Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Receita cambial aumentou de US$ 1,90 bilhão para US$ 2,14 bilhões e preço médio da saca caiu 19,5%  ao passar de US$ 157,86 para US$ 127,09

As exportações dos Cafés do Brasil, no período de janeiro a maio de 2019, atingiram  volume físico equivalente a 16,86 milhões de sacas de 60kg, das quais 14,20 milhões de sacas foram de café arábica, que equivalem a 84% do total exportado, 1,15 milhão de sacas de café robusta (6,8%), 1,50 milhão de sacas de café solúvel (8,8%) e 5,53 mil sacas de café torrado e moído (0,4%). A receita cambial obtida foi de US$ 2,14 bilhões e o preço médio da saca vendida ao exterior US$ 127,09.

Se for estabelecido um comparativo dos cinco primeiros meses de 2018 com 2019, verifica-se que a despeito de ter ocorrido um crescimento expressivo de 40% no volume exportado, o qual passou de 12,04 milhões de sacas para 16,86 milhões de sacas, a receita cambial aumentou apenas 12,7% – de US$ 1,90 bilhão para US$ 2,14 bilhões -, e, em contrapartida, o preço médio da saca reduziu 19,5%, ao cair  de US$ 157,86 em 2018 para US$ 127,09 em 2019. Os dados e números que permitem realizar estas análises foram obtidos do Relatório mensal maio 2019, do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil – Cecafé, o qual está disponível na íntegra no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café.

Anúncio

Leia esta ANÁLISE/divulgação na íntegra na página da Embrapa Café,  do Observatório do Café e do Consórcio Pesquisa Café.

Conheça também o Portfólio de tecnologias do Consórcio pelo link http://www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/publicacoes/637 e também acesse todas ANÁLISES e notícias da cafeicultura.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades