Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

Com o objetivo de discutir os principais desafios para a inclusão financeira de bilhões de pessoas no mundo, Ann Cairns, presidente de Mercados Internacionais da MasterCard, participou do 8º do Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento (CMEP), no dia 29 de outubro, em São Paulo.

Ann abriu o congresso, um dos principais eventos da área na América Latina, lembrando que há 2,5 bilhões de pessoas no mundo que não possuem acesso a serviços financeiros básicos e que esse problema não se limita aos países emergentes. “O desafio da inclusão financeira é um tema que também atinge os mercados desenvolvidos”, afirmou.

Responsável pelos negócios da MasterCard em todos os mercados internacionais, com exceção da América do Norte, Ann Cairns defendeu que os consumidores precisam de soluções fáceis, transparentes e de baixo custo, para que possam ser incluídos nos sistema financeiro. Ela citou os cartões pré-pagos como primeiro passo para o acesso de milhões de pessoas a produtos e serviços financeiros. E defendeu a necessidade de se fazer parcerias e o uso da tecnologia como forma de atingir um número cada vez maior de pessoas. “Os cartões pré-pagos são o primeiro passo. O passo seguinte é colocar essas contas pré-pagas dentro do celular”, afirmou.

Um bom exemplo de programa de inclusão financeira apresentado no congresso foram os esforços da MasterCard na África do Sul, 1/5 da população sul-africana ganhou acesso ao sistema financeiro formal por meio de parceria com a SASSA (South African Social Security Agency), responsável pela distribuição do seguro social da população.

Ann falou ainda sobre os custos do dinheiro e sobre o impacto negativo que ele pode ter no desenvolvimento das economias. Segundo a executiva, o dinheiro não é “amigo dos pobres”. “Não é um modelo de negócio eficiente, limita o crescimento econômico e aumenta a desigualdades”, reforçou a executiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *