Orvieto - Pérola medieval no coração da Itália
Orvieto - Pérola medieval no coração da Itália
Orvieto – Pérola medieval no coração da Itália
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Paulo Queiroga

A Úmbria é um território italiano vizinho da Toscana e do Lácio, localizado no centro do país, conhecido pelas cidadezinhas medievais cravadas nas montanhas, pelas florestas densas e pela maravilhosa culinária típica, pelos bons vinhos e é chamado de “coração verde” da Itália. Perúgia é sua capital regional que, também fica no alto de uma colina e será tema futuro e nosso roteiro pelo centro da Itália.

 

Toda essa região da úmbria, por ser formada por pequenas cidades, pode ser conhecida pelo turismo do tipo “bate volta” de um dia. Mas, seria um desperdício, pois cada uma das cidades guarda um tesouro inesquecível, de ficar para sempre em nossa vida. Esta região é a memória da civilização desde a antiguidade e, principalmente, da Idade Média e do Renascimento italiano.

 

Uma das cidadezinhas inesquecíveis e relativamente pouco conhecida pelo turismo é Orvieto. A cidade cravada no topo de um penhasco de rocha de argila de 300 metros de altura, foi a capital dos Etruscos nos séculos VI e VII antes de Cristo. Depois, se transformou em um centro romano. No ano de 1354, a cidade foi anexada ao território da poderosa Igreja papal. Com população atual em torno de 25 mil habitantes, Orvieto fica a uma hora e meia ao Norte de Roma. O caminho por estradas regionais já, em si, um passeio inesquecível.

 

No alto da cidade toda cercada por muros, no centro histórico, onde se chega por meio do funicular ou de ônibus, nos damos de frente à majestosa Piazza Del Duomo, uma das catedrais mais bonitas e monumentais igrejas da Itália.

 

A construção da Catedral teve início em 1290 e levou 300 anos para ficar pronta. Em estilo gótico-românico, ela é construída com basalto escuro e mármore branco e rosa e decorada com mosaicos de ouro. O interior impressiona pela beleza. Os relevos nas pilastras da fachada retratam episódios do antigo e do novo testamento. Na capela de S. Brizio estão localizados os afrescos do artista renascentista Lucca Signorelli, que, segundo a guia que nos acompanhou, fizeram com que FREUD visitasse a cidade. Também, os afrescos impressionantes de Fra Angélico sobre o Juízo Final inspiraram o fabuloso Michelângelo a fazer, mais tarde, a pintura do teto da Capela Sistina no Vaticano.

 

Conta-se que, em Orvieto, um padre, ao fazer a consagração da hóstia durante a missa, a hóstia milagrosamente se tornou avermelhada, como o sangue de Cristo e o sangue respingou em um linho usado na cerimônia de consagração. Este linho, considerado como uma relíquia da Igreja Católica, está hoje conservado numa das capelas da Catedral.

 

Orvieto já foi também residência dos Papas da Igreja Católica. No Palazzo dei Papi, ao lado da Catedral, funciona o Museu dell”Opera del Duomo, com pinturas, esculturas e peças artísticas que compõem o rico tesouro dos Papas e também um museu arqueológico com objetos da antiguidade estrusca.

 

A Torre dos Muros é outra atração belíssima no centro de Orvieto, não só pela estrutura com 47 metros de altura e 250 degraus, como também pela vista magnífica do alto da cidade. Sua construção data do ano de 1200 e simbolizava o poder de Orvieto na Idade Média.

 

O Pozzo de S Patrizio, com 62 metros de profundidade, 248 degraus e um impressionante sistema de escada em espiral, data do século XVI. Uma maravilha da engenharia e arquitetura medievais, que garantia o fornecimento de água caso a cidade fosse sitiada.

 

A Fortezza Dell´Albornoz, construída no século XIV como proteção contra invasores, é hoje um lugar agradável, com muito verde, lugar ideal para um relax depois de subir e descer tantas escadas e saborear os pães, vinhos e os famosos embutidos da Úmbria.

 

Todo o territóriop da Úmbria é uma região italiana que precisa ser degustada vagarosamente. É muita riqueza, história, arte e registro de milênios de civilização.

 

Chega a ser lamentável ver roteiros turísticos na região, em sua maioria, prevendo apenas um dia nessas dezenas de cidades. A rigor, seria para passar, no mínimo, uma semana em cada uma delas.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades