Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

A proposta de reforma da Previdência presentada ao presidente Jair Bolsonaro no dia 15 de fevereiro, e aos governadores no dia 20, esteve respaldada nas necessidades de estados e municípios, segundo o governador de São Paulo, João Doria. Na palestra que fez para empresários, políticos e autoridades mineiras no almoço-palestra do Conexão Empresarial, evento promovido pela VB Comunicação no dia 12 de fevereiro último, Doria acredita que quando aprovada, a reforma trará ganhos para todos e lembrou que na sua passagem por Davos, no Fórum Econômico Mundial, nas conversas com os maiores grupos de investidores do mundo, ficou claro que os empresários aguardam apenas a aprovação da reforma para que eles possam investir no Brasil.

Pelas suas contas, a reforma deve ser aprovada até julho e quando isso acontecer, na semana seguinte, Doria acredita que haverá investimentos no país como nunca se viu. O Brasil estará mudando, segundo ele, para melhor.

Liberal por formação, Doria disse que tem 220 projetos de desestatização. Na formação que teve no exterior, disse ter compreendido que os princípios que movem uma nação estão sempre o movimento liberal e por isso a decisão de fazer a desestatização. Disse ainda ter formado uma boa equipe de trabalho, desde Henrique Meirelles, passando por vários ex-ministros e é com esse time que pretende um governo diferenciado em São Paulo. Até o jardim zoológico e parques florestais serão privatizados e 1.200 imóveis, muitos deles que não são ocupados serão vendidos na Bolsa de Valores, segundo Doria. Ele acrescenta que o estado não tem que ser dono de imóvel. “Não devemos ter medo de privatizar. É isso que vai mudar o Brasil”, afirmou.

Anúncio

Outro ponto abordado por Doria foi o investimento na educação, desde a qualificação dos professores à melhoria nas estruturas das escolas. Em parceria com a iniciativa privada, o governador de São Paulo, pretende pintar paredes e muros das escolas, consertar as janelas, deixa-las limpas e em condições adequadas para receber os alunos, professores, os pais e a comunidade, para que todos possam valorizá-las e preservá-las.

O combate à violência, um dos pontos abordados por ele durante a sua campanha eleitoral, também está sendo realizado com medidas simples, como a de colocar o policiamento nas ruas.  “Polícia na rua e bandido na prisão”, seguindo essa lógica, nesses primeiros dias de governo, Doria disse que foram presos 1.206 bandidos e mais de 800 carros roubados foram recuperados. A orientação para os policiais é a de que eles devam inicialmente imobilizar o bandido. “Se reagir, vai para o cemitério direto, em uma via única”.

Em sua conversa com os empresários mineiros, Doria lembra que São Paulo é a maior região mineira fora de Minas, devido a quantidade de mineiros que moram na capital e no interior. Para ele, se Minas for bem, São Paulo vai bem pois os dois estados, têm uma ligação histórica. Perguntado se é candidato à presidência da República, afirmou que foi eleito para administrar bem o estado de São Paulo. Após a sua palestra no Conexão Empresarial, Doria foi para a Cidade Administrativa para uma conversa com o governador Romeu Zema. Ele disse que tem conversado frequentemente com o governador mineiro, que apoia a reforma da Previdência sem nenhum toma-lá-dá-cá.

]

Gustavo Cesar de Oliveira, Governador Doria e Paulo Cesar de Oliveira

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *