Seguramente, é a maior diversidade de India Pale Ales, Stouts, Pilsners, Weissbiers, Dubbels e tantos outros estilos de boas cervejas artesanais servidas ao ar livre em toda Minas Gerais. E que podem ser acompanhadas por hambúrgueres, pizzas, massas, petiscos à base de frutos do mar, hot dogs, tortas de chocolate e, ainda, farta dose de…

“Com emoção e porres de criatividade!”. Dessa forma bem-humorada, Paula Lebbos, proprietária e executiva de marketing da Cervejaria Backer, de Belo Horizonte, descreveu o clima em que são elaboradas as receitas e marcas de cervejas na empresa. Nada mais inspirador para uma equipe liderada por quem adora o rock pesado dos Rolling Stones, AC/DC, Iron…

por Wilson Renato Pereira   Há alguns anos, em conversa com um amigo, um dos pioneiros na fabricação de cervejas artesanais em Minas, indaguei se o setor não ficaria temeroso de um ataque frontal das megas cervejarias, em razão do atraente crescimento desse mercado (30%  anuais contra 5% das cervejas tradicionais).     Citando um parente…

A escola cervejeira americana

4 de setembro de 2015 0

Por: Wilson Renato Pereira Jornalista, psicólogo e psicanalista wrenato.pereira@gmail.com   As cervejas da Escola Inglesa se caracterizam, principalmente, pela baixa carbonatação, boa lupulagem e, em alguns casos, por menores teores alcoólicos; as da Escola Alemã pela lealdade à cultura regional e rigidez da receita com água, malte e lúpulo; as da Escola Belga pela criatividade…

TT com jeitão de R8

24 de julho de 2015 0

Por: Raimundo Couto Definitivamente, para o mercado dos automóveis de maior valor, denominado como Premium, a crise passa ao largo. Apesar da forte retração nas vendas, em geral de todos os modelos nacionais, os representantes das marcas importadas estão vendo a crise passar pelo retrovisor. Ate o fim do próximo ano, os três principais fabricantes…

Por: Wilson Renato Pereira Jornalista, psicólogo e psicanalista wrenato.pereira@gmail.com   Enquanto os alemães produzem a maior parte das suas cervejas obedecendo fielmente a lei da pureza de 1516 (a Reinheitsgbot), os cervejeiros belgas são famosos pela criatividade e inovação. Qualquer ingrediente que produza uma boa bebida é bem-vindo: frutas, cascas, sementes, ervas, condimentos, anis, canela,…

O nome é Saison d’Alliance, uma cerveja colaborativa, que tem na receita sálvia, gengibre e hortelã e é refermentada na garrafa com leveduras da Valônia. Se alguém (como eu, confesso!) tinha dúvidas sobre os resultados da fusão entre a as cervejarias Wäls e Bohemia, essa nova cerveja é a prova de que o casamento começou…

A escola inglesa de cerveja

26 de maio de 2015 0

Por: Wilson Pereira Neto   A Escola Inglesa de Cerveja é considerada por alguns historiadores mais antiga até que a Alemã. Até meados do século XV, as cervejas britânicas eram temperadas apenas com ervas e condimentos locais. Só a partir daí é que os ingleses passaram a utilizar o lúpulo, denominando como beer as cervejas…

Meus caros José Felipe, Tiago, Ustane e Miguel: Confesso que ainda estou processando a notícia da recente associação Wäls/Ambev para criar uma nova cervejaria. Mas já imagino os desdobramentos, caso não possam decidir sobre a gestão das suas “obras de arte” que tanto custaram a desenvolver após vários anos de pesquisa, trabalho, persistência, inteligência e…

A Ambev (Bohemia) e a Wäls Cervejas Especiais surpreenderam o mercado ao anunciarem, em fevereiro, uma associação entre as duas empresas. A compra envolve uma inédita participação da Ambev em uma microcervejaria brasileira e faz parte do movimento dessa gigante multinacional, já iniciado em outros países, de penetrar no mercado de cervejas especiais, que cresce…