Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Benefícios incluem maior agilidade de atendimento ao paciente e redução de 40% do consumo anual de energia elétrica

Com o objetivo de automatizar completamente seus processos, o Hospital Felício Rocho, referência mineira em medicina de alta complexidade, fechou um projeto com a Plano TI, parceira de negócios da IBM Brasil para o mercado de Minas Gerais. A iniciativa permitiu a adoção do prontuário eletrônico e a eliminação de documentos físicos como fichas de
atendimento e de controle de pacientes e internações.

Quando buscou a IBM, a principal necessidade do Hospital Felício Rocho era adequar a infraestrutura para a substituição do ERP em uso pelo da gaúcha MV, o qual serviria de base para o projeto “Hospital Sem Papel”. O maior desafio era conter o aumento do custo de energia e licenciamento de software, já que seu desenho previa um expressivo
investimento, além do fato de que o novo ambiente de servidores e a solução de armazenamento de dados deveriam ser implementados sem que os antigos fossem desligados.

Anúncio

Levando-se em conta o investimento total de aquisição de hardware e software, o projeto reduziu o custo da solução para o cliente em 20%.

Os processos estão sendo totalmente automatizados a partir da adoção do prontuário eletrônico e a eliminação de documentos de papel, como fichas de atendimento e de controle de pacientes e internações. Dessa forma, os benefícios da solução ao hospital devem se estender aos seus clientes, pois sua implantação permitiu melhoria nos processos e maior agilidade no atendimento ao paciente, além de automação nos sistemas de internação/hotelaria, aplicação de medicamentos e farmácia – com integração aos processos da área de enfermagem.

O sistema conta com telas de LCD com painéis informativos sobre o atendimento dos pacientes, internações, informações médicas e gerenciais, além dos processos de controle de enfermaria e farmácia.

O projeto trouxe ainda diversos outros benefícios à entidade. Na área de TI, o consumo anual de energia deverá ser reduzido em 40% em relação a uma solução com servidores torre ou rack. Já os custos de licenciamento de software (banco de dados) devem baixar cerca de 50%.

A solução envolveu a aquisição da solução IBM BladeCenter H com dois servidores PS701 com oito cores – baseados no processador POWER7 – destinados ao sistema de banco de dados, e dez servidores blade com processadores Intel, HS22, otimizados para melhorar o desempenho, o uso de energia e de refrigeração, além de um storage DS5020 e
uma unidade de armazenamento em fitas TS3200 Tape Library para automatização do backup.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *