Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Resultados e performance em 2020 estimulam perspectivas de longo prazo apesar das incertezas da pandemia de Covid-19

Um dos pilares do desenvolvimento socioeconômico brasileiro, o setor da construção civil guarda um certo “otimismo conservador” para 2021, nas palavras de José Carlos Martins, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). Ele apresentou em meados de dezembro uma retrospectiva sobre o desempenho do setor em 2020 e projeções para 2021. “Em março, imaginávamos que fecharíamos o ano com PIB negativo [do setor] de até 11%”, disse o executivo. A expectativa era de fechar 2020 com projeção de redução de 2,8%.
Apesar de todos os desafios trazidos pela pandemia, como desaceleração de negócios em geral, desabastecimento de insumos e seu alto custo na cadeia produtiva do setor, especialmente no terceiro trimestre, a construção foi o que mais gerou empregos no país nos primeiros dez meses de 2020, com a criação de 138.409 vagas formais, de acordo com dados do Ministério da Economia. Esse é o melhor resultado para o período desde 2013, quando a construção gerou 207.787 novas vagas.
Ainda assim, de acordo com a CBIC, o Produto Interno Bruto (PIB) da construção civil no 3º trimestre de 2020 está no mesmo patamar do observado no início de 2007. As atividades do setor estão 36% abaixo do pico de 2014, quando atingiram seu melhor nível.

Investimento
Mesmo com elevadas incertezas em função da pandemia de Covid-19, a indústria da construção segue atenta às oportunidades. O cenário de juros oficiais baixos combinado com a oferta de crédito mais barato para financiamento imobiliário tem impulsionado o desejo de muitas pessoas em partir para o sonho da casa própria. Com a chegada de muitos investidores à bolsa de valores, que em outubro já totalizavam 3,2 milhões de contas, de acordo com a B3, as companhias de construção civil acabam entrando no radar de quem também quer investir diretamente no setor.
Um dos nomes já consolidados no setor e com capital aberto há mais de uma década, a Direcional Engenharia tem se mostrado uma forte opção para quem pretende investir no longo prazo e se beneficiar com os ganhos. Listada no Novo Mercado, o mais elevado nível de Governança Corporativa da B3, a Direcional é uma das maiores incorporadoras e construtoras do Brasil, com foco no desenvolvimento de empreendimentos populares e de médio padrão e atuação em diversas regiões do território nacional. Neste início de ano, a Companhia chamou atenção de uma das casas de research e análises mais populares do país, a Empiricus, que a inseriu em sua carteira de Oportunidades de Uma Vida.

Anúncio

Alta performance
Em 2020, mesmo com a pandemia, sua performance foi um dos destaques entre as grandes companhias de construção listadas na bolsa. A Direcional registrou sucessivos recordes ao longo dos trimestres. As vendas líquidas no terceiro trimestre cresceram 41%, quando comparadas com mesmo período do ano anterior.
Um dos motivos, além da alta procura de imóveis nos segmentos em que atua, foi sua agilidade em se manter próxima ao cliente e implementar rapidamente sua plataforma digital de vendas, que já estava em desenvolvimento nos anos anteriores. “Por ela, toda a jornada do cliente é inteiramente online, desde as primeiras informações sobre imóveis e empreendimentos até a assinatura do contrato de venda, passando inclusive pela aprovação do crédito juntamente ao banco financiador”, explica Henrique Paim, CFO e e diretor de Relações com Investidores da Direcional Engenharia.
A Direcional registrou também um elevado nível de margem bruta, que atingiu 36,2%, uma das melhores entre os pares. Ao final dos primeiros nove meses de 2020, o retrato da geração de caixa nos últimos 12 meses mostrava um acumulado de R$ 117 milhões, o que deixa a Companhia em uma situação bem confortável e com um dos menores índices de alavancagem do setor (Dívida Líquida/Patrimônio Líquido de 1%).
O Balanço Patrimonial da Direcional ao final do 3T20, último resultado divulgado até aqui, aponta uma posição de caixa de R$ 1,1 bilhão, demonstrando a solidez da companhia para aproveitar o ciclo.
Em outubro de 2020, a Companhia distribuiu um total de R$ 120 milhões em dividendos para seus acionistas, num valor de R$ 0,81 por ação, representando um dividend yield de 6%, um dos maiores dentre as empresas negociadas na B3. Totalizando uma distribuição de mais de R$ 340 milhões em dividendos em um período de 24 meses (entre outubro/2018 e outubro/2020).

Eficiência Operacional
A Companhia atua fortemente no mercado de baixa renda, no âmbito do Programa Casa Verde e Amarela (“Programa CVA”), antigo Programa Minha Casa, Minha Vida. Também está inserida no segmento de média-baixa renda, fora do programa CVA, por meio da Riva Incorporadora, o braço da Companhia nesse mercado. Contando com estruturas separadas e bem definidas, as duas empresas são capazes de atuar de maneira focada em seus respectivos segmentos.
A Direcional Engenharia aparece como uma das maiores construtoras do Brasil de acordo com o Ranking INTEC 2019, entidade que acompanha a evolução da construção civil há décadas. Com sede em Belo Horizonte, atua em 13 estados brasileiros. Ao longo de seus quase 40 anos de fundação, a serem completados em fevereiro deste ano, superou a marca de 150 mil unidades entregues e incorporadas nos segmentos de médio e alto padrão e empreendimentos do Programa Minha Casa, Minha Vida, além de hotéis e empreendimentos comerciais.
A Direcional utiliza método construtivo que prevê a capacitação de equipes locais e proporciona a construção de maneira rápida e eficiente em ciclos de construção reduzidos. As atividades no canteiro de obras alcançam 99,6% de industrialização e geram baixos índices de desperdícios de material ou de rejeitos nos canteiros de obras.
“Contando com essa capacidade de construir com eficiência diferenciada, time de vendas dedicado, utilização de financiamento bancário simultâneo às vendas, dispersão geográfica única, solidez financeira e robusto banco de terrenos, que no 3T20 possuíam potencial de desenvolvimento de 142 mil unidades e Valor Geral de Vendas de R$ 25 bilhões, a Direcional e a Riva estão entre as empresas mais preparadas para aproveitar as oportunidades do setor, principalmente considerando o reduzido patamar vigente de juros para o crédito imobiliário”, avalia o executivo da Direcional Engenharia.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades