Investimentos de R$ 150 milhões foram utilizados na criação de uma nova linha de produtos úmidos para nutrição de bovinos, amidos modificados e economia de água

A Cargill inaugura no dia 26 de abril, em Uberlândia (MG), três projetos inovadores para nutrição de bovinos, amidos e sustentabilidade da unidade. A Companhia abre as portas de uma nova fábrica de dieta úmida, outra para produção de amidos modificados e uma terceira iniciativa que permitirá, à toda unidade de Uberlândia, reduzir aproximadamente 30% do consumo de água potável. Os três projetos juntos receberam aporte de R$ 150 milhões, já abriram 20 novas vagas e geraram aproximadamente 80 empregos indiretos, relacionados à manutenção e logística – recebimento de materiais, armazenamento e transportes.

"A Cargill tem como propósito nutrir o mundo de forma saudável, segura, sustentável e vê o Brasil como um país chave para alcançar esse objetivo. A Companhia já investiu R$ 5,163 bilhões no País e tem importantes planos de crescimento e investimento na região. As inaugurações de Uberlândia fazem parte dessa estratégia", ressalta o presidente da Cargill no Brasil, Luiz Pretti.

Projeto reutiliza 95 m³/h de água tratada

Um dos projetos inaugurados é um centro de tratamento que permite a reutilização de águas residuais tratadas por meio dos mais modernos processos de purificação. Com sistemas de membranas filtrantes que removem contaminantes orgânicos e inorgânicos, a Cargill vai reutilizar 95 m³/h de água tratada no processo das torres de resfriamento, reduzindo mais de 30% de consumo de água potável no site de Uberlândia. Essa quantidade equivale ao consumo diário de uma cidade com população de 17 mil habitantes.

"Esse projeto representa um passo muito importante e diferenciado para nossa meta global de, até 2020, aumentar a eficiência do uso da água, diminuindo o volume utilizado por tonelada de produto que produzimos. Dessa forma, ao usarmos a água de forma muito mais sustentável e consciente, também possibilitamos que a comunidade de Uberlândia tenha mais acesso aos recursos hídricos disponíveis na região", explica Laerte Moraes, diretor do negócio de amidos, adoçantes e texturizantes da Cargill. "Como todos os ingredientes produzidos na planta passam pelo processo, teremos uma otimização na cadeia de suprimentos a longo prazo", completa.

Wet Feed é nova alternativa de dietas balanceadas para ruminantes

A nova planta da Cargill para fabricação de dieta úmida para ruminantes em Uberlândia tem capacidade para produzir 60 mil toneladas ao ano e representa uma alternativa inovadora de insumo para pequenos e médios pecuaristas brasileiros. Trata-se de um portfólio de produtos destinados à nutrição de bovinos, que inclui matérias primas intermediárias, fórmulas customizadas e dietas prontas para confinamento e produção de leite.

"O projeto é um avanço na indústria de nutrição animal, uma vez que não existe solução similar para pecuaristas de corte e leite no Brasil, combinando excelente conveniência e alto valor nutricional", afirma Moraes. "A Cargill faz a mistura e a homogeneização dos ingredientes nutricionais, buscando dietas balanceadas, que poderão atender até 100% das necessidades de energia, proteína e fibra dos bovinos".

Com base nos mercados de carne bovina e leiteira da região de Uberlândia, a planta da Cargill está estrategicamente posicionada para fornecer alimentos aos mercados do Triângulo Mineiro e Alto Parnaíba. "Como estamos inseridos em um segmento próspero, há oportunidade de desenvolver e oferecer um portfólio diversificado de produtos, utilizando matérias-primas externas e internas de processos de moagem de milho, fermentação e processamento de soja, e matérias-primas não convencionais no balanceamento de dietas e concentrados para bovinos", explica Moraes.

Segundo ele, o mercado de nutrição animal para bovinos vem apresentando expansão consistente nos últimos anos. "A Cargill aposta fortemente neste segmento, principalmente no crescimento da produção de leite e número de animais confinados na região do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba".

Cargill entra no mercado de amidos modificados

O mercado de conveniência e produtos lácteos está crescendo no Cone Sul, demandando cada vez mais por insumos como os amidos modificados. Aproveitando sua expertise global, a Cargill iniciará a produção de amidos modificados em Uberlândia.

"Nosso objetivo é permitir que os clientes lucrem com as funcionalidades aprimoradas destes amidos modificados para atender às necessidades do consumidor regional", destaca Moraes. Com a nova unidade produtiva, a Cargill busca atuar de forma mais relevante e amplia seu atendimento aos seus clientes no Brasil e na Argentina.

A Cargill em Uberlândia

Considerado um dos maiores complexos industriais do País, a unidade da Cargill em Uberlândia é composta por fábricas de moagem de grãos de soja para produção de farelo e extração de óleo; processamento de milho para produção de amidos e outros ingredientes, além do processamento de acidulantes. Também abriga o Centro de Serviços Compartilhados (CBS), que reúne atividades financeiras, contábeis, fiscais, administrativas e recursos humanos da Companhia.

Internamente, o tema educação ambiental já faz parte do calendário de atividades. "Comemoramos o Dia Mundial da Água e do Meio Ambiente com treinamentos para funcionários, terceiros e atividades com familiares. Também recebemos visitas de escolas e faculdades abordando o tema de gestão ambiental", conta Ângelo Pedrosa, diretor comercial para ingredientes de nutrição animal.

Outro trabalho da Companhia com a comunidade é realizado em parceria com a Fundação Cargill, que selecionou, via Edital 2019, o projeto Menu da Narrativa da Imaginação. A instituição baseada em Uberlândia recebe apoio técnico e financeiro para desenvolver um portal para jogos gratuitos de educação alimentar. Anteriormente, a instituição publicou duas mil cópias do Cartas na Mesa, outro jogo que visa conscientizar a comunidade sobre alimentação saudável, nutrição e obesidade.

"Iniciamos nossas operações na cidade em 1986. Passamos por ampliações em 1990, com a construção da fábrica de Amidos e Adoçantes, e em 2000, com a construção da unidade de Acidulantes. Hoje, atuamos em 25 municípios do estado de Minas Gerais e empregamos 1.670 pessoas, com muito orgulho", conclui Pretti.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *