Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Levantamento realizado pela FinanZero indica que região tem média de 25% de aprovação; o Sul aparece em segundo lugar, com 23%, seguido pelo Sudeste (22%); Norte e Nordeste aparecem com 14%

A FinanZero, empresa que opera como buscador de empréstimos online, realizou um levantamento com 362 mil clientes para traçar o mapa dos empréstimos no Brasil. Segundo a pesquisa, a região Centro-Oeste possui a maior média de aprovação de crédito, com 25% de aprovados entre os que solicitaram um empréstimo. Na sequência, aparecem as regiões Sul (23%), Sudeste (22%), Norte (14%) e Nordeste (14%).

Um dos fatores que pode influenciar a taxa de aprovação é o percentual de empregados do setor privado (CLT) entre os solicitantes analisados. Nas regiões com maiores índices de aprovação, o número de empregados privados era maior no Sul (40%), Sudeste (39%) e Centro-Oeste (38%); já entre as regiões com menores taxas de aprovação, o número cai consideravelmente, com o Nordeste (29%) e Norte (30%).

“Além de possuírem 20% e 24% menos solicitantes que se classificam como
empregados privados, o Norte e o Nordeste, respectivamente, também são as únicas regiões onde o número de autônomos é superior às demais ocupações. Assim, a taxa de aprovação tende a ser menor devido à maior dificuldade em comprovar renda.”, afirma Cadu Guidi, diretor de marketing da FinanZero.

No Centro-Oeste, a melhor taxa de aprovação ficou entre pessoas com renda maior que R$ 3.850. Nesta faixa, o índice chegou a 37% dos solicitantes. Considerando o mesmo critério, teve 36% de aprovações no Sul; 35% Sudeste; 23% Nordeste; e 22% Norte. Ademais, a análise entre as pessoas com renda menor que R$ 1.615 demonstra que há uma queda na taxa de aprovação: Centro-Oeste com 14%; Sul 13%; Sudeste 13%; Nordeste 10%; e Norte 9%.

Ao detalhar a aprovação de crédito por valor, o estudo mostra que 31% das pessoa que solicitaram mais de R$ 9.000 tiveram seus pedidos aprovados na região Sudeste. Em contrapartida, quando analisado o mesmo valor na região Norte, a aprovação caiu para 18%. Solicitações menores que R$ 2.000 tiveram 24% de aprovação no Centro- Oeste, 20% no Sul e 20% no Sudeste. Norte e Nordeste apareceram ambos com 12% de aprovação.

Levantamento por idade, profissão e formação
Outro dado de destaque na pesquisa é o grau de instrução dos aprovados. No Brasil, quanto mais avançado o nível de escolaridade do cliente, maiores as chances de o pedido ser aprovado pelas instituições financeiras. Os dados coletados pela equipe da

FinanZero anunciam uma grande disparidade em questão de aprovação de pedidos entre os brasileiros que não possuem educação formal e os que possuem pós- graduação. A média dos clientes que não têm instrução formal e que conseguiram empréstimos é de 14%; 16% dos que concluíram o primeiro grau tiveram seus pedidos aprovados; 19% que concluíram o segundo grau; 28% dos graduados; e 39% dos pós-graduados.

Anúncio

De modo a relacionar a taxa de aprovação e a região de origem dos pós-graduados, foram obtidos os resultados apresentados a seguir. Na região Sul, 42% dos pós-graduados foram aprovados. No Sudeste e Centro-Oeste, a diferença foi pequena, com 41% dos aprovados. Já na região Norte, esse número diminuiu para 26%, enquanto, noNordeste, a porcentagem de aprovação dos pós-graduados aumenta para 27%.

A pesquisa também abarcou uma análise dos clientes aprovados utilizando suas idades como critério. Os resultados foram expressivos e a equipe descobriu que as pessoas que têm mais de 45 anos e são do Centro-Oeste possuem as maiores taxas de aprovação (29%). Além disso, a taxa média de aprovação para os solicitantes com menos de 28 anos é de 18%; enquanto entre os clientes de 29 à 35 anos é de 22%; 21% dos clientes entre 36 e 44 anos são aprovados; e 25% dos maiores de 45 anos.

Também foram identificadas as profissões dos aprovados. Os que possuem a maior taxa de aprovação são: empresários (26%), seguidos pelos empregados privados (25%), funcionários públicos (24%), aposentados (19%), profissionais liberais (19%) e autônomos (16%).

“Já cotamos empréstimos para mais de 3 milhões de pessoas em três anos de atuação no mercado brasileiro. Para 2019, nossa expectativa é fortalecer ainda mais a nossa plataforma de crédito para intermediar um total superior a R$ 400 milhões em créditos concedidos”, revela Olle Widén, CEO da FinanZero. “Em alguns casos, o solicitante pode receber propostas em até cinco minutos, graças a velocidade de todos os sistemas que estão integrados aos bancos e financeiras parceiros. Oferecemos três modalidades de crédito: empréstimo pessoal, refinanciamento de veículos e
refinanciamento de imóveis”, completa o CEO.

SOBRE A FINANZERO
A FinanZero é uma fintech de capital sueco que opera como buscador de empréstimo online para oferecer crédito pessoal junto a instituições financeiras. A empresa tem algumas das melhores taxas do mercado e consegue comparar de 1 até 10 empréstimos sem perder tempo. Todo serviço é 100% gratuito para quem solicita o empréstimo.

A FinanZero é um correspondente bancário regulamentado pela lei 3.954/11 do Banco Central do Brasil. Saiba mais em www.finanzero.com.br.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades