Nível da população ocupada segue em recuperação, mas atividade fraca segue como fator limitante em 2022
Nível da população ocupada segue em recuperação, mas atividade fraca segue como fator limitante em 2022
Nível da população ocupada segue em recuperação, mas atividade fraca segue como fator limitante em 2022
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

A taxa de desemprego no trimestre encerrado em janeiro de 2022, medida pela PNAD Contínua, subiu para 11,2%, leitura 3,3 pontos percentuais abaixo da taxa registrada no mesmo trimestre do ano de 2021. O resultado veio um pouco abaixo das expectativas medianas do mercado (11,3% segundo a Bloomberg e a Agência Estado). Enquanto a população ocupada teve queda de 0,3%, a força de trabalho teve crescimento de mesma magnitude (+0,3%) em relação à divulgação anterior.

 

taxa de desocupação (11,2%) do trimestre móvel de novembro de 2021 a janeiro de 2022 recuou 0,9 ponto percentual em relação ao trimestre de agosto a outubro de 2021 (12,1%) e 3,3 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano anterior. A população desocupada (12,0 milhões de pessoas) recuou 6,6% (menos 858 mil pessoas) frente ao trimestre anterior (12,9 milhões de pessoas) e 18,3% (menos 2,7 milhões de pessoas desocupadas) em relação ao mesmo período do ano anterior (14,7 milhões de pessoas).

 

contingente de pessoas ocupadas foi estimado em aproximadamente 95,4 milhões, com alta de 1,6% (1,5 milhão de pessoas) ante o trimestre anterior e de 9,4% (8,2 milhões de pessoas) ante o mesmo período de 2021. O nível da ocupação (percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar), estimado em 55,3% cresceu 0,7 ponto percentual frente ao trimestre anterior (54,6%) e 4,3 pontos percentuais ante igual trimestre do ano anterior (51,1%).

 

taxa composta de subutilização (23,9%) caiu 1,9 ponto percentual em relação ao trimestre de agosto a outubro (25,7%) e 5,1 pontos percentuais na comparação com o trimestre encerrado em janeiro de 2021 (29,0%). A população subutilizada (27,8 milhões de pessoas) teve queda de 7,2% (menos 2,2 milhões) frente ao trimestre anterior (29,9 milhões) e de 15,5% (menos 5,1 milhões) na comparação anual (32,9 milhões).

 

população subocupada por insuficiência de horas trabalhadas (6,9 milhões de pessoas) apresentou redução em relação ao trimestre anterior, de -9,7% (menos 741 mil pessoas). Em relação ao trimestre encerrado em janeiro de 2021, este indicador apresentou estabilidade.

 

população fora da força de trabalho (64,9 milhões de pessoas) permaneceu estável quando comparada com o trimestre anterior e caiu (menos 3,9 milhões de pessoas) na comparação anual.

 

população desalentada (4,8 milhões de pessoas) teve redução de 6,3% (menos 322 mil pessoas) em relação ao trimestre anterior e de 18,7% (menos 1,1 milhão de pessoas) na comparação anual. O percentual de desalentados na força de trabalho ou desalentada (4,2%) registrou variação de -0,3 ponto percentual. frente ao trimestre anterior (4,5%) e de -1,2 p.p. frente ao o mesmo trimestre do ano anterior (5,4%).

 

taxa de informalidade foi de 40,4% da população ocupada, ou 38,5 milhões de trabalhadores informais. No trimestre anterior, a taxa havia sido de 40,7% e, no mesmo trimestre de 2021, 39,2%.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades