Procissão

1 de setembro de 2011 0

Contritas mãos levam a tocha, luz da fé que anima e alumia veredas da alma, recantos do coração.

Cavalhada

1 de setembro de 2011 0

Rumor de cascos, relinchos,tinir de lanças e espadas,mouros e cristãos, em feroporfiar, tudo repousano passado mais remoto.A mineira cavalhadaé uma festa de cores,estandartes, bandeirolas,mantas e arreios, estribosreluzentes e donzelasseqüestradas sem pudor.O povo aplaude e aprecia,pois esta pura alegriatempera e abençoao ramerrame teimosoque muitas vezes imperano coração das pessoas.

A Alma dos Tambores

1 de setembro de 2011 0

A alma dos tambores,aprisionada no silêncio das esperas,liberta-se ao toque de mestriados que sabem segredos e mistérios.Animadas por ancestral magia,praças e ladeiras da velha Vila Ricafremem ao repique dos chocalhos,retumbam cantigas e lamentos.Minas na veia

Com Fé se Festeja a Vida

1 de setembro de 2011 0

No recomeço do mundo,clarear de um novo tempo,anjos morenos,nascidos no meio do povo,exibem plumas e nuvens,lembrança de onde vierame pra onde, em dias de muita luz,têm vontade de voltar.

Minas na veia

1 de setembro de 2011 0

Jeito Mineiro Mineiro, quando sonha, vê o mar;acordado, esbarra na montanha,ondas se perdendo no horizonte.Absorto em abismos profundos,Matuta mistérios do mundo:morro atrás de morro,vista querendo alcançar,longes distâncias azuis,a alma da matériano oco das coisas.