Janeiro e em São Paulo, houve queda de 37,9% e 64,2%, respectivamente. Na Região Sudeste como um todo, o declínio foi de 40,1%.

De outro lado, quando o assunto é a violência contra jovens, Minas também se destaca de forma negativa. No período, houve um crescimento de 77,5% no número de homicídios na faixa etária de 15 a 24 anos, superando também os indicadores dos outros estados do Sudeste. Na média do país, a violência contra os jovens também subiu. Considerando apenas os casos de homicídios, o aumento chega a atingir 326,1%.

Com o aumento da criminalidade, Minas iguala alguns de seus índices a São Paulo e Rio de Janeiro, onde historicamente as ocorrências eram maiores.

 

PARTICIPAÇÕES INTERNACIONAIS

Nomes de relevância em todo o mundo participaram das mesas-redondas e discussões do CMUC. Entre as presenças mais esperadas está a do cardeal ganês e presidente do Pontifício Conselho de Justiça e Paz no Vaticano, Peter Turkson, um dos grandes favoritos a Papa na última eleição. Ele comandou a conferência Desafios para a educação católica no novo milênio, que ocorreu na tenda principal do CMUC no dia 19 de julho.

Também participaram o cardeal brasileiro Dom Raymundo Damasceno Assis, presidente da CNBB; do professor americano e diretor do Instituto de Administradores em Educação Superior Católica, Michael James; do italiano Dom Bruno Forte; do ativista social indiano e diretor da Universidade Pés Descalços, prof. Bunker Roy; da neozelandesa e especialista em empreendedorismo social, profª. Meagan Carnahan; teóloga francesa irmã Nathalie Becquart; da haitiana irmã Martha Seide, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *