Cesar Vanucci
Cesar Vanucci
Cesar Vanucci
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

“O cara só é sinceramente ateu quando está muito bem de saúde.” – (Millôr Fernandes)

Millôr Fernandes, escritor, jornalista, dramaturgo, poeta, chargista, carioca do Méier, como costumava dizer, deixou legado que o coloca num grupo seleto de intelectuais, que na lida fascinante da palavra, sabe aliar faiscante talento, conhecimento, erudição, sensibilidade, sabedoria ao humor mais requintado. Provas abundantes de tudo isso podem ser colhidas nos livros e peças que escreveu e publicações com as quais colaborou. Na antiga revista “O Cruzeiro”, ganhou notoriedade nacional, mantendo, anos a fio, o “Pif-Paf”, duas páginas com textos e charges de humor, utilizando o pseudônimo Vão Gôgo. Suas criações artísticas, seu verbo pujante às vezes lírico, incandescente na crítica, foram lidas e apreciadas por multidões de leitores, dentro e fora do Brasil, durante bom pedaço de tempo, e numerosos veículos de comunicação. Entre eles: “Veja”, “Jornal do Brasil”, “Folha de São Paulo” e Pasquim”.

Abaixo, para deleite de meu reduzido – posto que culto e leal – leitorado, alguns ditos e conceitos produzidos pelo notável patrício. Foram extraídos de livros e também do sítio “O Pensador”, na internet.

Anúncio
  • Sobre a amizade: “A verdadeira amizade é aquela que nos permite falar, ao amigo, de todos os seus defeitos e de todas as nossas qualidades.”
  • Chato: “Indivíduo que tem mais interesse em nós do que nós temos nele”.
  • Pais e filhos: “Pais e filhos não foram feitos para ser amigos. Foram feitos para ser pais e filhos”.
  • Aniversário: “Aniversário é uma festa, pra te lembrar, do que resta”.
  • Argumento: “Por mais violento que seja o argumento contrário, por mais bem formulado, eu tenho sempre uma resposta que fecha a boca de qualquer um: “Vocês têm toda a razão.”
  • Dinheiro: “O dinheiro não só fala, como faz muita gente calar a boca”.
  • Erro: “Errar é humano. Ser apanhado em flagrante é burrice”.
  • Morte: “O pior não é morrer. É não poder espantar as moscas”.
  • Esquerda e direita: “A diferença fundamental entre Direita e Esquerda é que a Direita acredita cegamente em tudo que lhe ensinaram, e a Esquerda acredita cegamente em tudo que ensina”.
  • Avião: “Basta um avião sacudir um pouquinho mais, e logo todos os passageiros ficam parecidos com a foto do passaporte”.
  • Problema: “Não há problema tão grande que não caiba no dia seguinte”.
  • Risos: “O homem é o único animal que ri e é rindo que ele mostra o animal que realmente é”.
  • Comunicação: “Só depois que a tecnologia inventou o telefone, o telégrafo, a televisão, a internet, foi que se descobriu que o problema de comunicação mais sério era o de perto”.
  • Pílula: “Você pode evitar descendentes. Mas não há nenhuma pílula para evitar certos antepassados”.
  • Dinheiro: “O que o dinheiro faz por nós não é nada em comparação com o que a gente faz por ele”.
  • Escritores: “Certos escritores se pretendem eternos e são apenas intermináveis”.
  • Direita e esquerda: “Não gosto da direita porque ela é de direita, e não gosto da esquerda porque ela é de direita”.
  • Jornalismo: “Jornalismo é oposição. O resto é armazém de secos e molhados.”
  • Diferença: “A diferença entre a galinha e o político é que o político cacareja e não bota o ovo”.
  • Conclusão: “Cada um tira dos acontecimentos a conclusão que bem entende”.
  • Visitas: “A oportunidade só bate uma vez. Quem bate inúmeras vezes são as visitas chatas”.
  • Democracia: “Se o governo continuar permitindo que algumas pessoas pensem pela própria cabeça; e se continuar permitindo espetáculos como este, com tudo que a gente já disse e ainda vai dizer – nós vamos acabar caindo numa democracia!”
  • Hai-Kais: “Olha, / Entre um pingo e outro/A chuva não molha”.
  • “Exótico, /O xale da velha /Na jovem é apoteótico”.
  • “A vida é um saque/Que se faz no espaço/Entre o tic e o tac”.
  • “Eis o meu mal./A vida pra mim/Já não é vital”.
  • “Com que grandeza/Ele se elevou /às maiores baixezas!”

(Os artigos e comentários não representam, necessariamente, a opinião desta publicação; a responsabilidade é do autor da mensagem)

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades