BDMG entra na esteira das comemorações de seus 60 anos
BDMG entra na esteira das comemorações de seus 60 anos
Ex-presidentes do BDMG Roberto Brant, Paulo Paiva, Carlos Alberto Teixeira de Oliveira e Marco Aurélio Crocco, com o presidente do C.A. Fernando Lage e o presidente da diretoria executiva Sérgio Gusmão. BDMG entra na esteira das comemorações de seus 60 anos.
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

O BDMG ingressou, desde o dia 21 de setembro último, no ano 60 de sua existência! Durante toda esta trajetória, o Banco se consolidou como uma instituição propulsora de diversos ciclos de desenvolvimento em Minas.

Para ressaltar quem faz o Banco ser o que é – ou seja, sua equipe – a diretoria da instituição preparou uma singela homenagem. Desde o dia 21 de setembro, a Intranet e Informe do BDMG trarão uma campanha com a visão de algumas de nossas colaboradoras e colaboradores sobre desenvolvimento, inspirando-nos a percorrer esta estrada de seis décadas com “novas ideias”. Serão depoimentos semanais – como estes da Giselle e do Renato – que se juntarão a outras ações (e surpresas!) que estão sendo preparadas para as comemorações da data.

Afinal, na base de tudo, as pessoas. Este espírito de engajamento das equipes tem sido fundamental para uma atuação anticíclica em apoio aos empreendedores e municípios mineiros em tempos de pandemia. Para se ter uma ideia, os desembolsos gerais do BDMG já superaram expressivos R$ 3,8 bilhões desde a oficialização da crise sanitária pela OMS, em março de 2020.

Anúncio

Um Banco sintonizado com a economia mineira:

– Na década de 60, o programa de apoio aos setores de mineração e agro, além do comércio;

– O impulso industrial, nos anos 70 e 80, com destaque para o parque metalúrgico e automotivo;

– Os anos 90, com a utilização de fundos estaduais;

– O início à estruturação de projetos estratégicos e financiamento a municípios como marcas dos anos 2000.

– Tudo isso evoluindo para o crédito digital, as captações internacionais e o maior alinhamento às agendas globais de desenvolvimento sustentável, como resposta à necessidade de se financiar uma nova economia nos dias atuais.

Em visita ao BDMG, ex-presidentes ressaltam a importância histórica do Banco

No dia 21/09, a diretoria do BDMG recebeu alguns dos ex-presidentes do BDMG em um almoço de confraternização alusivo ao aniversário do Banco. Nas palavras do presidente Sergio Gusmão, foi um momento simbólico de reconhecimento da história do Banco. “Somos gratos a todos pela honrosa visita, pois o futuro é uma construção contínua na qual cada um deu sua parcela de contribuição para a resiliência do Banco como instituição de desenvolvimento comprometida com os interesses de Minas”, afirmou.

Ex-presidentes do BDMG com a diretoria executiva da instituição
Ex-presidentes do BDMG com a diretoria executiva da instituição.

Alguns dos depoimentos especialmente colhidos dos presentes:

“O BDMG tem uma belíssima história, de integridade, de decência no trato do recurso público e uma formação exemplar de funcionários. Hoje, ele é mais necessário ou tão necessário quanto foi em suas origens. Eu tenho uma firme convicção de que iniciativa privada e setor público têm de cooperar intensamente ao longo de todas as etapas do processo de crescimento econômico. Um Banco de desenvolvimento é o típico agente público que pode conciliar a presença do Estado junto ao setor privado na aceleração do crescimento econômico. Que permaneça a continuidade de sua missão tão exemplar!” – (Roberto Brant, 1985-1986).

“Eu vejo com muita satisfação o BDMG no nível atual. Sempre inovando, crescendo e apresentando resultados. O papel principal do Banco é promover o desenvolvimento, principalmente partindo para modernização, inovação e melhor agregação ao produto mineiro. Eu vejo hoje com enorme simpatia o trabalho exercido pela atual diretoria, que vai ao encontro da história do BDMG no sentido de vislumbrar um futuro novo, de estar à frente dos acontecimentos. Eu acredito que o papel do BDMG, de dinamizador e agente de fomento de Minas Gerais, continua absolutamente imprescindível e necessário”. (Carlos Alberto Teixeira, 1988-1990).

“Tenho muito prazer de estar aqui neste momento! Os servidores do BDMG trouxeram o Banco nesses quase 60 com dedicação e, sobretudo, com paixão. O Banco cresceu e, hoje, tem um papel fundamental na economia mineira, assim como teve no passado. Tudo isso graças fundamentalmente à sua equipe de servidores de extrema qualificação e dedicação à sua atividade, com integridade e compromisso com o desenvolvimento de uma Minas mais próxima e mais justa”. – (Paulo Paiva, 2007-2011).

“Eu acho que os 60 anos do BDMG tem um significado especial, porque é impossível você pensar a história de Minas Gerais sem pensar no BDMG. É um Banco que teve uma importância e que, hoje, tem cada vez mais na transformação econômica do estado. É um Banco que sempre teve a característica de estar à frente do seu tempo e isso vem se mantendo em suas práticas até hoje. Eu acho que isso é fruto desses 60 anos, do Banco ter tido a capacidade, ter constituído um corpo técnico que é de alta qualidade. Acho que isso é fundamental para o BDMG.” – (Marco Aurélio Crocco, 2015-1019).

“O BDMG tem uma trajetória extremamente relevante que, não por acaso, coincide com a retomada econômica de Minas Gerais no final dos anos 1960 e início da década de 1970, da qual o Banco foi um partícipe extremamente relevante. O BDMG continua atravessando todas as intempéries da economia brasileira, gerando emprego, desenvolvimento e investimentos que são decisivos para que Minas continue na sua rota de crescimento, visando o bem-estar da sua população. Como funcionário de carreira do Banco, tive a chance e a oportunidade de ver boa parte dessa etapa. Desejo que toda a casa e que todos os funcionários possam comemorar isso com muito ânimo. E vamos para os próximos 60 anos”. – (Fernando Lage, presidente do Conselho de Administração).

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades