Entre as dez melhores escolas de negócios do mundo, a instituição completa mais de quatro décadas com iniciativas que visam o desenvolvimento de líderes e organizações focados no seu papel ideal mediante sociedade

No dia  09 de agosto, a Fundação Dom Cabral (FDC), escola de negócios entre as dez melhores do mundo, de acordo com a edição 2019 do Ranking de Educação Executiva do jornal britânico Financial Times, completou 43 anos. Ao longo dessas décadas, a instituição procurou criar vínculos e se aproximar da sociedade por meio de ações de educação que mostrassem o propósito de auxiliá-la a obter um crescimento sustentável. Nesse aspecto, 2019 se provou um ano especial para a FDC: a escola esteve envolvida em iniciativas inspiradoras e que buscaram levar o desenvolvimento à sociedade. São mais de quatro décadas mostrando disposição em impactar positivamente todos ao seu entorno.

Desde A Arte Abraça Brumadinho – projeto organizado pela FDC –, criado para levar atividades culturais à cidade que sofreu o pior desastre ambiental e humano dos últimos tempos, passando pelo CEOs’ Legacy, iniciativa para a construção de legados sustentáveis vindos de executivos, e em todas as soluções educacionais que a instituição oferece, além de sempre levar a excelência acadêmica combinada com experiência profissional dos seus docentes. O primeiro semestre do ano refletiu a vasta gama de ações relevantes que a Fundação Dom Cabral é capaz de colocar em prática. Trata-se de uma entidade focada em criar uma gestão de propósito e que busca ser um agente transformador para uma sociedade mais próspera e inclusiva. No campo social, a FDC atua por meio de seus projetos. Como exemplo podem ser citados o FDC Empreenda, iniciativa que busca promover o empreendedorismo social, e o Programa Raízes, desenvolvido para estimular o protagonismo e a visão de futuro de jovens em vulnerabilidade social.

“Estamos convictos de que as rápidas mudanças que tomam lugar no mundo e na sociedade impõem grandes desafios aos indivíduos e às organizações, que precisarão redesenhar sua forma de competir no século 21”, comenta Antonio Batista da Silva Junior, presidente executivo da FDC. “Só irão sobreviver as organizações que conquistarem a legitimidade da sociedade”, acrescenta.

No primeiro semestre de 2019, passaram pela Fundação Dom Cabral mais de 18 mil executivos, oriundos de programas voltados para os indivíduos ou organizações públicas e privadas, além de organizações sociais. Os programas da FDC buscam inovar. Um exemplo é o uso da inteligência artificial para verificar e garantir a aprendizagem dos participantes do Executive MBA. Programa que tem por objetivo formar líderes com propósito, visionários e inspiradores, capazes de gerar resultados econômico-financeiros, mas também de contribuir com o desenvolvimento da sociedade.

A Fundação Dom Cabral desenvolve programas de educação executiva em todo o Brasil, e no exterior por meio de atuação direta ou com apoio de Associados Regionais e parceiros internacionais. A escola conta hoje com 27 Associados Regionais que são responsáveis não só pelos programas da FDC em suas localidades, mas também pelo fortalecimento da imagem e presença da escola em todo território nacional. Atua, por meio de parceiros, em países como Argentina, Uruguai, Paraguai e Portugal.

No setor de pesquisa e na internacionalização da FDC, mais avanços foram publicados artigos nacionais e internacionais, livros e relatórios de pesquisas, entre outras atividades que buscam responder aos desafios das áreas de gestão e de negócios, estimulando a investigação sobre os grandes temas contemporâneos. No âmbito internacional, a fundação esteve representada em diferentes eventos ao redor do globo: cerimônias organizadas pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Fetzer Institute e eventos com autoridades internacionais. Estas participações fazem com que a instituição seja reconhecida como uma escola de negócios atuante no mercado global. A FDC fortalece este conceito também por meio de parcerias com escolas internacionais reconhecidas, tais como Kellogg School of Management (EUA) e Insead (França). Com a escola francesa Skema a FDC possui parceria desde 2015 e traz a Belo Horizonte cada vez mais participantes estrangeiros. Em 2018 foram 495 participantes. Para este ano a perspectiva é de 550 alunos.

“Há 43 anos acreditamos no impacto positivo que a educação pode causar globalmente. Temos a convicção que a educação pode transformar o mundo. Seguimos trabalhando forte no nosso propósito de inspirar líderes para que eles sejam agentes do progresso social”, comenta o presidente executivo da Fundação Dom Cabral, Antonio Batista da Silva Junior.