Aumentos nas taxas de juros acabaram: onde investir no segundo semestre de 2023?

Aumentos nas taxas de juros acabaram: onde investir no segundo semestre de 2023?
Aumentos nas taxas de juros acabaram: onde investir no segundo semestre de 2023?

Especialistas da OctaFX identificam tendências que impulsionarão os mercados financeiros durante o encerramento de ciclos de juros

A alta inflação no início de 2023 forçou os bancos centrais em todo o mundo a aumentar as taxas de juros. Isso impactou significativamente o setor financeiro, com muitos bancos regionais enfrentando o risco de falência ou indo à falência. A demanda por tecnologias de inteligência artificial impulsionou o crescimento nos mercados de capitais. Com uma imagem mais clara das taxas máximas, os investidores agora podem considerar opções de investimento mais propensas a trazer lucros no segundo semestre de 2023. 

“No segundo semestre de 2023, os investidores devem considerar a esperada queda na inflação e nas taxas de juros, o que provavelmente enfraquecerá o dólar e fortalecerá o ouro”, conta Kar Yong Ang, analista de mercado financeiro da OctaFX.
 

A inflação diminui à medida que os bancos centrais adotam uma postura dovish

Os fluxos de capital entre os mercados são influenciados pelo ciclo econômico nos mercados desenvolvidos e emergentes. Para determinar a fase em que a economia mundial se encontra atualmente, é importante considerar a inflação e as taxas de juros.


Segundo a corretora OctaFX, os dados de inflação do consumidor indicam que o choque inflacionário vivenciado no início de 2021 diminuiu até o final de 2022, e a inflação global está em declínio no momento.

Fonte: OctaFX

Com a expectativa de inflação em declínio, os bancos centrais estão interrompendo os aumentos das taxas de juros. “Isso sugere que a economia global está pronta para um crescimento sólido e está na fase inicial do ciclo”, disse Kar Yong Ang.

Segundo a corretora, os ativos que mais podem apresentar oportunidades de investimento são

Títulos governamentais e corporativos: oferecem oportunidades de retornos mais altos em comparação com o mercado nos próximos 3 a 5 anos.

Euro e o iene japonês: estão ganhando força à medida que o Federal Reserve dos EUA encerra seu ciclo de aumento das taxas de juros e outros países continuam a apertar suas políticas monetárias.

Espera-se que o ouro se fortaleça devido ao enfraquecimento do dólar americano. 

A fase inicial do ciclo econômico no Brasil

Esta fase do ciclo de negócios apresenta uma oportunidade para os fundos de investimento imobiliário (REITs). O ciclo de negócios antecede o ciclo econômico, à medida que os investidores procuram antecipar tendências. Durante a fase inicial do ciclo de negócios, as ações de crescimento tendem a ter um desempenho superior ao mercado geral. Os investidores podem querer buscar ações com um alto beta, indicando sua sensibilidade ao crescimento do mercado.

Cada estágio do ciclo de negócios há aquele que saem mais bem sucedidos que outros. A fase inicial, que geralmente dura cerca de um ano, é caracterizada por um crescimento significativo do mercado em torno de 20%. As instituições financeiras se beneficiam das taxas baixas e do aumento dos empréstimos, enquanto a produção e as vendas de bens de consumo discricionário e duráveis experimentam um crescimento ativo.

Três setores para ficar de olho em um crescimento significativo são o setor Imobiliário, Financeiro e Consumo Discricionário. Os setores de Tecnologia da Informação, Indústrias e Materiais têm expectativa de bom desempenho à medida que a economia se recupera. No entanto, os setores de Energia e Serviços Públicos mostram tendências negativas notáveis, ficando para trás em relação ao mercado.

Detalhamento de cada setor

O setor imobiliário sofreu uma queda de 18,5% nos últimos 12 meses. No entanto, este setor está atualmente subvalorizado, mostrando sinais de consolidação e prontidão para um crescimento futuro.

 Fonte: OctaFX. Gráfico de Janeiro de 2023 a Maio do mesmo ano.

As instituições financeiras, representadas por bancos de investimento e comerciais, também têm algum potencial de crescimento, considerando que o impacto da crise bancária passada já foi precificado.


O setor de Tecnologia da Informação tem superado o mercado desde o início do ano, e a janela de oportunidade pode ter passado. No entanto, as previsões indicam um potencial de crescimento de 30% nos próximos 2 a 3 anos devido ao aumento da demanda por tecnologias de inteligência artificial.


Indústrias e Materiais já começaram a mostrar crescimento devido à escassez de metais de terras raras e matérias-primas relacionadas que começou há cerca de um ano. Agora é mais difícil encontrar ativos de matérias-primas que ainda não tenham aumentado de preço.
 

O setor de Energia parece estar superaquecido, com os preços do petróleo subindo de US$ 20 para US$ 120 nos últimos dois anos. Atualmente, os preços do petróleo estão em declínio, juntamente com carvão e gás. As oportunidades de investimento para este setor parecem estar esgotadas.

No mercado de ações, as ações de crescimento com um beta positivo podem ser atrativas, especialmente nos setores imobiliário e de tecnologia, oferecendo um potencial significativo. Por outro lado, os setores de Energia e Serviços Públicos parecem ser os menos favoráveis para investimentos”, disse Kar Yong Ang, analista de mercado financeiro da OctaFX.

A OctaFX é uma corretora global que fornece serviços de trading on-line em todo o mundo desde 2011. Oferecemos acesso sem comissões aos mercados financeiros e uma variedade de serviços já utilizados por clientes de 150 países com mais de 21 milhões de contas de negociação.

Mercado Comum: Jornal on-line - BH - Cultura - Economia - Política e Variedades

Rua Padre Odorico, 128 – Sobreloja São Pedro
Belo Horizonte, Minas Gerais 30330-040
Brasil
Telefone: (0xx31) 3281-6474
Fax: (0xx31) 3223-1559
Email: revistamc@uol.com.br
URL: https://www.mercadocomum.com/

Anúncio