Prêmios

XXI Ranking de Empresas Mineiras

01 Agosto 2017

Estamos apresentando novamente a nossos leitores o estudo intitulado “XXI Ranking MercadoComum de Empresas Mineiras – 2017/2016” que, anualmente, vem sendo realizado pela MinasPart – Desenvolvimento Econômico e Empresarial Ltda. – pioneiro e inédito em seu gênero em Minas Gerais. Contratada com exclusividade por Mercado Comum – Publicação Nacional de Economia, Finanças e Negócios, a pesquisa revela importantes informações so-bre a economia de Minas Gerais e contém, em especial, a classificação das principais empresas com sede no estado. Destaca, ainda, vários e diferentes indicadores econômico-financeiros relacionados ao contexto empresarial local. Em outra vertente, fornece relevantes informações que podem facilitar a análise e a compreensão da realidade econômica estadual e a interpretação dos diversos elos que compõem a sua cadeia e capacidade produtiva.

Foram analisados quase quatro mil balanços e demonstrações de lucros e perdas relativos aos exercícios de 2016/2015, publicados até o dia 13 de julho nos principais jornais com circulação em Minas Gerais. O estudo contém, ademais, outras contribuições e vários outros dados enviados diretamente à redação de MercadoComum. Diversas informações foram extraídas, principalmente, dos relatórios de administração e das diretorias dessas empresas.

Do total dos balanços analisados, 831 empresas foram habilitadas a participar deste estudo e, desse total – 500 encontram-se classificadas entre as maiores do Estado.

O presente trabalho serve, de outro lado, de embasamento técnico para a definição e escolha das empresas vencedoras do XIX Prêmio Minas – Desempenho Empresarial – 2017/2016 e que será divulgado na edição seguinte e MercadoComum. Fornece, ainda, subsídios para a escolha, da Personalidade Empresarial de Minas de 2016, dessa mesma premiação.

Em 2016, o PIB-Produto Interno Bruto de Minas Gerais, de acordo com as nossas estimativas preliminares, alcançou R$ 562,52 bilhões, equivalentes a US$ 161,517 bilhões e correspondem a cerca de 8,976% do nacional. Enquanto a economia brasileira registrou retração de 3,60% - conforme dados divulgados pelo IBGE, a de Minas Gerais sofreu declínio de 2,60% de acordo com informações preliminares da FJP-Fundação João Pinheiro – estando as mesmas sujeitas a futuras revisões e confirmação posterior por parte do IBGE, o que deverá somente ocorrer em novembro de 2018.

A maior receita operacional líquida registrada (R$ 36.990,05 milhões em 2016 pertence à FCA-Fiat Chrysler Automóveis – sendo essa a única informação revelada pela empresa. O maior lucro líquido apurado (R$ 1.723,98 milhões) foi da CBMM-Cia. Brasileira de Mineração e Metalurgia. A ArcelorMittal Brasil deteve o maior volume de ativos totais: R$ 28.926,91 milhões. O maior patrimônio líquido registrado – de R$ 14.015,96 milhões é da ArcelorMittal Brasil S.A

Para a elaboração deste XIX Ranking de Empresas Mineiras adotou-se, como critério geral, a utilização dos dados relativos à conta “Conglomerado”, exceto em algumas poucas situações, como da Indústria da Cons-trução (MRV, Direcional etc), quando se optou por utilizar o critério “Consolidado”.

DETALHAMENTO DO ESTUDO

MercadoComum – Revista Nacional de Economia e Negócios está apresentando mais uma vez nesta edição e, de forma inédita, o XXI Ranking MercadoComum de Empresas Mineiras.Todas as empresas com sede em Minas Gerais que, até o dia 13 de julho, publicaram ou encaminharam diretamente à sua redação os seus balanços e demonstrações de resultados relativos ao exercício de 2016, estão contempladas neste estudo. Compreendendo quase 4.000 empresas pesquisadas e abrangidas nesta pesquisa, são elas, em sua grande maioria, sociedades anônimas e poucas são de capital aberto com ações negociadas em bolsas de valores.

No entanto, várias empresas, mesmo dispensadas da exigência de publicação de seus balanços e resultados, espontaneamente fizeram chegar à redação de MC os seus balanços, para que fossem incluídos nesse relevante docu-mento sobre a realidade econômica do Estado.

Ao todo, a análise desenvolvida pela equipe técnica da MinasPart Desenvolvimento Empresarial e Econômico Ltda. que elaborou este estudo abrange os diversos setores da atividade econômica estadual e neles se encontra agrupado e classificado o conjunto das 500 maiores empresas, as quais também podem ser encontradas por classificação alfabética e setor de atividade econômica.

No presente estudo foram segregadas da lista da 500 Maiores Empresas de Minas Gerais as empresas holdings, de participação e de investimentos que foram listadas e analisadas à parte. A relação contendo os principais dados das 50 maiores empresas holdings também é encontrada nas páginas seguintes desta edição. Assim, na realidade, esta classificação das maiores empresas abrange um total de 550 empresas.

O estudo leva em consideração, para efeito da escolha das empresas objeto da análise, que o domicílio fiscal das mesmas seja o de Minas Gerais. Assim, por exemplo, mesmo exercendo intensa atividade econômica em Minas Gerais, os números da Vale S.A. não estão contemplados nas análises, exceto quanto às exportações de seus produtos locais.

De outro lado, os valores consignados em todos os relatórios correspondem a reais correntes, isto é, não foram deflacionados por índice de inflação ocorrida no período. Para todas e quaisquer rubricas, também os valores registrados dizem sempre respeito aos resultados apurados pela “Controladora”, não se levando em consideração aqueles apurados a título da “Empresa- Consolidado”. Exceção é feita em relação à Direcional Engenharia S.A., à MRV Engenharia S.A. e algumas outras, em função de características próprias desse setor. O faturamento – vendas – das empresas compreende a receita operacional líquida apurada, ou seja, corresponde ao total das vendas, sendo deduzidos os impostos incidentes e as devoluções, quando ocorrem.

Neste estudo, 10 das 500 maiores empresas analisadas – ou 2,0% do total pertencem ao Setor Agropecuário, 215 – ou 43,0%%, ao Setor Industrial e outras 275 empresas (55,0%) são do Setor.

A receita operacional líquida real consolidada  das  500 maiores empresas listadas neste estudo registrou uma variação real negativa de 9,57% em relação ao exercício anterior. A soma das receitas operacionais líquidas totalizou R$ 255.069.70  milhões – o que corresponde a 44,42% do PIB-Produto Interno Bruto estimado de Minas Gerais para 2016.

 

Siga o Mercado Comum