Crescimento do PIB brasileiro só depois de 2022! E pode demorar muito ainda
Crescimento do PIB brasileiro só depois de 2022!  E pode demorar muito ainda
Crescimento do PIB brasileiro só depois de 2022! E pode demorar muito ainda
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Carlos Alberto Teixeira de Oliveira*

“Pretender solucionar a crise brasileira com remédios prescritos para o único fim de estabilidade, como se fôssemos uma terra exausta e um povo cansado, necessitados de equilibrar as poucas forças que ainda nos restassem é semelhante, malgrado as deformações que acarretam todas as analogias, ao intento de se tratarem as crises da puberdade com medicamentos destinados a mitigar a senectude.

“Transportaram-se para o nosso País, mecânica e acriticamente, técnicas e instituições que, ou não correspondiam mais às condições de nossa época – como é o caso das correspondentes ao liberalismo europeu do século XXI, ou não se ajustaram à nossa realidade – como é o caso das que insistem em dar tratamento monetário a fenômenos que são basicamente econômicos.” – (JK)

O Relatório Focus é uma publicação online do Banco Central do Brasil contendo resumo das expectativas de mercado a respeito de alguns indicadores da economia brasileira. É elaborado pelo Departamento de Relacionamento com Investidores e Estudos Especiais (Gerin) e apresenta resultados da pesquisa de expectativas de mercado, um levantamento diário das previsões de cerca de 120 bancos, gestores de recursos e demais instituições (empresas do setor real, distribuidoras, corretoras, consultorias e outras) para a economia brasileira.

Relatório Focus do Banco Central – 22.11.2021

Relatório Focus do Banco Central – 22.11.2021
Relatório Focus do Banco Central – 22.11.2021

Como resumo das expectativas de mercado, é reportada a mediana das expectativas dos agentes por ser menos sujeita a oscilações dos extremos.

 

O Focus faz parte do arcabouço do regime monetário de metas de inflação. Seu objetivo é monitorar a evolução das expectativas de mercado para as principais variáveis macroeconômicas, de forma a gerar subsídios para o processo decisório da política monetária.

 

Além disso, a disponibilização das estatísticas de expectativas ao público em geral, por meio da página do Banco Central na internet, possibilita que as empresas e os cidadãos tenham conhecimento sobre o que os agentes de mercado estão projetando, constituindo dessa forma ferramenta importante para o planejamento de suas ações de curto, médio e longo prazos

 

O Relatório Focus resume as estatísticas calculadas considerando as expectativas de mercado coletadas até a sexta-feira anterior à sua divulgação. Ele é divulgado na manhã de todas as segundas-feiras. Cabe salientar que o relatório traz a evolução gráfica e o comportamento semanal das projeções para índices de preços, atividade econômica, câmbio, taxa Selic, entre outros indicadores. As projeções são do mercado, não do BC.

 

Assim, tomando por base o Relatório Focus divulgado no dia 22 de novembro último, as expectativas do mercado apontavam, por exemplo, que a Selic – taxa básica de juros deverá ficar em 9,25% ao final deste ano e em 11,25% em 2022. Em relação à inflação, medida pelo IPCA do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, ela deverá fechar este ano no nível de 10,12% e, ano que vem, em 4,96%. Quanto ao IGP-M, medido pela Fundação Getúlio Vargas, espera-se que ele alcance 18,09% neste ano e 5,35% no próximo. Quanto ao real, espera-se que ele encerre este ano cotado a 5,50 em relação ao dólar norte-americano, mantendo-se no mesmo patamar até o final de 2022.

 

Relativamente ao PIB – Produto Interno Bruto, o mercado acredita que ele cresça 4,80% em 2021 e diminua para apenas 0,70% no ano que vem.

 

Assim, considerando-se os índices dos anos anteriores já efetivados e aqueles atualmente projetados pelo mercado, seria o seguinte o desempenho dos quatro do governo de Jair Bolsonaro:

 

 

INDICADORES DA ECONOMIA BRASILEIRA – Governo Jair Bolsonaro

Item                 Unidade           2019    2020    2021    2022                Média  Acumulado

do período

IPCA               % ano              4,31     4,52     9,77     4,96                 5,89     25,61

IGP-M                        % ano              7,30   23,14   18,54     5,38              13,59     65,05

Câmbio(1)        % ano              4,13   29,03     5,77     –                     9,73     42,11

Selic(2)             % ano              4,50     2,00     9,25   11,25                 –           –

PIB                  % ano              1,41   -4,06     4,80     0,70                  0,71     2,68

(1)- Variação anual calculada pela taxa de final de período

(2)- Taxa vigente no final do período

2019 e 2020 taxas efetivas; 2021 e 2022 projeções do Relatório Focus

Fonte: Banco Central do Brasil

Nesse sentido, o PIB brasileiro nos quatro anos de governo Bolsonaro registrará uma expansão média anual de 0,71% e acumulada de 2,68% – resultado bastante inferior aos níveis esperados de crescimento da economia mundial que apresentará uma média anual de 2,62% e acumulada de 10,64 durante o mesmo período, de acordo com o FMI – Fundo Monetário Internacional. Ressalte-se que as economias emergentes e em desenvolvimento, categoria da qual o Brasil integra – deverão contabilizar uma expansão média anual de 3,28% e acumulada de 13,56% durante o mesmo período.

