Barcelos – Minho
Barcelos – Minho
Barcelos – Minho
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Paulo Queiroga

Destino obrigatório para um roteiro em Portugal.

Estar em Portugal é voltar ao nosso passado, às raízes da nossa cultura. A novidade da paisagem se mistura com o familiar e o antigo nos remete às nossas cidades coloniais, mas com a exuberância e a solidez da arquitetura europeia.

Barcelos, pequena jóia medieval na região do Minho – Portugal reflete a verdadeira alma deste povo apaixonado pela sua história.

Barcelos é uma cidade antiga, plantada em uma região com vestígios arqueológicos da Pré-História. Mas ela começou sua história quando D. Dinis, em 1298, para premiar o seu mordomo-mor João Afonso, o tornou conde e lhe doou o povoado.

Não há como não se encantar. Tudo ali respira a Idade Média europeia. Catedrais, muralhas, praças, torres e ruelas, a cidade é um verdadeiro museu ao ar livre. Foi lá onde nasceu o lendário galo de barro, símbolo nacional e expressão maior do artesanato português.

Famosa pelo artesanato, a feira semanal é uma atração especial em Barcelos. Lá se compra quase de tudo – todo gênero de artesanato de bordados, rendas e cestos de palha, além de roupas, livros, bijouterias, joias, comidas prontas e semiprontas. Uma festa internacional, multicolorida e uma hospitalidade da comunidade que nos sensibiliza.

A lenda do galo português

A Lenda do Galo surgiu com a história de um galego que passava por Barcelos na sua peregrinação para Santiago de Compostela. Condenado a enforcamento por um crime que não havia cometido, ele pediu para se apresentar ao Juiz e provar sua inocência. O juiz, à mesa do jantar, onde havia galo assado, ouviu do viajante que lhe era tão certa sua inocência, que o galo assado, que ali estava, cantaria para prová-la.

O juiz e os convidados zombaram dele e o encaminharam para a forca. Na hora exata da execução, o galo cantou e o juiz ordenou que corressem ao paço da forca para salvar o viajante.

O galego salvo voltou depois à vila e esculpiu o Cruzeiro do Senhor do Galo, que hoje está no Museu Arqueológico de Barcelos.

Inclua Barcelos em seu roteiro a Portugal. Ficará para sempre em suas boas memórias das Terras Lusitanas.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades