COVID 19: Mesmo após segunda dose de vacina, 76% das pessoas afirmam ter medo de novas variantes
COVID 19: Mesmo após segunda dose de vacina, 76% das pessoas afirmam ter medo de novas variantes
COVID 19: Mesmo após segunda dose de vacina, 76% das pessoas afirmam ter medo de novas variantes
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Pesquisa realizada pela Doctoralia busca entender comportamento dos brasileiros após esquema vacinal completo.

52% dos entrevistados que tomaram a segunda dose se sentem confortáveis em estar na presença de grupos com mais de dez pessoas.

Pesquisa realizada pela Doctoralia aponta que 76% das pessoas têm medo de novas variantes do Sars-CoV-2, mesmo após estarem 100% imunizadas contra o vírus. 1.726 pessoas foram entrevistadas, a maioria do sexo feminino, entre 36 e 45 anos. Mundialmente, cerca de quase mil variantes do coronavírus já foram detectadas e uma média de 60 a 100 circulam no Brasil.

Anúncio

Atualmente, existem quatro variantes do coronavírus classificadas como preocupantes: alfa, beta, gama e delta. Outras cinco são chamadas de “variantes de interesse”, como a Mu, a última identificada que, inclusive, tem mutações que podem indicar resistência às vacinas, assim como a beta.

Porém, um dado que chama atenção na pesquisa da Doctoralia é que mesmo com a insegurança em meio às variantes do vírus, 52% dos entrevistados responderam que, após completarem o esquema vacinal, se sentem confortáveis em estar na presença de grupos com mais de dez pessoas. Até 17 de setembro, 78.819.237 brasileiros completaram o esquema vacinal, o que corresponde a 36,95% da população.

No entanto, ter tomado duas doses da vacina não dispensa os cuidados e as precauções com a pandemia. “O ideal é evitar aglomerações, uma vez que estamos falando de uma doença de transmissão respiratória e nenhuma vacina é 100% eficiente”, explica Ricardo Paul Kosop, infectologista e membro da Doctoralia.

O especialista também alerta para a importância de não deixar de lado as medidas de segurança, no intuito de diminuir a circulação do vírus até que a maioria da população esteja vacinada e, consequentemente, a pandemia esteja sob controle. “Caso opte por encontrar outras pessoas, dê preferência a pequenos grupos e, se puder, que seja ao ar livre ou com o uso de máscaras bem ajustadas ao rosto”, completa.

Na pesquisa, quando questionados sobre as medidas de prevenção que seguiriam tomando, 37% afirmaram que não abonarão o uso da máscara mesmo após a imunização completa, 34% continuarão utilizando álcool em gel, 28% respeitarão o isolamento social e apenas 1% não pretende tomar nenhuma medida de prevenção. Aqui, mais de uma opção poderia ser selecionada.

Por último, outro dado que surpreendeu positivamente no levantamento diz respeito à vacinação contra gripe, o qual aponta que 60% já se vacinou. Até 17 de setembro, 67% da população recebeu o imunizante, segundo dados da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza. “Isso é muito bom, já que a imunização contra a gripe evita a contaminação com outro vírus que também pode ser perigoso, além de facilitar o diagnóstico de quem desenvolver a Covid-19, uma vez que os sintomas são semelhantes”, pontua o infectologista.

A Doctoralia é uma empresa do Grupo Docplanner, maior plataforma de saúde do mundo. Presente em 12 países, o grupo é responsável por atender 35 milhões de pacientes e processar mais de 4 milhões de agendamentos de consultas por mês, atualmente, possui mais de 2 milhões de profissionais de saúde em sua base, com um total de 4,5 milhões de avaliações de pacientes. A companhia foi fundada em 2012, na Polônia, e possui uma equipe de 1.400 funcionários nos escritórios de Varsóvia, Barcelona, Istambul, Roma, Bolonha, Cidade do México e Curitiba.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades