Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Depois de extremo pessimismo no auge da pandemia do coronavírus, os executivos do setor de infraestrutura voltaram a apontar otimismo para assuntos como crescimento econômico, cenário para promoção de investimentos e contratação de funcionários. Esse retrato emerge da 4ª edição do Barômetro da Infraestrutura Brasileira, sondagem semestral realizada pela Abdib e pela EY em parceria entre executivos e especialistas que lideram projetos de investimentos e gerenciam contratos nos setores de infraestrutura.

O Barômetro da Infraestrutura Brasileira coletou a opinião de 142 pessoas entre 2 e 18 de setembro sobre temas como crescimento econômico e cenário para investimentos, esforço do Estado em prol da infraestrutura, apoio aos entes subnacionais, governança pública para processos relacionados à infraestrutura, segurança jurídica, papel dos órgãos de controle e finanças verde. O objetivo é sempre identificar o ânimo e as expectativas dos profissionais do setor sobre assuntos essenciais aos investimentos e ao desenvolvimento de projetos.

Crescimento econômico – Os executivos e especialistas dos setores de infraestrutura foram questionados sobre a expectativa deles com relação ao crescimento econômico do país para os próximos seis meses e para 2022, no fim do atual mandato presidencial.

Anúncio

Uma parcela de 30,3% dos profissionais indicou otimismo para o curto prazo (próximos seis meses) – na pesquisa anterior, no primeiro semestre de 2020, somente 3,3% estavam otimistas. Na contramão, estão pessimistas 26,1% dos entrevistados – eram 84,4% no primeiro semestre. Conjunto relevante, com 43,0% dos respondentes, optaram por uma expectativa estável – eram 9,1% antes.

Quando o horizonte é o fim de 2022, o otimismo voltou também a prevalecer. Mais da metade dos entrevistados (55,6%) apresentam expectativa otimista (eram 40,3% no primeiro semestre), 31,7% optaram por um cenário estável para o crescimento econômico em 2022 (eram 28,6% na pesquisa anterior) e 9,9% indicaram pessimismo para o fim do atual mandato presidencial (eram 29,9% antes).

Nos dois cenários, tanto para os próximos seis meses quanto para o fim de 2022, a parcela de executivos e especialistas com expectativas otimistas sobre o crescimento da economia voltaram aos mesmos patamares do primeiro semestre de 2019, no início do atual mandato presidencial.

Cenário para investimentos – Os executivos e especialistas também foram instigados a indicar como visualizam qualitativamente o cenário para promoção de investimentos em infraestrutura no país nos próximos seis meses. A percepção sobre essa questão também voltou a melhorar em intensidade equivalente à deterioração registrada no semestre anterior.

Entre os participantes da pesquisa, mais da metade (52,1%) classificou o cenário para investimentos como favorável (eram 17,5% no primeiro semestre), 21,8% enxergam o cenário como desfavorável (eram 61,0%) e 24,7% consideram o cenário estável para inversões nas áreas de infraestrutura (eram 21,4% antes).

Acesse a 4ª edição do Barômetro da Infraestrutura Brasileira.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades