Lula fala sobre recuperar o país e gerar empregos
Lula fala sobre recuperar o país e gerar empregos
Lula fala sobre recuperar o país e gerar empregos
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse na manhã desta quarta-feira (9) que a retomada de crescimento do Brasil e a criação de emprego será uma obsessão de um eventual novo governo, se ele for candidato e ganhar as eleições. “Emprego é coisa extraordinária para manutenção do país harmônico. Emprego para mim é obsessão. Vamos fazer uma revolução silenciosa para gerar emprego envolvendo toda a sociedade brasileira”, disse ressaltando ainda não prometer milagre de primeira hora, mas política séria.

Segundo o ex-presidente, o que vai gerar emprego é o dinamismo da economia. “Quando a economia começa a funcionar, o comércio começa a vender, a indústria começa a produzir, a economia começa a crescer. Com a roda gigante funcionando, tudo melhora”, disse voltando a ressaltar que fundamental para o país voltar a crescer é incluir o pobre no orçamento e o rico no Imposto de Renda.

“Isso que temos que fazer. Isso que fizemos quando aumentamos o salário mínimo em 74% quando e criamos o Bolsa Família. Vamos fazer com que a economia volte a crescer. Eu fiquei um ano e meio desempregado, sei que a vida do desempregado é sofrida”, afirmou.

Para o país crescer, disse o presidente, é preciso investimento público, como foi feito durante os seus governos, entre 2003 e 2010. Ele contou ainda que, se ganhar, quer reunir governadores e prefeitos para discutirem conjuntamente as políticas que serão implementadas para desenvolvimento dos Estados e municípios.

Lula criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro, que não conversa com governadores e prefeitos, que “só conversa com o Twitter e com os filhos dele para contar mentiras por dia”.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que é necessário diálogo entre os setores da sociedade para recuperar o Brasil econômica e politicamente em um eventual novo governo.

“Quero conversar com todo mundo, com quem gosta de mim e com quem não gosta. Porque se a gente ganhar, vou ter que conversar com todo mundo, com quem gosta e com quem não gosta. Com o banqueiro e com o bancário, com o operário e com o empresário, para recuperar a destruição que foi feita neste país. Precisamos de todo mundo para recuperar este país, é uma tarefa para 213 milhões de brasileiros”, disse Lula.

Perguntado sobre o cenário eleitoral, em que pesquisas apontam uma vantagem significativa para sua candidatura, o ex-presidente pregou calma e lembrou seus resultados em outras votações.

“A gente não pode ser presunçoso quando disputa uma eleição. Eu nunca ganhei no primeiro turno. Disputando o segundo, eu consegui construir alianças políticas e me fortalecer. Quero mostrar o que aconteceu neste país no nosso governo. Não posso esquecer o legado que nós deixamos para este país. O presidente que está aí não liga para o Nordeste. Sempre recebi todo mundo, independente de partido. E é com essa disposição e civilidade que eu quero governar este país”, completou.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades