46,2% das famílias brasileiras viviam com contas em atraso antes da pandemia
46,2% das famílias brasileiras viviam com contas em atraso antes da pandemia
46,2% das famílias brasileiras viviam com contas em atraso antes da pandemia
Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades

Pesquisa realizada pelo IBGE aponta que cerca de 95,6 milhões de pessoas vivem em famílias com dificuldades para manter as contas fixas em dia.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aproximadamente 46,2% das famílias brasileiras vivem com suas contas fixas em atraso por dificuldades financeiras.

O estudo realizado entre 2017 e 2018 apresentou que as contas básicas, como água e luz, são as principais atingidas pelo atraso. “37,5% dos brasileiros vivem em uma residência que não paga as contas básicas em dia. 26,6% atrasam as prestações de bens e serviços e cerca de 7,8% da população possui problemas em pagar o aluguel até a data do vencimento”, explica João Esposito, economista e CEO da Express CTB – accountech de contabilidade.

Anúncio

A pesquisa também demonstra que dentre as famílias que possuem dificuldades para honrar as contas básicas, 30,4% são chefiadas por pretos ou pardos, a maioria com baixo rendimento financeiro e nível de escolaridade inferior, com apenas o ensino fundamental completo.

“Os resultados divulgados pelo IBGE apresentam a existência da desigualdade racial até mesmo na hora de pagarmos nossas contas. Para se ter uma noção, 16,7% dos brasileiros vivem em lares sem acesso a serviços financeiros. Deste número, 11,7% são integrantes de famílias chefiadas por pretos ou pardos”, destaca o economista.

A Express CTB é uma accountech que tem o objetivo de democratizar as soluções empresariais para negócios. A Express CTB auxilia na legalização de empresas, certificações digitais, impostos, finanças, assuntos jurídicos, departamentos de contas, entre outros, em poucos minutos, com tecnologia e consultoria especializada.

Mercado Comum Jornal on line BH Cultura Economia Política e Variedades