*Belo Horizonte_MG, 19 de Abril de 2018 Unimed BH | Posse nova diretoria Na foto, evento de posse da diretoria para o período 2018 / 2022 Foto: Leo Drumond / NITRO

 “Nós fazemos valer a carteirinha da Unimed-BH”

 Diretor-presidente de uma das maiores operadoras de planos de saúde do Brasil, Samuel Flam, ressalta os diferencias de qualidade e inovação como pilares para o enfrentamento da pandemia

Na linha de frente do enfrentamento da pandemia do novo coronavírus está a Unimed-BH, escolhida como Empresa do Ano no XXII Prêmio Desempenho Empresarial – Melhores e Maiores Empresas de Minas em 2019-2020. À frente da cooperativa desde 2014, o cardiologista Samuel Flam tem a responsabilidade de, por meio de uma gestão participativa, cuidar de 1,28 milhão de clientes, 5,5 mil médicos cooperados, mais de 4 mil profissionais na assistência, mais de mil colaboradores na área administrativa e 340 prestadores de serviço em saúde, entre clínicas, hospitais e laboratórios próprios e credenciados. Para isso, ele lança mão da sabedoria e da competência conquistadas em décadas de exercício da medicina e do cooperativismo, que o levaram a ser escolhido como Personalidade do Ano de 2020.

Samuel Flam é reconhecido entre as cooperativas brasileiras e as empresas de saúde como um gestor eficiente e responsável. Um dos aspectos mais marcantes de seu estilo de liderança são as decisões coletivas e a transparência, que fizeram com que sua gestão alcançasse o patamar de 84% de satisfação por parte dos médicos cooperados, segundo dados da última pesquisa realizada pelo Datafolha em 2019. Tanto que, quem o conhece, sabe bem o lema que marca a sua gestão: “Nossa cooperativa, nossas escolhas, nossas responsabilidades”. Em sua administração, houve crescimento na carteira de clientes e o faturamento, entre janeiro de 2014 e dezembro de 2019, registrou aumento de mais de 50%.

Médico cardiologista, Samuel Flam se formou na Faculdade de Medicina da UFMG em 1978. Filho de judeus sobreviventes do holocausto, ele credita aos pais todo o aprendizado que faz dele um líder reconhecido pela empatia e pela humanidade. “Com meu pai, Abram, aprendi que estamos em constante formação. Não nascemos prontos, e, por isso, há sempre espaço para o aprendizado. Foi ele que me estimulou a estudar e a estar sempre evoluindo, aprendendo. E que me ensinou que mais importante do que aquilo que temos é aquilo que sabemos. Com minha mãe, Chana, aprendi sobre resiliência. Sobre viver momentos difíceis e que é preciso saber caminhar, seguir em frente, renascer a cada dia”, explica.

Samuel Flam atua em consultório desde 1980, integrou o corpo clínico do Hospital João XXIII como intensivista e também foi hemodinamicista no Hospital das Clínicas da UFMG. Sua experiência em gestão de cooperativas se iniciou à frente da Diretoria Financeira da HCCoop, cooperativa de trabalho dos médicos do Hospital das Clínicas, a qual dirigiu de 1996 a 2004. Foi presidente da Credicom, cooperativa de crédito, entre 2005 e 2013 e, desde 2012, é diretor Financeiro e Comercial da Cecremge, também cooperativa de crédito. Também integra o Conselho de Administração da OCEMG – Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais, desde 2012, além de ser conselheiro de Administração da Unimed Participações há dois anos.

Na Unimed-BH, sua trajetória começou em 1984, quando se tornou médico cooperado. Entre os anos de 2002 e 2006, foi membro do Conselho de Administração. Desde 2014, ocupa o cargo de diretor-presidente. Samuel Flam é casado com Patrícia, tem duas netas e dois filhos. David, mestre em tecnologia da informação e Efraim que herdou do pai a paixão pela medicina.

Samuel Flam conversou com a Mercado Comum sobre o cenário que estamos vivendo, o enfrentamento da pandemia, os desafios que o setor de saúde tem pela frente, bem como sobre o que esperar do futuro.

A Unimed-BH foi escolhida como Empresa do Ano e o senhor foi destacado como Personalidade Empresarial do Ano. Como o senhor vê esse reconhecimento e a que atribui essa conquista?

É uma grande honra receber estes dois reconhecimentos no mesmo ano e justamente no momento que atravessamos um dos períodos mais desafiadores da história global recente: a pandemia do novo coronavírus. Compartilho essas conquistas com nossos 5,5 mil médicos cooperados que, cada vez mais presentes nas escolhas que temos feito, vêm nos possibilitando obter bons resultados para nossa cooperativa ao longo dos anos e promover nossa solidez. A partir desses resultados, estamos conseguindo enfrentar de forma ágil e cuidadosa os efeitos da pandemia em nosso setor, promovendo ações que trazem mais segurança e beneficiam todos os nossos públicos de relacionamento: clientes, médicos cooperados, colaboradores, prestadores de serviço em saúde e a sociedade em nossa área de atuação.

Como o senhor avalia o cenário econômico do Brasil nesse momento e mais especificamente a Saúde Suplementar?

A crise provocada pelo coronavírus está trazendo importantes impactos para todos os setores da economia. Vivenciamos um aumento do desemprego no país em razão da redução drástica na atividade econômica, que também tem pressionado os principais indicadores econômico-financeiros, como o PIB e a inflação. Além disso, os governos lidarão com a queda na arrecadação dos impostos, agravando a crise econômica.

Essa crise afeta diretamente o setor de Saúde Suplementar provocando a redução do número de clientes em razão do aumento do desemprego, e o crescimento da inadimplência. De acordo com o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), entre abril e julho deste ano as operadoras de planos de saúde perderam 250 mil clientes.

Para enfrentar esse cenário, nós contamos com diferenciais competitivos que fazem com que nossos clientes escolham a Unimed-BH a cada ano, em cada renovação de contrato. Em 2019, encerramos o ano com nosso recorde de carteira: 1.284.011 clientes. Mesmo durante a pandemia, estamos conquistando novos clientes e mantendo os que já estão na nossa carteira. Com base na confiança em nosso trabalho e na qualidade da nossa entrega, reconhecida por nossos clientes e pelo mercado, estamos prevendo ter a maior carteira da nossa história em 2020. Esses são diferenciais que asseguram os resultados da cooperativa. Sempre estabelecemos relacionamentos duradouros com os nossos clientes tanto individuais quanto empresariais e acreditamos que vamos conseguir manter a nossa posição de liderança no mercado.

Estamos enfrentando um cenário muito crítico com a pandemia e a Unimed-BH é uma das principais agentes nesse enfrentamento. Quais os principais aprendizados nesse período?

Um ensinamento fundamental que podemos tirar deste período é a importância de se ter propósitos fortes e consolidados na cultura interna das empresas. Podemos observar que somente as instituições que já tinham uma cultura organizacional sólida e coesa, atuando como um só time, estão conseguindo atravessar esse momento de crise com maior assertividade. Na Unimed-BH, nosso propósito reflete nossa vocação para o cuidado com a saúde e nossa base constitutiva como cooperativa médica, fundada na coletividade: “Juntos, com você, cuidando da saúde”.

Outro aprendizado que considero muito importante é o valor que a saúde passou a ter para as pessoas. Acredito que este será um importante legado que a pandemia nos deixará e fará parte do que a opinião pública tem chamado de “novo normal”.

A pandemia também nos ensinou sobre a importância da sinergia entre o público e o privado. Um exemplo disso foi nosso modelo de Consulta On-line Coronavírus. Quando pensamos nesse serviço, o foco maior foi a segurança dos nossos clientes e equipes assistenciais. Mas, cuidar apenas desse público não era o suficiente neste contexto. Assim, fizemos a importante escolha de cuidar da sociedade como um todo e disponibilizamos nosso sistema de teleatendimento, de forma totalmente gratuita, para a Prefeitura de Belo Horizonte. Médicos do SUS passaram, então, a atender de forma remota os pacientes da saúde pública, promovendo ainda mais segurança e contribuindo de forma efetiva para o controle da disseminação do coronavírus na capital mineira. O cuidado integral, considerando todos os públicos de relacionamento, nos mostrou que este é um caminho acertado e, de fato, mais um aprendizado importante. Vimos a importância do valor da confiança das pessoas em nossa Cooperativa. Confiança que se traduz em resultados.

Como a pandemia impactou a empresa? Como está a saúde financeira da cooperativa nesse cenário?

A Unimed-BH tem atravessado períodos de incerteza com muita segurança. Os últimos anos já têm sido muito desafiadores para a Saúde Suplementar e, ainda assim, conseguimos comemorar importantes conquistas, como o aumento do número de clientes e o crescimento da receita. Tudo isso demonstra a robustez do nosso negócio.

Nesse contexto da pandemia do novo coronavírus, para garantir a assistência adequada aos nossos clientes, precisamos fazer investimentos importantes, que foram desde a criação de novos leitos em nossa rede, passando pela contratação de pessoal para a assistência, até o abastecimento com insumos médicos (materiais, medicamentos, equipamentos de proteção individual etc.), cujos preços subiram muito com o aumento da procura e desvalorização do real. Investimos em tecnologia para atendimento dos clientes em consulta e monitoramento de pacientes diagnosticados positivamente com o intuito de evitar a propagação da pandemia e garantir a melhor qualidade assistencial.

No entanto, mesmo vivendo um cenário tão adverso e jamais planejado, mantivemos a segurança financeira da nossa operação. Temos uma forte estrutura de gestão, que vem assegurando bons resultados para a nossa cooperativa. Pudemos observar, neste momento de pandemia, que empresas sólidas, que têm um propósito forte, bem organizadas do ponto de vista de gestão, estão enfrentando melhor este momento de crise.

Além disso, por sermos cooperativa, nosso modelo passa não apenas pela alta profissionalização das equipes, mas também pela gestão coletiva dos recursos, fatores que vêm nos proporcionando importantes resultados ao longo dos anos, de modo que fechamos o ano de 2019 com um faturamento de mais de            R$ 5,5 bilhões e a previsão é para que terminemos 2020 com um faturamento ainda maior.

Graças à condição econômico financeira da Cooperativa, pudemos estruturar ações coordenadas, com foco em todos os públicos de relacionamento, provendo adiantamento financeiro para médicos cooperados e rede prestadora, assegurando o giro da cadeia produtiva e a assistência aos nossos diversos públicos.

Que estratégias foram adotadas para enfrentar essa crise? E quais medidas vêm sendo tomadas para driblar a alta de custos?

Instituímos nosso Comitê de Crise antes mesmo de termos o cenário de pandemia decretado pela OMS – Organização Mundial da Saúde, o que tem nos permitido adotar medidas ágeís e antecipar cenários. Esse grupo acompanha de perto a evolução do cenário epidemiológico e estabelece ações que consideram todos os nossos públicos de relacionamento e também a sustentabilidade de nossa cooperativa. Também monitoramos nossos principais indicadores, tanto assistenciais, bem como o cenário nacional, do ponto de vista da pandemia e econômico-financeiro.

A gestão da Unimed-BH se pauta pela qualidade e pela eficiência. Apostamos na austeridade como mecanismo de gestão, tendo em vista a sustentabilidade e a perenidade da Cooperativa. Ao longo dos anos, implementamos uma série de iniciativas para cuidar da redução dos custos administrativos. Revisamos nosso porfólio de projetos, renegociamos contratos com fornecedores, potencializamos as ações de sustentabilidade ambiental, migramos nossa sede para um edifício próprio e criamos uma iniciativa de incentivo a ideias inovadoras com foco na eficiência operacional.

E falando em ideias inovadoras, qual o papel da inovação nesse cenário desafiador?

A inovação é importante em todos os cenários, mas não restam dúvidas de que a pandemia contribuiu para intensificar as ações com esse foco em todas as áreas. Ao longo dos nossos quase 50 anos, sempre tivemos a inovação no DNA e, hoje, podemos nos orgulhar de ser reconhecida como uma das empresas mais inovadoras no setor de saúde suplementar, participando de rankings importantes de inovação. Estamos sempre atentos às mudanças que a tecnologia traz para o mercado de saúde e acompanhamos de perto as tendências mundiais. O objetivo é antecipar as necessidades dos clientes para oferecer sempre a melhor assistência em saúde.

Por estarmos em constante evolução, somos referência em soluções em saúde, não só dentro do Sistema Unimed, como também no mercado de saúde suplementar. Tanto que fomos pioneiros no setor de saúde suplementar em oferecer Consulta On-line Coronavírus, com o objetivo de promover mais segurança para os nossos clientes, médicos cooperados e equipes assistenciais ao evitar maiores riscos de contaminação pelo coronavírus. O serviço, lançado durante a pandemia (18 de março), atingiu a marca de mais de 100 mil consultas realizadas, com excelente avalição de qualidade pelos clientes.

O uso de Bots e Inteligência Artificial e de outros recursos tecnológicos, como aplicativos e plataformas digitais, já era uma realidade na Cooperativa e, com a pandemia do novo coronavírus, entendemos como uma oportunidade a expansão do uso de robôs para diferentes finalidades, especialmente na área assistencial e de relacionamento com o cliente. Também lançado durante a pandemia, o Talkbot utilizado para o monitoramento da saúde dos clientes registrou 300 mil chamadas atendidas. Expandimos a automatização em todos os nossos canais oficiais de atendimento ao cliente. A solução do chatbot para WhatsApp pelo número (31) 4020-4020 é um outro exemplo de um novo serviço utilizado por mais de 180 mil clientes. A inovação é um dos fatores que contribuem para nos tornar mais competitivos.

A Unimed-BH foi a única operadora de saúde do Brasil a ser convidada para participar do The Great Reset, iniciativa do Fórum Econômico Mundial. A que o senhor atribui esse convite?

O convite surgiu a partir do entendimento do papel que a Unimed Belo Horizonte desempenha no desenvolvimento do Brasil e de sua economia, e também devido às ações implementadas para o enfrentamento da pandemia. O Fórum Econômico Mundial tem uma bem-sucedida história de trabalho junto a líderes empresariais, criando novos caminhos para o crescimento e a competitividade.

No final de julho, a Diretoria da Unimed-BH recebeu uma carta do comitê organizador do Fórum Econômico Mundial nos convidando para integrar uma inciativa do Fórum, que é o The Great Reset Dialogues. O tema do Fórum Econômico Mundial de 2021 é justamente este: “O grande recomeço”. Isso porque é urgente que, de forma global, as partes interessadas cooperem para o gerenciamento simultâneo das consequências diretas da crise provocada pela Covid-19.

A proposta é reunir líderes empresariais de todo o mundo para debater grandes temas mundiais que surgiram com pandemia de Covid-19, buscando construir conjuntamente as bases do novo sistema econômico e social para um futuro mais justo e sustentável. Essa iniciativa proposta pelo Fórum Econômico oferecerá informações para ajudar todos aqueles que determinam o futuro das relações globais, a direção das economias nacionais, as prioridades das sociedades, a natureza dos modelos de negócios e a gestão de um bem comum global.  Tenho participado de reuniões virtuais nesse sentido. Esse é um convite que muito nos orgulha e insere a Unimed-BH no patamar das grandes organizações de todo o mundo.

Nos últimos meses, grandes grupos do setor de saúde vêm expandindo sua atuação no Sudeste e, em especial, em Minas Gerais. Esses movimentos da concorrência são uma ameaça para o modelo de negócio da Unimed-BH?

O setor de saúde suplementar tem passado por grandes mudanças e estamos atentos a essas transformações. Nos últimos anos, vimos um aumento das fusões e aquisições e entendemos que esse é um movimento natural do mercado. Sabemos que Minas Gerais é um mercado estratégico por possuir cidades de grande porte, bem estruturadas e uma população com alto poder aquisitivo. Belo Horizonte, por exemplo, é a 3ª maior capital do Brasil em número de pessoas com plano de saúde, atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro, mesmo sendo a 6ª em renda per capita. Ao longo dos anos, temos nos estruturado para ser uma referência no setor de saúde suplementar no Brasil e sempre tivemos concorrência em nossa área de atuação.

Acreditamos nos nossos diferenciais competitivos, pautados na oferta de uma assistência de qualidade a um preço acessível. Também temos um foco especial no relacionamento com os clientes, na ampliação contínua do vínculo médico-paciente e na integralidade do cuidado. Cuidamos da saúde das pessoas e não apenas de suas doenças. Por isso, nossa estrutura assistencial está geograficamente organizada para que nossos clientes tenham acesso à melhor assistência, no momento em que precisam, aonde precisam e com os recursos adequados.

Costumo dizer que “nós fazemos valer a carteirinha da Unimed-BH”. Mais do que nunca, as pessoas valorizaram a importância de ter um plano de saúde de qualidade. Isso se refletiu na estabilidade da nossa carteira, mesmo diante dessa crise sem precedentes. Com isto, nossa expectativa é de encerrar o ano com mais um recorde de carteira.

A Unimed-BH é uma cooperativa de trabalho médico. Isso é um diferencial competitivo ou um dificultador diante da competitividade?

Como cooperativa médica, acreditamos na cooperação e nos comprometemos com toda a cadeia do setor de saúde de Belo Horizonte e região metropolitana, que é nossa área de atuação. Acreditamos que, independentemente do segmento de atuação, o modelo cooperativo é uma grande força e um dos mais perenes no tempo.

Fazemos parte de um ecossistema tão importante que, segundo a Aliança Cooperativa Internacional, as 300 maiores cooperativas do mundo representam 2,5% de todo o PIB global. E, de acordo com o Anuário 2020 da OCEMG – Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais, o cooperativismo responde hoje por 9,6% do PIB mineiro.

O que temos visto, principalmente com os ensinamentos da pandemia, é que um modelo voltado para a cooperação e não para a competição será preponderante para a superação do cenário de crise. Inclusive, Yuval Harari, um dos principais pensadores contemporâneos, defende um sistema de cooperação global. No Sistema Unimed somos 345 cooperativas, com 117 mil médicos cooperados, gerando mais de 106 mil postos de trabalho no Brasil. Atendemos a 17,4 milhões de clientes em todo o país.

 A Unimed-BH planeja investimentos?

A nossa estratégia de investimentos acompanha as necessidades da nossa carteira. Temos uma rede de atendimento geograficamente distribuída por nossa área de atuação, com o objetivo de prestar atendimento ao cliente aonde ele precisa e com os recursos necessários. Tendo isso em vista, no ano passado inauguramos o Hospital Unimed – Unidade Betim para atender a demanda da região metropolitana de Belo Horizonte. O Hospital foi construído com recursos próprios no valor de R$ 250 milhões.

Hoje contamos com 19 unidades próprias: 4 hospitais próprios, além de Centros de Promoção da Saúde, Centro Médico, Clínicas e os serviços de atendimento domiciliar e de ambulâncias. Além disso, temos mais de 300 prestadores para atender nossos quase 1,3 milhão de clientes. Na Unimed-BH, Rede Própria e Credenciada atuam conforme uma lógica complementar, com o objetivo de assegurar aos clientes o acesso à assistência que eles precisam, aonde precisam, em tempo oportuno e com os recursos adequados. Esse equilíbrio nos proporciona um modelo bem-sucedido, que oferece ao cliente o cuidado integral e se complementam no dia a dia da assistência. Com trabalho integrado e foco nas necessidades e expectativas do cliente, a nossa rede compartilha da mesma responsabilidade: de atuar em prol da melhoria contínua dos processos, com o objetivo de oferecer a melhor experiência em saúde.

Nossas definições acerca de novos investimentos continuarão sendo feitas para atender às demandas dos clientes e, nesse sentido, permaneceremos com nosso foco em inovação e soluções em saúde.

A Unimed-BH completa 50 anos em 2021, momento em que atravessa um dos cenários mais desafiadores para o setor de saúde e para a cooperativa. Quais são as perspectivas para o futuro diante de tudo isso?

Gosto muito de uma citação de Ariano Suassuna que diz: “o otimista é um tolo. O pessimista, um chato. Bom mesmo é ser um realista esperançoso”. Costumo usar bastante essa máxima quando falo para nossos médicos cooperados e colaboradores, porque é desse modo que entendo que devemos encarar o futuro. Estamos prestes a completar 50 anos e temos a oportunidade de nos consolidar ainda mais no mercado e seguir fazendo boas escolhas para nossa cooperativa porque, ao longo de nossa trajetória, temos conseguido bons resultados com a gestão coletiva e a participação crescente.

Uma importante tendência será a expansão do cuidado nos meios digitais, possibilitando aos clientes novos modelos assistenciais e novas formas de cuidado, mais aderentes ao cenário pós-pandemia, sem perder o contato personalizado. Seguiremos firmes nos nossos compromissos de oferecer a melhor assistência em saúde em nossa área de atuação para os nossos clientes, honrar e valorizar o trabalho médico e fazer a diferença na vida das pessoas, com nossas iniciativas de responsabilidade social.

Para Unimed-BH, 2020 foi o ano que evidenciou o cuidado com a saúde como nosso maior valor

Unimed-BH é líder de mercado em sua área de atuação e desenvolveu ações coordenadas, com foco em todos os públicos de relacionamento, durante o enfrentamento da pandemia

Quando o primeiro caso de Covid-19 surgiu na China, em dezembro de 2019, nenhum governo ou organismo internacional conseguia prever ainda as dimensões que a crise alcançaria. Em poucos meses, e com saldo de muitos mortos e doentes, o planeta já experimentava uma nova realidade: a inexistência de um mecanismo eficaz para a cura dos pacientes, o alastramento veloz da contaminação e um forte reflexo negativo na economia dos países, provocado principalmente pela necessidade de isolamento social imposta pela pandemia, gerando uma forte recessão em escala mundial.

O impacto no Brasil: redução do PIB, fechamento de empresas e aumento do desemprego. Um dos setores mais afetados por esse cenário foi, sem dúvida, o de saúde. Em 2014, com o Brasil praticamente no pleno emprego, a saúde suplementar tinha uma faixa de 50 milhões de clientes. Com a crise que se instalou pelos anos seguintes, a saúde suplementar perdeu três milhões.

Na linha de frente do enfrentamento da pandemia está a Unimed-BH que, mesmo com atuação regional, detém a sétima maior carteira de saúde do Brasil, segundo a Agência Nacional da Saúde Suplementar (ANS).  No mercado há quase 50 anos, a Cooperativa oferece aos seus quase 1,3 milhão de clientes em 34 municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte a melhor experiência em serviços de saúde, o que pode ser comprovado por seu crescimento em um cenário extremamente desafiador.

Com um faturamento de R$5,5 bilhões em 2019 e expectativa de fechar o ano com R$ 5,6 bilhões, a Unimed-BH reforça a sua posição como uma das maiores operadoras de planos de saúde do país e se mantém na liderança em sua área de abrangência, com 54% de participação do mercado. Registrando um patrimônio imobilizado de R$ 1,2 bilhão e um patrimônio líquido previsto de R$ 2,3 bilhões, a solidez da Cooperativa também se traduz na Margem Ebitda, estimada para 2020, em 18,14%, o que representa um aumento de 7,11 p.p. em comparação com 2019.

Atualmente, a Unimed-BH conta com 5,5 mil médicos cooperados, mais de 4 mil profissionais na área assistencial, cerca de mil colaboradores na área administrativa e 340 prestadores de serviços em saúde, entre hospitais, clínicas e laboratórios próprios e credenciados. E é com profissionais, serviços e estruturas modernas e altamente qualificadas que a cooperativa avança com foco na excelência.

