Lançamentos

A evolução editorial do livro mais vendido do mundo

27 Março 2018

Desde a primeira impressão da famosa Bíblia de Gutenberg, na década de 1450, até os dias atuais, o Livro Sagrado do cristianismo atravessa gerações sendo, disparadamente, o mais vendido no mundo. E assim como transformou vidas, também influenciou o processo de produção editorial ao longo dos anos, culminando na criação de uma fonte específica para tornar a experiência do conhecimento bíblico ainda mais confortável e fluente:a Leitura Perfeita, que a Thomas Nelson Brasil lança com exclusividade no país.

Resultado de um longo trabalho de pesquisa desenvolvido pela HarperCollins Christian Publishing – braço religioso da gigante HarperCollins –, a Leitura Perfeita (ou Confort Print, como é conhecida nos Estados Unidos) é uma fonte especialmente criada para proporcionar uma experiência de leitura mais cômoda, ágil e eficientedas Sagradas Escrituras. Ela contempla vários fatores importantes, como o conforto visual, o alinhamento perfeito das letras e a melhor visualização no papel-bíblia, entre outros. Foram anos de pesquisas e testes realizados por especialistas da Europa e dos Estados Unidos.

É esse conceito inovador que a Thomas Nelson trouxe para as Bíblias Leitura Perfeita, uma série especial do Livro Sagrado com edições voltadas para todos os gostos e um ponto em comum: o texto bíblico escrito na fonte Leitura Perfeita. Agora o leitor brasileiro também terá a oportunidade de desfrutar essa agradável experiência.

UM POUCO DA HISTÓRIA

Escrita entre 1.500 a.C. e 450 a.C. (livros do Antigo Testamento) e entre 45 d.C. e 90 d.C. (livros do Novo Testamento), a obra mais notável do mundo levou quase 1.600 anos para ser compilada. Nos tempos mais remotos, eram usados materiais como peles de animais, pergaminhos e papiros, entre outros. Na Era Medieval, os ensinamentos eram registrados nos scriptoria – complemento das bibliotecas destinado aos copistas – de conventos e catedrais. Como a letra cursiva ocupava muitas páginas, era inviável que todo o conteúdo das Escrituras fosse reunido em um único volume. Já na época gótica (século XII), o tamanho das letras foi reduzido e passou-se a utilizar abreviaturas e compactar os códices. Contudo, mesmo com toda essa evolução, uma bíblia não costumava pesar menos de cinco quilos.

Décadas depois, de 1450 a 1455, Johannes Gutemberg produziu o primeiro exemplar impresso da Bíblia, marcando, assim, o início da produção de livros em massa no Ocidente. Ao longo dos anos, essa edição foi sendo aperfeiçoada, e já no século XVI surgiram as primeiras versões críticas e as primeiras traduções do latim para outros idiomas. De 1503 a 1559, o francês Robert Estienne incluiu a numeração dos versículos da Bíblia, comumente usada até os dias atuais. No século XVII surge a versão King Ja-mes (KJV), elaborada nos moldes dos versículos e em um formato portátil.

A partir de então, nos séculos XVII e XVIII, começa a massificaçãoque tornou o Livro Sagrado mais acessível a partir das traduções. Para a língua portuguesa, o processo foi um pouco mais demorado. A primeira Bíblia em português surgiu apenas em 1691, traduzida por João Ferreira Annes d’Almeida, em Jacarta. Anos depois, de 1725 a 1797, António Pereira de Figueiredo realiza a segunda tradução.

A compactação completa das Sagradas Escrituras só foi realizada em meados do século XIX. Isso se tornou possível graças ao desenvolvimento de um papel extrema-mente fino,conhecido por “papel-bíblia”, produzido a mão, em contínuo e calandrados, possibilitando a impressão nítida com letras menores.  Na era dos livros modernos, nos séculos XIX e XX, a Bíblia atingiu seu ápice de comercialização. Traduzida para diversos idiomas e dialetos e produzida em diferentes formatos, tipos de impressão e letras, hoje também apresenta edições ilustradas, voltadas às crianças, entre outras pensadas especialmente para determinados públicos-alvo.

Na virada do século XX para o XXI, a Bíblia foi uma das primeiras obras a atingir a internet e a conquistar os chamados “ciberleitores”. No entanto, apesar de todo esse avanço tecnológico, a versão impressa ainda é preferência de muitos, uma vez que proporciona uma leitura menos cansativa e uma nostalgia típica da infância. Nesse sentido, ainda existem muitas pesquisas e avanços que contribuem para projetos editoriais incríveis, como o lançamento exclusivo no Brasil das Bíblias Leitura Perfeita pela Thomas Nelson, a editora que mais investe e inova no mercado editorial cristão nacional.

 

 

Siga o Mercado Comum