Brasileiros mantêm em média 3,6 contas bancárias, aponta pesquisa
Brasileiros mantêm em média 3,6 contas bancárias, aponta pesquisa
Brasileiros mantêm em média 3,6 contas bancárias, aponta pesquisa
Mercado Comum Publicação Nacional de Economia, Finanças e Negócios
Mercado Comum Publicação Nacional de Economia, Finanças e Negócios
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Número de contas é maior entre homens e na classe A, aponta levantamento que também revelou o desconhecimento da população sobre open banking

Brasileiros com acesso à internet mantêm em média 3,62 contas em bancos e outras instituições financeiras ao mesmo tempo, aponta pesquisa C6 Bank/Ipec. Esse número é maior entre homens (4,07) do que entre mulheres (3,22) e aumenta de acordo com a classe social. Na classe A, chega a 5,53, enquanto na classe C a média é de 3,38. Além das populares contas corrente e poupança, usadas por mais de 75% dos entrevistados, há ainda as contas salário (onde o empregador faz depósitos mensais), pagamento (oferecidas por fintechs) e investimento (voltadas para quem quer investir).  

A pesquisa foi realizada entre os dias 20 e 27 de maio deste ano, com 2000 brasileiros das classes A, B e C com acesso à internet. A margem de erro é de dois pontos percentuais sobre o total da amostra. 

Anúncio

A informação sobre o acúmulo de contas chama atenção no momento em que o sistema bancário brasileiro passa por uma transformação que deve mudar em definitivo o relacionamento dos consumidores com as instituições financeiras. O chamado open banking, que está em fase de implementação no país, permitirá que os clientes compartilhem seus dados bancários entre diversas instituições, em troca de serviços e produtos melhores e a taxas mais competitivas.  

“Hoje, um banco não consegue saber como o cliente se relaciona com outras empresas do sistema bancário. O histórico que ele constrói com a instituição não o acompanha quando ele abre conta em outro banco”, explica Maxnaun Guitierrez, head de produtos e pessoa física do C6 Bank. “Com o open banking, será possível saber se ele é um bom pagador ou quanto de crédito teve aprovado em outra instituição, por exemplo.” 

Com a virada de chave para o sistema financeiro aberto, o que deve ocorrer até o fim do ano, são esperadas uma série de soluções inovadoras. Entre elas estão a possibilidade de acessar a partir de um único aplicativo as contas mantidas em diversas instituições financeiras além de agregadores de serviços e tarifas. “Essa é mais uma etapa importante do processo de democratização do acesso aos serviços bancários no país, que já vem se consolidando com o avanço das instituições digitais”, explica Gutierrez.  

Uma outra pesquisa C6 Bank/Ipec, realizada em abril, revelou que 57% dos entrevistados já têm contas em bancos digitais, que não cobram tarifas, nem operam com agências físicas. Dentro desse grupo, 47% mantêm suas contas em bancos tradicionais e digitais ao mesmo tempo e 10% abandonaram de vez as instituições convencionais.  

O instituto de pesquisa perguntou também em que tipo de instituição os brasileiros mais realizam transações como depósitos, saques e pagamentos. A maioria ainda usa os bancos tradicionais (65%), em comparação com os bancos digitais (31%). Porém, entre os brasileiros que têm de 16 a 24 anos, os bancos digitais já superam os tradicionais (51% contra 41%). 

Open o quê?  

A segunda fase de implementação do open banking está marcada para 15 de julho, mas a maioria dos brasileiros ainda não sabe o que significa o novo sistema. Segundo a pesquisa C6 Bank/Ipec, 56% dos brasileiros com acesso à internet não conhecem ou nunca ouviram falar sobre o open banking. Quando apresentados a supostas definições para o novo sistema, 37% dos entrevistados disseram que o open banking é um novo banco digital; outros 12% acreditam se tratar de agências bancárias abertas 24 horas por dia e 1% disse que é um evento com comida e bebida liberadas. Apenas 23% mencionaram ser um sistema que permitirá o compartilhamento de informações bancárias. 

Segundo o levantamento, 23% dos brasileiros estão interessados em compartilhar dados pessoais com instituições financeiras em troca de economia com tarifas e taxa de juros. Outros 33% não têm interesse em compartilhar seus dados e 44% não sabem dizer se querem ou não abrir essas informações.  

O C6 Bank é um banco completo, lançado em 2019, que já superou a marca de 6 milhões de contas abertas no Brasil. Sem agências físicas, a instituição financeira já tem em seu portfólio mais de uma dezena de produtos, incluindo conta corrente isenta de taxa de manutenção, cartão sem anuidade, transferências e saques gratuitos, tag de pedágio grátis, programa de pontos (Átomos), Conta Global, plataforma de investimentos, entre outros.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades
Mercado Comum Publicação Nacional de Economia, Finanças e Negócios
Mercado Comum Publicação Nacional de Economia, Finanças e Negócios