Papéis de empresas brasileiras se destacam entre as mais negociadas em janeiro
Papéis de empresas brasileiras se destacam entre as mais negociadas em janeiro
Papéis de empresas brasileiras se destacam entre as mais negociadas em janeiro
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Levantamento realizado pela Stake, de um lado, o Nubank vê queda em suas ações, do outro, a Vale sente os impactos da alta do minério

Em um mês marcado pela queda das bolsas nos Estados Unidos e a disparada da volatilidade nos mercados americanos, investidores brasileiros aproveitaram a baixa das cotações para adquirir ações de tecnologia, é o que aponta o levantamento realizado pela fintech Stake, plataforma que conecta pessoas de diferentes países ao mercado de ações americano. No último mês, duas companhias brasileiras se destacaram: Nubank e Vale.

“Dentre as primeiras posições das ações mais negociadas por brasileiros nas bolsas americanas, vemos os papéis da Alphabet, holding detentora do Google, que disparou depois que a companhia divulgou os resultados do quarto trimestre de 2021. Quem não teve a mesma sorte foram os compradores da Tesla, já que mesmo após divulgar um balanço extraordinário, a companhia rebaixou o seu guidance para 2022 por acreditar que a crise logística deve persistir e impactar sua receita durante o ano”, avalia Rodrigo Lima, analista de investimentos e editor de conteúdo da Stake.

Ainda segundo o ranking de ações mais negociadas de janeiro, as brasileiras ganharam destaque. A primeira é o alto volume de negociação das ações do Nubank, cujas ações caem mais de 33% desde o seu IPO em dezembro, perdendo o posto de maior banco da América Latina. Com isso, alguns brasileiros aproveitaram as cotações mais baixas para ir às compras enquanto outros desistiram do case e zeraram suas posições.

“Outro caso curioso foi notar que os ADRs da Vale estavam entre os dez ativos mais negociados do mês, o que mostra que muitos brasileiros já estão utilizando a plataforma da Stake para consolidar seus investimentos. O grande volume de negociação das ações da mineradora é explicado pela alta do minério de ferro, que impulsionou o preço das ações da companhia”, avalia o especialista.

Os ETFs mais negociados pelos brasileiros

Em relação aos ETFs mais negociados dentro da plataforma, o brasileiro manteve sua procura por investimentos imobiliários nos EUA por meio dos REITs. Não à toa, foi observado um grande volume de negociações do REIT Vanguard ETF (VNQ), que lidera o ranking de ETF mais negociados por brasileiros em janeiro.

“É possível que a atual incerteza regulatória do investimento em fundos imobiliários no Brasil tenha aumentado o interesse dos brasileiros nesse tipo de ativo”, pontua Lima. Além disso, vemos o interesse em dividendos por meio dos ETFs S&P 500 Dividend Aristocrats Proshares (NOBL), que investe nas maiores pagadoras de dividendos do índice S&P 500; e do Global X SuperDividend ETF (SDIV), que escolhe as maiores pagadoras de dividendos de todo o planeta.

Também com o aumento da volatilidade em Wall Street, os brasileiros utilizaram instrumentos sofisticados para lucrar mesmo nos momentos de queda das bolsas. Isso é observado no alto volume de transações do ProShares Ultra VIX Short-Term Futures ETF (UVXY), que replica o VIX, índice de volatilidade da bolsa de opções de Chicago (CBOE) com alavancagem de 1,5x, bem como no alto volume de negociações do ProShares UltraPro Short QQQ (SQQQ), que aposta na queda do índice da Nasdaq-100 com alavancagem de 3x, isso é, se o índice da Nasdaq cai -2%, o fundo sobe +6% e vice-versa.

Lista completa das dez ações e ETFs mais negociados por brasileiros na Stake em janeiro:

 

Ranking de Janeiro
  Ações ETFs
1º  Apple, Inc. (AAPL) REIT Vanguard ETF (VNQ)
Tesla, Inc. (TSLA) ProShares Ultra VIX Short-Term Futures ETF (UVXY)
Microsoft Corporation (MSFT) Invesco QQQ Trust Series 1 (QQQ)
Meta Platforms Inc (FB) S&P 500 Vanguard ETF (VOO)
Coca-Cola Company, The (KO) Global X SuperDividend ETF (SDIV)
NU HOLDINGS LTD. (NU) Core S&P 500 iShares ETF (IVV)
Amazon.com Inc. (AMZN) Global X Uranium ETF (URA)
Walt Disney Company, The (DIS) S&P 500 Dividend Aristocrats Proshares (NOBL)
Alphabet Inc. – Class A Shares (GOOG) Global X NASDAQ 100 Covered Call ETF (QYLD)
10º  Vale S.A. (VALE) ProShares UltraPro Short QQQ (SQQQ)

 

Fundada em 2017 na Austrália, a Stake é uma plataforma que conecta pessoas que estão fora dos EUA ao mercado de ações americano, levando a todos as oportunidades de Wall Street de forma rápida e descomplicada. Com mais de 350 mil clientes na Austrália, Reino Unido e Nova Zelândia, a plataforma chegou à América Latina em 2020 oferecendo atendimento em português, taxa zero de corretagem, sem investimento mínimo e acesso a mais de 6 mil ações e ETFs listados nas bolsas americanas, além da possibilidade de investir de forma fracionada, ou seja, comprar qualquer quantia em dólar de qualquer ação.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades