Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Investimentos do Banco do Nordeste na região crescem 34,1% no ano

 Vizinho de Goiás e próximo ao Sudoeste baiano, o Noroeste de Minas Gerais é uma região de características únicas no estado. As terras planas do Cerrado mineiro são consideradas uma fronteira agrícola ainda com alto potencial de crescimento. Os empresários rurais, em sua maioria vindos do Rio Grande do Sul décadas atrás, têm investido em suas propriedades e estão tornando a região conhecida por sua elevada produtividade. O Banco do Nordeste atua em parte do Noroeste de Minas e o superintendente estadual para o estado, Wesley Maciel, esteve no local durante o mês de novembro para conhecer melhor os impactos para o desenvolvimento promovidos pela expansão do agronegócio.

A região é destaque na produção de culturas como soja, milho, laranja, café e feijão e abastece mercados de diversos estados e países. Quando os gaúchos migraram para o Noroeste, incentivados por iniciativas como o Programa de Desenvolvimento dos Cerrados (Prodecer), encontraram terras ainda sem estrutura adequada para o plantio. O caminho encontrado foi investir em insumos de qualidade, sementes, máquinas, equipamentos e tecnologias e se organizarem por meio de iniciativas como a Cooperativa Agropecuária da Região do Piritinga (Coopertinga), no município de Formoso.

Anúncio

A entidade nasceu para prestar apoio aos agricultores na aquisição de insumos e no escoamento da produção. Atualmente tem no seu quadro 88 associados, de 36 famílias. O presidente da Coopertinga, Ernesto Pierdoná, acredita que a produtividade agrícola da região tende a crescer com o aumento das lavouras de café irrigado e vê nos recursos oferecidos pelo Banco do Nordeste uma ferramenta importante para impulsionar essa cultura.

“É muito bom ver como os agricultores enaltecem a presença do Banco do Nordeste e mostram que, depois que a instituição chegou, eles conseguiram avançar, com o nosso apoio. Atuamos muito forte em uma área importantíssima, a produção de alimentos, e isso reforça a decisão acertada de abrirmos a agência de Arinos e também a nossa ação enquanto banco de desenvolvimento”, destaca o superintendente Wesley Maciel.

O BNB está presente fisicamente na região há sete anos, desde novembro de 2013. A agência em Arinos atende também Formoso, Chapada Gaúcha, Riachinho e Urucuia, municípios integrantes da área da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) por terem características semelhantes aos nordestinos. Desde então, já foram aplicados quase R$ 300 milhões na economia do Noroeste mineiro, distribuídos em 9 mil operações.

Somente em 2020, a unidade já investiu R$ 65,2 milhões, valor 34,1% superior ao mesmo período do ano passado. Foram contratadas mais de 1.100 operações este ano, crescimento de 18,2% na comparação com 2019.

A comitiva do BNB contou com a participação do gerente de agência Arinos, Fabiano Lima, do gerente de negócios Marco Túlio de Campos Júnior e do gerente executivo de Gestão da Agricultura Familiar, Mini e Pequenos Produtores Rurais e Programas de Crédito Fundiário, Bruno Fortes.

A agenda do grupo incluiu visitas a propriedades rurais e reuniões com diversos clientes e interessados em operar com a instituição na região. Os gestores se encontraram com lideranças locais, como o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Augusto Nardes, prefeitos atuais e eleitos, e apresentaram a expertise do Banco do Nordeste na gestão de recursos de terceiros e as soluções para o setor público, via captação de Regimes Próprios de Previdência Social (RPPS) e Siconv. A comitiva também se reuniu com representantes do Instituto de Previdência Municipal de Chapada Gaúcha, com a participação, por videoconferência, da equipe do BNB especializada na distribuição e suporte de fundos de investimento.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades