Desde o surgimento da humanidade, os seres humanos serviram-se de minérios para as mais diversas tarefas. Alguns exemplos são os metais como ouro, prata e cobre que eram encontrados sob a forma nativa na natureza, ou obtidos a partir de seus minérios. Outra atividade de influência marcante foi a utilização de armas – lanças, facas e espadas – fabricadas com o ferro extraído de seus minérios.

Atualmente, mais do que nunca, minérios são imprescindíveis em nosso dia a dia. Além de se tratar de uma atividade econômica de suma importância, em função da geração de empregos, arrecadação de impostos e exportação de produtos, os materiais metálicos e não metálicos obtidos por meio da transformação de minérios, estão presentes em praticamente qualquer atividade da vida moderna. Uma vasta gama de materiais pode ser citada como exemplos desse fato: aço, carvão, cimento, vidro, fertilizantes, areia e brita para construção, argila para tijolos e materiais cerâmicos e muitos outros.

Assim como a água e os vegetais, minérios são encontrados na natureza. A mineração é a atividade industrial que transforma minérios em produtos de utilidade para a sociedade. Notoriamente, a mineração impacta o meio ambiente mas, se forem tomadas as devidas precauções, esse impacto pode em muito ser minimizado. Em paralelo, é inegável que os produtos obtidos por meio da atividade mineral proporcionam qualidade de vida e conforto e são essenciais para o homem moderno.

As tabelas seguintes mostram uma lista dos principais minérios processados hoje em dia, os materiais metálicos e não metálicos decorrentes de sua manipulação e algumas de suas mais importantes aplicações.

Categoria Minério Material

obtido

Principais aplicações
Metálico Hematita Aço Chapas para automóveis e eletrodomésticos

Estruturas metálicas

Fabricação de armas e ferramentas

Bauxita Alumínio Esquadrias metálicas

Latas e embalagens

Utensílios domésticos

Calcopirita Cobre Condutores elétricos

Fabricação de moedas

Telhas e esculturas

Pirolusita Manganês Ligas metálicas

Elemento de liga em aços

Pilhas e baterias

Cassiterita Estanho Ligas para latas e embalagens

Ligas para soldas

Vidros

Pentandlita Níquel Aço inoxidável

Ligas metálicas

Baterias

Esfalerita Zinco Aço galvanizado

Aditivo em borrachas e tintas

Indústria cerâmica

Ilmenita Titânio Dióxido de titânio: tintas, papel, cosméticos. etc.

Titânio metálico: ligas

Pirocloro Nióbio Aços especiais

Superligas e ligas supercondutoras

Vários tipos de minérios Ouro Joalheria

Reserva monetária

Implantes médicos e dentários

Proteção de contatos eletro/eletrônicos

Tabela 1 – Principais minerais metálicos e seus produtos

Categoria Minério Material

obtido

Principais aplicações
Não metálico Antracito Carvão Combustível

Redutor para metalurgia

Calcita Carbonato de cálcio Fabricação de cal

Fabricação de papel

Corretivo de solos

Fabricação de tintas e plásticos

Quartzo Dióxido de silício Vidros e cerâmica

Fundentes

Fibras óticas

Apatita Fosfato de cálcio Fertilizante e ração animal

Ácido fosfórico

Granitos e basaltos Brita Agregado para construção civil e estradas
Caulinita Caulim Fabricação de papel, borracha, tintas e porcelanas
Halita Cloreto de sódio Sal de cozinha

Indústria de papel e celulose

Sabão e alvejantes

Silvinita Cloreto de potássio Fertilizante

Fabricação de remédios

Montmori-lonita Argila Indústria cerâmica e tijolos

Tintas

 

Tabela 2 – Principais minerais não metálicos e seus produtos

No Brasil, pode-se afirmar que a mineração é uma vocação do país desde o período colonial. A ocupação do interior do país pelos bandeiramentes foi devida, em grande parte, à busca por metais e pedras preciosas. Ao longo da nossa história, à medida que aumentou a ocupação do território e o conhecimento geológico, ocorreram inúmeras descobertas de depósitos minerais em todo o Brasil. Tais descobertas, de grande importância sócio-econômica, foram extremamente relevantes para o processo de industrialização brasileiro.

A partir da segunda metade do Século XX, com o estabelecimento das grandes empresas de mineração, bem como em função da crescente demanda interna no país, aumentou ainda mais a importância da mineração para a economia brasileira. Ilustrando esse fato, a figura a seguir, com dados de 2017, apresenta alguns indicadores sócio-econômicos recentes do setor mineral brasileiro.

Atualmente, o país conta com cerca de 8 mil minas em operação, das quais mais de 80% são de micro ou pequeno porte, gerando 180 mil empregos diretos e 2,2 milhões indiretos. Hoje, o minério de ferro é o segundo item da pauta das exportações brasileiras, atrás apenas da soja.

A história e as tradições de Minas Gerais estão fortemente associadas à atividade mineral. Nos dias de hoje, o estado é responsável pela produção de mais de 160 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, por 29% de toda a produção mineral e por 53% da produção de minerais metálicos no país. Além do minério de ferro, o processamento de ouro, rocha fosfática, zinco, nióbio, calcário e grafita, entre outros, é de grande importância para a economia de Minas Gerais e do Brasil.

É quase impossível conceber Minas Gerais sem a mineração, não só por sua inegável relevância para a economia do estado, como também por sua influência na vida de sua população e no bom desempenho das finanças dos municípios mineiros. Na atualidade, a atividade mineral responde por cerca de 4% do PIB brasileiro e 8% das riquezas geradas em Minas.

Muito se tem ouvido falar dos impactos negativos da mineração sobre a vida das pessoas no Brasil. Os recentes acidentes de rompimentos de barragens em Minas Gerais em muito contribuíram para esse sentimento negativo por parte da sociedade brasileira. Longe de minimizar a importância de tais fatos, o autor considera que esse julgamento é por demais severo e não condiz com a relevância da mineração para a economia e a vida da população brasileira. A mineração é amplamente reconhecida e valorizada em países como Austrália, Canadá, Rússia, Chile e África do Sul, entre outros, e, na opinião do autor, o Brasil deveria adotar a mesma postura e dar o devido valor a essa importante e imprescindível atividade industrial. Obviamente, o meio ambiente deve ser ao máximo preservado. Contudo, mediante um correto planejamento, com a adoção de práticas de mitigação e reabilitação das áreas mineradas por parte das empresas do setor, é possível chegar a um equilíbrio, permitindo que as futuras gerações possam também usufruir dos recursos minerais.

Autor: Lino Rodrigues de Freitas. Engenheiro metalurgista, M.Sc., Ph.D. Consultor em tecnologia mineral e professor da Escola de Engenharia de Minas Gerais – EMGE.