Eventos Empresariais

Modesto Araujo recebe Medalha JK

28 Novembro 2018

Modesto Carvalho de Araujo Neto, presidente da Drogaria Araujo, recebeu, em 3 de setembro, da ACMi-nas – Associação Comercial e Empresarial de Minas, a Medalha JK, em concorrida solenidade realizada em sua sede.

A Medalha e o Diploma de Ordem do Mérito Juscelino Kubitschek são conferidos pela ACMinas, anualmente, como forma de reconhecimento a perso-nalidades que, por obras marcantes nos mais diversos setores de atividade, tenham contribuído para o desen-volvimento político, econômico, social e cultural do es-tado.

Instituída em 1988, na gestão do ex-presiden-te Lúcio Assumpção, a Ordem do Mérito Empresarial Juscelino Kubitschek já foi conferida a 19 personalida-des e, agora, a Modesto Araújo. Nomes como o próprio Juscelino Kubitschek, homenageado in memoriam em 1988, Tancredo Neves, Itamar Franco, Antonio Anasta-sia, Emerson de Almeida e Luiz Otávio Pôssas Gonçal-ves, por exemplo, foram alguns dos homenageados.

As razões que levaram à escolha dos homena-geados são registradas no Livro da Ordem Juscelino Kubitschek. No caso de Modesto Araújo, a inscrição é a seguinte:

“Descendente de uma linhagem de empresá-rios pioneiros na história da capital mineira – a Droga-ria Araujo foi criada em 1906 –, Modesto Carvalho de Araujo Neto iniciou seu percurso profissionalfora da empresa familiar, atuando no setor financeio. Mas, neto do seu fundador, começou cedo a conhecê-la quando, levado por seu pai durante as férias escolares, era pre-sença constante na loja. Foi ali, no dia a dia, que apren-deu lições importantes que formaram seu caráter.  O pai lhe pedia para “dar uma canetada”, o que significavavarrer a loja, e lhe dizia: “um dia você entenderá a im-portância disso.” 

Mas foi em 1984 que Modesto chegou definitiv-mente à Araujo e passou a integrar a diretoria da empre-sa, ao lado dos irmãos Marco Antônio e Eduardo, que presidia a organização. Naquela época, com apenas nove lojas, a empresa ainda mantinha as características de um negócio familiar, mas logo daria início a um novo ciclo, em que a gestão passou por uma reestruturação nas áreas de TI, Comercial e Logística.  

Com a morte do irmão Eduardo, em 2004, Mo-desto enfrentou o desafiode substituí-lo na presidência. Coube a ele chamar a si a responsabilidade de conduzir os destinos da empresa e prepará-la para uma expan-são planejada e sustentável. E o fez quando, naquele momento de incertezas, via-se como recomendável um estilo de comando mais conservador. Mas não para ele: no comando da organização sempre se pautou por uma postura de ousadia e visão inovadora de futuro.

A partir daí, a empresa decolou para uma era de franco crescimento, que a transformou na maior rede de drogarias de Minas Gerais ao dar um enorme salto, passando das nove lojas de então para as mais de 200 de hoje. E continua em franca expansão, visando ao in-terior do Estado, onde, ainda este ano, serão abertas 32 novas filiais.

Este extraordinário crescimento tem sua razão de ser. Ele está calcado no espírito empreendedor, mar-ca de três gerações da família que já se manifestava, em 1906, quando o patriarca Modesto Araujo, avô do atual presidente, mudou-se de Nova Era, no interior mi-neiro, para a nova capital. Inaugurada havia nove anos, 

nela surgiam inúmeras oportunidades. Aqui criou sua farmácia e montou uma estratégia mercadológica ino-vadora, baseada em valores e iniciativas que só bem mais tarde seriam adotados pelo mercado: o plantão 24 horas, a entrega em domicílio, a garantia de pro-cedência de seus medicamentos, preços competitivos, disponibilidade de estoque, ética e compromisso com a sociedade. São valores que ficarampatentes, por exemplo, durante as grandes epidemias de sífilise de gripe espanhola, nas primeiras décadas do século XX, quando a Araujo importou e distribuiu medicamentos gratuitos para sanar tais doenças.

Nos dias atuais, a instabilidade econômica do País e o acirramento da concorrência de outras redes nacionais constituem desafiosque exigem um cons-tante investimento em inteligência estratégica. Hoje, a Araujo é referência para o varejo nacional em gestão de estoque, pricing, gestão da marca e gerenciamento de categorias. Prova do sucesso desse modelo de gestão é que nos últimos anos todas as redes nacionais do setor entraram na região de atuação da Araujo e, mesmo assim, a empresa conseguiu ganhar market share em todos os seus locais de atuação, concorrendo com mais de 1.300 farmácias.

Além de inúmeras iniciativas inovadoras – revo-lucionárias, na verdade, como o modelo drugstore-loja de conveniência – Modesto Araujo direcionou a atuação da empresa também para a filantopia, ao patrocinar ini-ciativas como cursos para gestantes, ações de apoio e estímulo à saúde e o “Instituto Hahaha”, que realiza 20 mil atendimentos por ano a crianças internadas em hospitais de Belo Horizonte. Outra ideia transformadora foi a campanha “Adote o Hospital da Baleia”, que arre-cadou até hoje R$ 15 milhões em doações de clientes, na forma de troco.

É por estes tantos feitos, que marcam o espí-rito empreendedor e desprendido de Modesto Araujo, que a Associação Comercial e Empresarial de Minas – ACMinas – lhe outorga o Mérito Empresarial Juscelino Kubitschek com a entrega, nesta data, da Medalha e do Diploma correspondentes, e inscreve seu nome no Livro da Ordem.

 

Siga o Mercado Comum