Lula diz que concluir BR-381 deve ser prioridade no Vale do Aço
Lula diz que concluir BR-381 deve ser prioridade no Vale do Aço
Lula diz que concluir BR-381 deve ser prioridade no Vale do Aço
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Durante entrevista concedida no dia 8 de junho, para a rádio Itatiaia Vale do Aço de Timóteo (MG), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que obras de infraestrutura como a conclusão da duplicação da BR-381 no trecho entre Belo Horizonte e Governador Valadares devem ser priorizadas no Vale do Aço. Ele também falou que é um admirador de Minas Gerais e do que o estado já fez pelo Brasil.

“No meu governo, a gente concluiu a duplicação da BR-381 de São Paulo a Belo Horizonte. A Dilma começou a fazer de Belo Horizonte a Governador Valadares, mas logo depois veio o golpe e a obra ficou paralisada. Também fizemos o contorno rodoviário da BR-381 em Ipatinga, que foi inaugurado pelo saudoso companheiro José de Alencar em Ipatinga. Isso tirou o trânsito das cidades de Timóteo e Coronel Fabriciano, foi um investimento que na época custou mais de R$ 60 milhões. Eu estou dizendo isso porque nós precisamos terminar esse trecho da rodovia BR-381. É uma estrada essencial”, afirmou.

Lula também destacou que tem uma ligação emocional forte com Minas Gerais e admiração por vários aspectos da cultura e do povo do estado.

“Tenho um carinho muito grande por Minas Gerais. Eu não sei se em algum momento da história um presidente visitou tanto Minas como eu, estive muitas vezes em todas as regiões de Minas Gerais. Sou um admirador do que o estado fez pelo Brasil, pela luta pela independência, admirador da cozinha mineira e do jeito dos mineiros de fazer política. O que eu gosto é que o mineiro sempre tenta encontrar uma solução pacífica, esse jeito de fazer política me agrada”, concluiu.

Para o ex-presidente, o fato de pesquisas, mesmo após os desmandos e mentiras da Lava Jato, mostrarem um desempenho forte de seu nome em Minas mostra a força das realizações que foram feitas no estado durante seu governo.

“Nós fizemos pelo povo. Se pegar Minas Gerais, nós tiramos 1,4 milhão de pessoas da extrema pobreza, fizemos três novas universidades federais, saímos de 23 para 65 escolas técnicas federais, uma em Ipatinga, 1.566 médicos no Mais Médicos em 510 municípios, 318 mil famílias no Luz Para Todos, 729 obras do PAC 1 e 2 concluídas em Minas Gerais, 231 obras que estavam com 90% concluídas”, listou ele.

Lula disse também que no estado, um dos mais importantes colégios eleitorais no país, a aliança com o PSD do ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil, pode ser essencial. “Tenho certeza que podemos ter um bom resultado em Minas, tanto eu quanto o Kalil, é uma chapa muito forte”, ressaltou.

Questionado pelos entrevistadores sobre como poderia auxiliar a região em relação a um de seus principais produtos, o aço, e em especial na relação com a China, que vende o mesmo produto, Lula afirmou que pensa em uma indústria siderúrgica com maior valor agregado como forma de incentivar o desenvolvimento.

“O aço é importante para Minas, para o Brasil e para o mundo. Eu tive brigas com a Vale porque achava que a empresa não deveria exportar só minério, mas produtos terminados, deveria ter mais usina para vender mais aço pronto para o mundo e não apenas para a China. Não fizeram a siderurgia que devia ser feita. Eu fui a Marabá lançar a pedra fundamental de uma siderúrgica e ela não aconteceu. Precisamos fazer com que as nossas usinas produzam mais valor agregado, mais tipos diferentes de peças. Quando fomos fazer a Transnordestina eu descobri que o Brasil não fazia mais dormente, tinha que importar trilhos, a gente não tinha mais fábrica, é uma vergonha”, relatou.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades