Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

“Para isso, precisamos modernizar a legislação, desburocratizar o empreendedorismo, melhorar o ambiente jurídico, ampliar a inclusão digital e investir em educação”

Durante o lançamento da Frente Parlamentar Mista de Economia e Cidadania Digital, o Presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Guto Ferreira, fez uma defesa enfática dos investimentos em inovação. “O Brasil não se tornará uma potência digital enquanto a inovação não for o pilar do desenvolvimento.

E para isso, precisamos modernizar a legislação, desburocratizar o empreendimento, melhorar o ambiente jurídico, ampliar a inclusão digital e investir em educação”, destacou o Presidente.

Convidada a apoiar a Frente Digital, a ABDI contribuirá com informações técnicas, levantamentos e análises de cenários,com o objetivo de aperfeiçoar a pauta legislativa voltada para a digitalização da economia. “Vamos trabalhar em conjunto com os parlamentares no apoio a diversas frentes, entre elas, o investimento em infraestrutura, a ampliação da conectividade e a aplicação das novas tecnologias, advindas da indústria 4.0”, adiantou o Coordenador de Economia Digital da ABDI, Rodrigo Rodrigues.

De acordo com Ferreira, as instituições estão perdendo importância por não conseguirem acompanhar a velocidade dos anseios do cidadão. “Isso aqui não é só uma Frente, mas um movimento que recupera a relevância do Parlamento porque busca acompanhar as mudanças do mundo digital, na velocidade que o cidadão e as novas gerações exigem”, acrescentou. O Coordenador da Frente e Deputado João Henrique Caldas (PSB/AL), afirmou que a iniciativa surgiu do desejo de unir o Brasil em favor do cidadão.

“Vamos discutir os marcos legais para a inovação e a economia digital, debater e propor ações para um governo digitalizado que possa oferecer serviços para simplificar a vida do cidadão, gerar redução de custos e, sobretudo, seremos um vetor para estimular o investimento do setor produtivo e impulsionar a economia”, elencou João Henrique.

“Recebemos a incumbência do Ministério da Economia de trabalhar na construção das bases para um Brasil Digital. Ao lado dos diversos atores, como os ministérios da Economia e da Ciência e Tecnologia (MCTIC), estamos empenhados na digitalização da economia brasileira”, frisou Ferreira. Ao final, o o Presidente da ABDI falou da Plataforma BIM (Building Information Modelling), uma metodologia de digitalização da construção. “Com o uso do BIM, é possível ter mais controle de todas as etapas da obra, maior transparência dos processos, precisão dos dados, previsibilidade dos erros, além de uma redução de, no mínimo, 15% no custo final da obra, seja ela privada ou pública.

É uma verdadeira revolução e uma clara resposta do Estado aos anseios da sociedade por maior produtividade, ética e compromisso com os recursos públicos”, finalizou Guto Ferreira.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades