Olavo Romano | olavoromano@task.com.br Todo ano, em novembro, eu começo a percorrer feiras, sacolões e supermercados atrás de manga ubá, delícia que marca o meu Natal – mais do que as nozes, castanhas e avelãs, neve de isopor, o velho de barba branca fazendo rou-rou-rou enquanto tira foto com crianças ao som de estridentes gingolbéis.…

A forte brisa que sopra

4 de setembro de 2015 0

Por: Olavo Romano olavoromano@task.com.br Na lida de roça e gado, Zé da Brígida era ligeiro, era pau pra toda obra. Jeitoso com gente e bicho, virou um bom retireiro. De dia ele dava duro, de noite era sanfoneiro. Tirava da sanfoninha cada moda, uma beleza! Do chamado pé-de-bode, oito baixos afinados, saiam, encarreiradas, as melodias…

Milagres e enganos

24 de julho de 2015 0

Na sala de espera para o exame ergométrico, encontro Alexandre Paulineli, que, dez anos antes, tivera uma “esquimiazinha”. Lembra as eleições de 1986, Itamar e Aécio Cunha disputando com Newton e Júnia Marise o governo estadual, seu pai eleito deputado federal constituinte com mais de 50.000 votos. Havia um comício em Lavras, previsto para as…

Desconcertante cortesia

26 de maio de 2015 0

Olavo Romano olavoromano@task.com.br   Para a festa dos noventa anos de doutor Fábio Chaves vieram convidados de todo canto. Pessoas que há muito não se viam aproveitavam para trocar informações, saciar curiosidades, admirar-se com a beleza dos jovens, falar da saúde uns dos outros, rememorar velhos tempos. Kátia arrumou nosso quarto com carinho, feliz por…

O dia que matei o Sabará

23 de dezembro de 2014 0

Por: Olavo Romano Encontro Sabará na fila do Banco. Cara boa, barbeado, roupa limpa e bem passada, nem de longe lembra os tempos em que, cheirando a álcool, abatido e afobado, recolhia apostas de jogo de bicho. Vivia meio clandestino, olhando de lado, a meia verde fosforescendo a cada passo, miúdo e apressado.. Bancário aposentado,…

Um Raro Amigo

19 de novembro de 2014 0

Da época de noviço, conservou a fé. A Bíblia, cheia de orelhas, testemunhava tempo e uso. Embora eu conhecesse vários de seus colegas de seminário, não me lembro dele quando jovem. Em compensação, anos depois, fomos vizinhos e colegas de trabalho. Certa vez, voltando de uma festa, encontrei-o na rua rodando um pneu. Parecia falar…

Encontro marcado

20 de outubro de 2014 0

   Por: Olavo Romano Em julho de 1987, passei duas semanas entre Pirapora e Manga, participando do Museu Fluvial Benjamim Guimarães, instalado no vapor de mesmo nome que, depois de navegar pelo Mississipi, deu com o casco no Velho Chico. Naquele raro banho de cultura barranqueira, minha privilegiada tarefa foi ouvir e gravar relatos de pescadores,…

Duas copas e um quarto

20 de agosto de 2014 0

 Por: Olavo Romano olavoromano@task.com.br   Entrar no quarto do Felipão, nem pensar. Escolho duas das nossas cinco Copas (62, no Chile, e 94, nos Estados Unidos), depois de repassar dois episódios da de 58, na Suécia – nossa primeira taça, imortalizada no gesto de Belini. Na primeira cena Garrincha mostra a Nilton Santos um rádio…

Uma luz que não se apaga

7 de julho de 2014 0

Olavo Romano olavoromano@task.com.br   Demosthenes era alto, inteligente, elegante. Falava bem, entendia de muitos assuntos fora do ramerrão do lugar. Interessava-se por política, observava as pessoas com humor e ironia, indignava-se com injustiças e queria reformar o mundo. Solteiro, caminhando para os trinta, era amigo de Seu Olímpio, um dos fazendeiros mais ricos da região.…

Por: Olavo Romano olavoromano@task.com.br    O título, entre aspas, é de Sebastião Verly, amigo querido, sempre atento e generoso, que repassou à multidão de seus amigos o convite para a reunião em que Celso Adolfo e eu dialogaríamos com a platéia sobre a nossa cultura popular, a Minas rural, herança que teima em se manter nos…