Desta forma, levando-se em conta que, segundo estimativas do IBGE a população brasileira deverá crescer 2,53% de 2019 a 2022, a renda per capita dos brasileiros acumulada em 2019/2022 deverá sofrer uma expansão praticamente nula, de apenas 0,15% ou seja, de irrisórios 0,04% ao ano. Em termos globais, a renda média per capita mundial crescerá 6,24% durante esse mesmo período.

BRASIL – INDICADORES MACROECONÔMICOS

SELECIONADOS – 2018 a 2022

Unidade           2018    2019    2020    2021    2022

ATIVIDADE ECONÔMICA

PIB                               % ao ano            1,78      1,41      4,06     4,80      0,70

PIB per capita                 % ao ano            1,04      0,70      -4,70     4,09      –

PIB                               US$ bilhões       1.916     1.877       1.444   1.630   1.693

Investimento-FBCF         % s/PIB             16,0     16,3         16,9     18.4       16,0

Taxa Desemprego-PNAD  % ao ano            12,3     11,9     13,5     13,2     11,7

PREÇOS

Câmbio-Final Período      R$/US$             3,87      4,03      5,20     5,50     5,50

Selic-Final Período          % ao ano            6,50      4,50      2,00     9,25     11,25

IPCA-Preços Livre           % ao ano            2,92      3,98      5,18     16,95    4,27

IPCA-Preços Admin.       % ao ano            6,25      5,55      2,63     7,78     5,21

IPCA-Total                    % ao ano            3,75      4,31      4,52     10,12    4,96

IGP-M                           % ao ano            7,54      7,30     23,14     18,09    5,35

Bovespa-US$/Final Per.   Pontos            22.710   28.696   28.888   19.273         –

BALANÇO DE PAGAMENTOS

Balança Comercial           US$ bi              46,6      35,2      50,4      70,0     63,0

Bal. Trans. Correntes       US$ bi                          -51,5     -65,0     -24,1     -11,3     -19,0

Bal. Trans. Correntes       % PIB                -2,69     -3,46    -1,67     -0,90     -2,28

Bal. Serv. e Rendas         US$ bi               -94,8     -91,6     -56,4     -50,8    -61,9

Invest. Estr. Diretos-IED   US$ bi              78,2       69,2      34,2     50,0       59,1

Reservas Cambiais-Liq.    US$ bi             374,7     356,9     355,6     348,3     348,0

Dívida Externa Líquida     US$ bi               -54,1     -33,9     -44,8     -17,9     -10,8

CONTAS PÚBLICAS

Resultado Primário-Cons. % PIB                  -1,5       -0,8 -9,4         -0,7       -1,2

Déficit Nominal – Cons.   % PIB               7,0         5,8     13,6           5,8       6,7

Dívida Bruta-Consolidada % PIB                 75,3       74,3     88,8         81,7     88,4

*2021 e 2022 são projeções

Fontes: Banco Central do Brasil/IBGE/LCA Consultores/MinasPart Desenvolvimento

 

BRASIL VIROU EXPORTADOR DE PETRÓLEO E DERIVADOS–

Em US$ bilhões – Período de 2014/2021

Ano                 Exportações    Importações    Saldo

2014                25,66               -35,35              -9,69

2015                16,80               -17,09              -0,29

2016                13,61               -11,13              +2,48

2017                21,44               -15,94              +5,50

2018                31,86               -19,74              +12,13

2019                30,16               -18,73              +11,43

2020                21,14               -11,71              +9,43

2021*              25,45               -13,68              +11,17

Fonte: Ministério da Economia/LCA Consultores

Convertida para dólares norte-americanos, a renda per capita anual dos brasileiros ficará em 2021 nos níveis de 2007, ou seja, sofrerá um recuo equivalente a 14 anos:

BRASIL X ESTADOS UNIDOS- RENDA PER CAPITA – 2007/2021 – Em US$ correntes

Ano                 Brasil                           Estados Unidos           BR/USA

– Em %

2007                7.390,66                    47.943,35                    15,43

2008                8.878,36                    48.470,55                    18,32

2009                8.649,58                    47.102,43                    18,36

2010                11.333,01                    48.586,28                    23,33

2011                13.295,89                    50.008,11                    26,59

2012                12.424,94                    51.736,74                    24,02

2013                12.358,34                    53.245,52                    23,21

2014                12.175,68                    55.083,50                    22,10

2015                8.846,48                    56.729,68                    15,59

2016                8.757,31                    57.840,00                    15,14

2017                9.978,09                    59.885,71                    16,66

2018                9.194,15                    62.769,66                    14,65

2019                8.935,76                    65.051,88                    13,74

2020                6.822,56                    63.358,49                    10,77

2021*              7.711,72                    69.375,38                    11,12

Variação – %            4,34                           44,70                       –

*Projeção                     

Fonte: FMI/MinasPart Desenvolvimento

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades
Evolução do PIB per capita das últimas décadas
Evolução do PIB per capita das últimas décadas