A arrecadação de Minas Gerais no exercício de 2019 somou R$ 63,593 bilhões e corresponde a uma expansão nominal de 7,01% em relação ao ano anterior, de R$ 59,426 bilhões. Descontada a inflação oficial do período medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA – de 4,31%, o aumento real verificado foi de 2,59%. A arrecadação tributária atingiu R$ 60,018 bilhões em 2019 e correspondeu a cerca de 95% do total da receita estadual. O ICMS – Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços alcançou R$ 51,028 bilhões – elevação nominal de 5,7% sobre o montante do ano anterior, de R$ 48,276 bilhões. O ICMS representou 80,9% da arrecadação total de Minas.

Dados disponibilizados pela Secretaria da Fazenda estadual revelam que que do ICMS recolhido no exercício de 2019, o setor de combustíveis e lubrificantes contribuiu com R$ 10,7 bilhões e o aglomerado comércio – outros, por R$ 10,2 bilhões e a energia elétrica recolheu R$ 6,99 bilhões.

Já a arrecadação do IPVA – Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores totalizou R$ 5,548 bilhões no ano passado (evolução de 9,4% em relação a 2018) e respondeu por 7,9% do recolhimento total estadual.