A qualidade assistencial que a cooperativa entrega aos seus clientes também é comprovada, ano a ano, pelo Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS), medido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), no qual figura sempre na melhor faixa de avaliação. Por sete anos consecutivos, a Unimed-BH é a melhor entre as maiores operadoras de planos de saúde do Brasil e, por duas avaliações seguidas, obteve nota máxima no IDSS.

Uma das estratégias da Cooperativa tem sido a atenção cada vez mais voltada para a experiência do paciente e a dedicação constante à melhoria da qualidade assistencial. Resultado desse empenho é que, na última aferição feita pelo Datafolha, a Cooperativa conquistou um índice de 88% de clientes satisfeitos ou muito satisfeitos com os serviços.

Diferenciais

Pautada pela gestão coletiva dos recursos, a Unimed-BH conta com uma robusta estrutura de governança, cuja principal instância de decisão é a Assembleia Geral de Cooperados.  A participação expressiva dos médicos cooperados nas decisões é o que garante as melhores escolhas e os resultados alcançados.

Até 2022, a diretoria, eleita pelos cooperados, é formada pelo diretor-presidente, Samuel Flam; o diretor Administrativo-financeiro, Eudes Magalhães; o diretor de Provimento de Saúde, José Augusto Ferreira; a diretora Comercial e de Relacionamento Institucional, Mercês Fróes; e o diretor de Serviços Próprios, Múcio Diniz.

Com uma gestão pautada na transparência e na ética, com uma forte estrutura de Compliance, a Unimed-BH já foi reconhecida, por duas vezes, como empresa Pró-Ética. O prêmio é concedido pela Controladoria Geral da União (CGU) e é um reconhecimento público do comprometimento da cooperativa com a prevenção e o combate à corrupção e a fraudes. Em 2019, apenas 26 empresas brasileiras receberam o certificado de integridade e de boas práticas de transparência que foi entregue pela CGU.

A atuação da Unimed-BH ao longo dos últimos anos pautado em seu DNA cooperativista e, de forma especial, o modelo de trabalho desenvolvido neste período de pandemia, considerando todos os públicos de relacionamento, contribuíram para que a Cooperativa fosse convidada a fazer parte de uma iniciativa importante do Fórum Econômico Mundial:  “The Great Reset” ou “O grande recomeço”. Dessa forma, a saúde de Minas Gerais vem marcando presença em um dos processos de reconstrução mais desafiadores da história. Esse convite insere a Unimed-BH no patamar das grandes organizações de todo o mundo.

Pandemia do novo coronavírus

Como empresa de saúde, a Unimed-BH está na linha de frente do combate à pandemia provocada pelo novo coronavírus. Por isso, se antecipou ao cenário e constituiu seu comitê de crise muito antes que a Organização Mundial de Saúde (OMS) decretasse a pandemia e do primeiro caso ser identificado em Belo Horizonte. Esse grupo se ocupou de estruturar ações coordenadas para todos os públicos de relacionamento da cooperativa: clientes, médicos cooperados, colaboradores, prestadores de serviço e a sociedade em geral.

Dentre as ações, destaca-se o pioneirismo da Cooperativa no lançamento da Consulta On-line Coronavírus, realizado no dia 18 de março, apenas sete dias após a declaração oficial da pandemia. O modelo assistencial tem como premissa evitar a ida de pacientes com sintomas suspeitos aos pronto-atendimentos e, com isso, reduzir o risco de mais contaminações. Além disso, os clientes com sintomas suspeitos passaram a ser telemonitorados pela equipe assistencial da Unimed-BH, que avalia a evolução do quadro clínico e indica o melhor percurso assistencial. Até o momento, mais de 100 mil consultas on-line foram realizadas e cerca de 120 mil clientes passaram pelo telemonitoramento.

A ferramenta de teleconsulta, desenvolvida pela equipe do Centro de Inovação da Cooperativa, foi estendida para os médicos cooperados em seus consultórios, possibilitando a continuidade dos atendimentos aos seus clientes. A plataforma também foi gratuitamente cedida para a Prefeitura de Belo Horizonte, beneficiando os usuários da rede pública de saúde. Além disso, o compartilhamento regular de informações sobre o cenário epidemiológico com o poder público vem contribuindo para a tomada de decisão acerca do isolamento social, freando a disseminação de casos e preservando o sistema de saúde da capital mineira, de modo que os serviços de saúde possam atender a todos os casos suspeitos da doença.

Uma outra iniciativa fundamental também foi a estruturação da Rede Própria da Unimed-BH para o atendimento aos pacientes com Covid-19. Os clientes passaram a contar com mais de 200 novos leitos de UTI e internação dedicados a casos da doença. Para reforçar o time assistencial e substituir profissionais que precisaram se afastar, foram realizadas 450 novas contratações para atuação nas unidades de saúde próprias. Os colaboradores da área administrativa passaram a atuar em home office, receberam máscaras de tecido para uso social e todas as equipes passaram a contar com serviço de acolhimento psicológico 24 horas.

Segurança

Com o necessário isolamento social, muitos médicos cooperados que não atuam em especialidades diretamente demandadas no enfrentamento da pandemia precisaram reduzir a agenda de atendimentos e, com isso, viram sua remuneração diminuir. Para minimizar esse impacto e trazer mais tranquilidade financeira, a Unimed-BH ofereceu o benefício de antecipação de 70% da produção. Para aqueles que puderam continuar atendendo nos consultórios, foi pago um acréscimo no valor da consulta para a compra de equipamentos de proteção individual.

“Todas essas ações de apoio aos médicos cooperados só foram possíveis porque temos uma cooperativa sólida e que, graças à gestão coletiva e à crescente participação dos cooperados, obtém resultados positivos ano após ano”, afirma Samuel Flam, diretor-presidente da Unimed-BH. A participação dos médicos se consolida nas Assembleias Gerais. Em 2020 foram duas edições em formato digital em 2020, uma contou com a presença de mais de 5 mil médicos cooperados e a segunda, realizada em setembro, com mais de 4,5 mil médicos cooperados.

O benefício de antecipação de 70% de produção foi estendido para a Rede Prestadora. Isso porque, atualmente, a Unimed-BH é responsável por uma parte significativa do faturamento dos hospitais e clínicas credenciadas, que foram impactados com a crise provocada pelo novo coronavírus. Com o benefício de antecipação da produção, a cooperativa trouxe segurança financeira e permitiu que os serviços de saúde continuassem funcionando, beneficiando não somente os clientes Unimed-BH, mas também todos os demais usuários que acessam esses serviços.

Responsabilidade Social

Além dos clientes, médicos cooperados, colaboradores e rede prestadora, a cooperativa também cuidou de implementar ações com foco na comunidade. Foram doadas cerca de 27 toneladas de alimentos, produtos de higiene e limpeza, mais de 33 mil máscaras de uso social, além de álcool em gel para comunidades e instituições beneficiadas pelos projetos do Instituto Unimed-BH, braço social da Cooperativa. O Instituto também foi responsável por distribuir 5 mil folders educativos, com orientações de prevenção ao novo coronavírus e centenas de faixas instaladas com mensagens de sensibilização em 14 comunidades de BH e Região Metropolitana.

A estrutura de atendimento da Unimed-BH

Além da rede parceira com 340 unidades, os clientes da Unimed-BH ainda contam com uma estrutura completa em sua rede própria:

  • Hospital Unimed – Unidade Contorno
  • Hospital Unimed – Unidade Betim
  • Maternidade Unimed – Unidade Grajaú
  • Hospital Infantil São Camilo Unimed
  • Centros de Promoção da Saúde Unimed – Unidades Contagem, Santa Efigênia, Pedro I, Betim, Barreiro e Conceição do Mato Dentro
  • Clínica Unimed (Betim)
  • Centro Médico Unimed
  • Clínicas Unimed Pleno – Unidades Santa Efigênia, Pedro I, Barreiro, Contagem e Betim
  • Atendimento Móvel Unimed e Atenção Domiciliar