Minas Gerais se destaca e cresce no mundo cervejeiro com as artesanais
Minas Gerais se destaca e cresce no mundo cervejeiro com as artesanais
Minas Gerais se destaca e cresce no mundo cervejeiro com as artesanais
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Com o Brasil sendo o 3º maior produtor de cerveja do mundo, o estado mineiro tem aumento de 9,2% no registro de cervejarias.

Alguns dizem que a capital dos mineiros é lembrada pelos grandes bares e noitadas. Talvez esse seja um dos principais motivos para Minas Gerais se consagrar como o terceiro estado brasileiro com o maior número de cervejarias e empresas do ramo. Por aqui, são 178 cervejarias artesanais, conforme aponta o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Ainda segundo o órgão, apenas em 2020, o número de registros de cervejarias mineiras cresceu 9,2%.

Em termos mais abrangentes, o Brasil também é destaque neste mercado, ocupando a terceira posição entre os maiores produtores de cerveja do mundo, atrás apenas de China e Estados Unidos, segundo a Euromonitor. Já dados da Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil), apontam que a produção nacional é de aproximadamente 14 bilhões de litros por ano e representa 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB).

Com o aumento do setor cervejeiro, a média do consumo em 2020 subiu 2,7%, em relação ao ano anterior. Por isso, a expectativa para este ano é de recuperação total, uma vez que as cervejas artesanais têm se destacado no mercado.

“Quanto mais as pessoas passam a conhecer a cerveja artesanal, elas percebem que o que foi tomado até hoje, não era cerveja de verdade. Por isso, começam a buscar por algo de qualidade, mesmo que o preço seja mais caro. As cervejas normais têm muitas substâncias e acabam fazendo mal para o organismo no dia seguinte”, afirma Renê Brasil, mestre cervejeiro e proprietário do bar 50 Tons de Malte, em Tiradentes (MG).

Dessa forma, a indústria mineira tem abusado das experiências gastronômicas, a fim de conseguir espaço no mercado. E, claramente, tem dado certo, já que o setor no Estado emprega mais de oito mil pessoas, distribuídas em 442 empresas.

Minas Gerais apresentou no Anuário de Cerveja do ano passado, 1.233 novos produtos cervejeiros. A criatividade do povo mineiro é um forte potencial para o crescimento desse comércio, porque os produtores buscam inovar no sabor das cervejas para lembrar, não só do Estado, mas também da região que moram.

Por isso, os empresários dizem que essa tática tem funcionado, uma vez que os turistas procuram saborear alimentos e bebidas que remetem ao local que estão visitando. Antônio Lima, proprietário do Mercado Tunico, também em Tiradentes, diz que entrou no ramo cervejeiro há quatro anos e meio após ver o crescimento de turistas na cidade.

“Por mais que eu venda mais cervejas comuns, há uma procura muito grande dos turistas pelas artesanais. Por isso, procuro ofertar as que são produzidas em torno da região, como a Barock, de São João Del Rei, Albanos Uai, de Belo Horizonte, e a Tiradentina, que é municipal”, destaca o empresário.

A junção da gastronomia brasileira com a cidade histórica de Tiradentes, faz com que o município receba muitos turistas. E, pensando nisso, Renê deu sequência ao bar 50 Tons de Malte, destinado apenas para os amantes de cerveja artesanal. A casa tem sido um alvo dos cervejeiros, que vão em busca da Amor Sour, cerveja que tem um estilo diferente e abrasileirado. “É uma cerveja diferente, porque foi feita no estilo brasileiro. É uma bebida azedinha, com frutas vermelhas – que acaba se tornando um champanhe”, finaliza Renê.

De tão grande, o mercado cervejeiro possibilita que outros empreendimentos cresçam ao lado dele, visto que durante os eventos são oferecidos outros serviços para a população, como produtos artesanais, gastronomia variada e música de todos os estilos. Um exemplo de movimentação é o TremBier Festival, realizado em Tiradentes. A eventualidade conta com uma organização imensa para atender a média de 40 mil pessoas.

Nos dois últimos anos, a festa não ocorreu devido a pandemia de Covid-19. E por isso, a expectativa para os quatro dias de festival em 2022 está enorme. O TremBier Festival, que será realizado de 26 a 30 de abril do próximo ano, contará com grandes produtores de cervejas, além de agitar toda Tiradentes.

“É gostoso de ver a ansiedade do povo para o próximo TremBier Festival! A cidade recebe amantes cervejeiros de todos os lugares e o resultado que temos obtido é muito gratificante. Teve um ano, que a rede hoteleira local ficou em quase 95%. Com certeza em 2022 terá superlotação”, conta o Luiz César Costa, idealizador e coorganizador do Festival.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades